A maior rede de estudos do Brasil

Aula 05 - Verbos Irregulares (Parte 01)video play button

Transcrição


sso. Beleza nós somos votações, Eles são sabendo só beleza neste caso. Neste contexto, nesse caso, a gente não vai ter por ele. Se estiver anômalo a gente vai ter essa irregularidade, porque aqui não tem apenas o cabelo, só só a cara que eu tenho que colocar, já que eu tenho vogal temática, aí eu tenho que passar para a causa a desinência temporal. Aí você imagina abaixo. Não, nós não podemos adaptar nada. Se está aqui, tem que ser assim, para imagine, então ficaria como aqui nesse caso. Aqui seria eu, talvez eu sa, Talvez estou sais e assim por diante. Teria? Jeito? Não. Então houve uma adaptação. Assim como acontece com o verbo estar, não fica esteja, então aqui ficou, como talvez eu seja dos Cejas ele seja. Nós sejamos voz, seja eles sejam beleza e aí a gente vai comprovar que se ele é a vogal temática, vem para cá como desinência modo temporal a beleza, por isso a forma seja não existe. O esteja também não existe, justamente porque se é vogal temática, a gente tem lá o presidente indicativa, matemática e vem como desinência modo temporal A Talvez eu seja a derrota. Então quer dizer que lá no presente indicativo, a primeira pessoa tinha que ser seju. Ou seja, não não é isso, porque a gente tentaria regularizar um verbo que não é regular. Beleza. Ele é um verbo anômalo. Ele foge um pouquinho desse esquema mesmo, mas intuitivamente você já conhece a se ver. Você colocou aqui o advento de dúvida? Talvez talvez eu seja. E aí ele vai dar uma regularidade dentro dessa estrutura anômala beleza por isso, então talvez eu seja. Ou seja, se ele seja nós sejamos vossos, seja eles sejam belezinha, aí ele segue a rotina dos demais. Realmente, aqui é só o radical que mudou beleza. Então, aqui não seguiu estritamente o que nós falamos, que não concorda aqui. Normalmente o radical que se encontra aqui no presente do indicativo da primeira pessoa vem para cá, no presente do subjuntivo, beleza por conta dessa anomalia é que a gente coloca o jota para aquela belezinha. Vamos que vamos legal ver estar aqui. Vamos estar a mesma coisa. Só o verbo está normalmente Normalmente, normalmente eu estou aqui às nove horas. Normalmente tu estás ele está, nos estamos. Vós estais, eles estão beleza. Só que por conta do mesmo jeito. Nenhum estilo que aconteceu com o verbo ser aqui, na primeira pessoa do presidente, subjuntivo, vão falar que esteja. E você já sabe disso, porque você coloca que o advogado de dúvida talvez talvez eu esteja do esteja ele esteja. Nós estejamos, voz, estejam eles estejam. Nós temos aqui a desinência modo temporal a frase tranquilizadora. Então, por conta disso, em Santa Maria maior, como está, a estrutura fica bem mais simples, ilegal a belezinha tranquilão. Então, cuidado com verbos ser. E o verão está aí. Conforme nós falamos aí do verbo ser, pelo amor de Deus, não existe, esteja. Não existe, esteja. Porque porque? Assim, essa vogal temática aqui, nesse caso aqui, a vogal temática beleza, Por conta dessa anomalia, ela permanece aqui e é uma anomalia. Ela vem para cá como desinência amor atemporal. E aí os gramáticos mostram para a gente certas adequações para não ficar nem seja, nem sei de beleza. Então, nesse caso o verbo estar talvez eu esteja, tu estejas ele esteja, ele mudam porque ela estrutura, que a gente viu anteriormente estava muito cuidado com isso. Beleza então não existe esteje não existe, esteja assim como não existe, ou seja a beleza muito cuidado com isso. Você intuitivamente já também já sabe disso e fica mais fácil acompanhando comigo. Vamos que vamos lá nessa casa que é uma sala, vão pegar até agora Olha o próximo aqui chegando aqui é o seguinte vimos até aqui então a com alguns verbos importantes, É sempre bom a gente verificar esses dados importantes aí essa passagem do presente do indicativo. A primeira pessoa para o presidente sobre o motivo lembra que eu falei olha normalmente gerado do radical que nós temos no presente na pessoa do presente do indicativo nós geramos o presidente subjuntivo normalmente legal, beleza a mesma coisa. Vamos gerar agora quem vão gerar os tempos derivados do pretérito perfeito. E aí que está o suprassumo de provas beleza