A maior rede de estudos do Brasil

Aula 03 - Resumo de literatura (Parte 05)video play button

Transcrição


novo. Vão prover região agora no mapa mental segunda fase, mais ou menos mil novecentos e trinta a mil e novecentos e quarenta e cinco. Realidade social econômica. Ou nós vamos para vários cantos do Brasil? Regionalismo. Vamos falar sobre várias regiões sobre vários momentos. Vamos ler aqui ou vou trazer mais famoso de todos. Talvez vidas secas É um livro pequeno. Graciliano Ramos O afastamento do cientificismo, aspectos psicológicos Eu e o mundo temática da urbe. Ou seja, vamos falar sobre a cidade, sobre os problemas da cidade, eu e o mundo Carlos Drummond de Andrade é a fase do Carlos Drummond de Andrade, em que ele fala sobre o sentimento do mundo. Sabe? Ele diz Eu tenho duas mãos e o sentimento do mundo, o que tenta colocar na poesia dele? Não? Leia Carlos Drummond de Andrade conheça a obra dele É enriquecedora! Terceira fase do modernismo agora vão para o Roxinho. Mil novecentos e quarenta e cinco daí para frente, até a contemporaneidade. Nós chamamos nesse final do século vinte, do pós moderno. Mas a partir daí, gente não tivemos mais estilo de época. Até hoje o estilo de época acabou. Nós temos a literatura contemporânea, Teatro moderna é tudo novo, Tudo de acordo com uma necessidade ou interesse com a temática, vão ver aqui academicismo, passadismo e retorno ao passado. Posso voltar ao passado? Pode. Agora A literatura é livre. Oposição a liberdade formal, experimentações artísticas. A influência do parnasianismo, simbolismo, pode isso, pessoa pode. Alguns artistas vão fazer sonetos. Nós vemos o movimento na década de cinquenta, concretismo, que é praticamente uma escola literária. Meus textos verbov, ou com visuais aqueles textos que você precisa, você precisa ler. Não só está escrito, mas lei, imagem para entender o que ele quer dizer. São as experimentações. São as novas formas de fazer arte única, inovações linguísticas, metalinguagem. A linguagem objetiva, temática social e humana. Regionalismo universal. Não mais aquela única região do Brasil, mas um regionalismo, uma situação que representasse o todo realismo fantástico aqui. Contos maravilhosos e retorno a forma poética, a valorização da médica e da rima de novo. Mas qualquer órgão que é o grande barato é que você vê que a terceira geração terceira fase, ela possui muitas características, porque você encontra de tudo um pouco dentro nesta terceira fase moderna. E aí eu até trouxe aqui para vocês e a música Algumas perguntas sobre a música da época A literatura no século vinte voltou a estar ligada à música de uma maneira muito interessante no final do século vinte. Nós temos aí, por exemplo, a junção na Vinicios Moraes, com Tom Jobim. Para quem acusa incrível é ou toda a literatura de Moraes com o músico, ele escreveu na outra de Ipanema e o outro foi lá e musicou. E a poesia musicada, Coisa linda, o que nós tivemos no Senado do século vinte e na música sobre vocês lembrarem ou em mil e novecentos e cinquenta mescla de samba o surgimento da bossa nova. Em mil e novecentos e sessenta surgem várias novas tendências A jovem guarda o tropicalismo. Canções de protesto Mais uma vez nós tivemos aqui uma arte engajada na literatura contemporânea, que é hoje na prosa. A partir de mil novecentos e setenta, a grande produção de contos e crônicas eleva sua circulação. Hoje, se você pega um jornal, uma revista, você vai controlar a crônica ali certo? Você pode encontrar um ponto de várias formas de vários tipos qualquer, várias narrativas, também a poesia na poesia. Nós temos a Heloisa Buarque de Holanda, que até hoje ela faz pesquisas na contemporaneidade. E ela é uma das responsáveis pela manutenção da poesia brasileira. Existe poesia brasileira hoje, é claro que sim. Manifestações ocorridas na segunda metade do século vinte eles são chamados de manifestações contemporâneas, marcadas então pela diversidade. A pluralidade de vozes, por isso aqui é incrível, sem rótulos, uma literatura completamente nova. Lembro textinho o assassino era o escriba. Não fecha a aula com essa questão vinha, ela é o mesmo texto, está o assassino era o escriba questão número doze. No poema de Paulo Leminski, exemplifica uma tendência marcante da ficção contemporânea na para a frase como meio de dez legitimar o discurso poético que dialoga com outros textos. Isso não é uma paráfrase na gente. É a narrativa de um facto trabalhado a partir de uma linguagem completamente nova no aproveitamento ficcional da memória autobiográfica, com o emprego de alguns termos coloquiais. O emprego que não, pois, termos coloquiais, onde temos da sim Tássia na valorização do discurso de natureza metalinguística na presença da ironia, já em tom de ironia essa natureza metalinguística, Essa valorização do discurso é totalmente contemporâneo no uso da linguagem chula, amparada na linguagem padrão para tomar mantimento denotativa. Se tiver que tirar uma alternativa, vou logo rabiscar. Jornada de direito padrão predominantemente denotativa. Nós já vimos que esse texto totalmente com rotativo não é gente questão aí. Doze O gabarito foi gente ao contemporâneo. Ele trabalhou muito metalinguístico, se encontra muitos textos, muitos poemas de autores, falando sobre o ato de escrever isso. Você vai observar que é muito individual de cada autor estado, mas queria que eu falei sobre muitas coisas hoje na aula. Espero que você finaliza Aula comigo diferente Da maneira como você começou, porque eu tenho dado uma luz aí no mundo literário, não aprofundei com tesão. Li textos dos períodos literários que, como é uma única aula, um único encontro, eu queria fazer mesmo resumão. Passamos por todos os tópicos todos os conteúdos possíveis aqui do conteúdo programático de literatura, da Secretaria de Estado de Educação de Minas. Então é isso. Mais do que isso é o que o seu estudo autônomo pegar. Os autores que eu falei pegar as obras que eu citei aqui, Ler, conhecer, entender que cada obra que você pegar para ler vai representar uma época, uma sociedade. Por isso elas mudam porque a sociedade muda. Tudo muda toda hora na mesma, é meio Para dúvidas. Professora Rafaela Freitas Arroba é meio ponto com formas de me contou nas redes sociais, Palavra e Ando com Rafa Freitas a minha página, estou sempre lá Ligadinha, pode mandar a mensagem para mim que eu respondo estar atento na medida do possível ajudar. Tenho conseguido, graças a Deus muito bem, meus queridos. Agradeço muitíssimo a atenção. Agradeço pela escolha, por ter escolhido estudar com a gente anual. Nosso objetivo aqui é única e exclusivamente fazer com que você tenha sucesso na sua vida de concurseiro, na sua vida e no próximo concurso, concurso para o qual se está estudando. Todos nós. Não é isso aí, qualquer dúvida estou a disposição. Espero encontrá los numa próxima oportunidade, mas dez possível.