A maior rede de estudos do Brasil

Aula 04 - Verbos (Parte 03)video play button

Transcrição


começou ontem vinte pais para o nosso próximo bloco comigo daquela comigo. Então, basicamente, você vai estar a forma é a mesma da primeira e da terceira pessoa do singular. Estavam os empregar quantos aí ou a empregamos para transmitir uma ideia de continuidade de processo que no passado era constante ou frequente. Então é o hábito. É a rotina. Então, se você lembrar ficar mais, estavam todos muito satisfeitos com o desempenho da equipe. Todos estavam continuada de continuidade entre os índios. As mulheres plantavam, recolhiam os homens, caçavam e pescavam a ideia de continuidade. O processo no passado, era constante, frequente. Você estudava muito aquela época. Agora você passou em primeiro lugar. Naquela época, almoçava lá todos os dias. Processo que no passado era constante. Era frequente. Vamos a é usado para exprimir o processo que estava em desenvolvimento. Quando a ocorrência de outro, a paz, o sol já despontava a sua situação de marca uma situação. Quando acontece outra coisa no pretérito perfeito o sol já despontava quando alguma coisa acontece beleza e marca uma situação na sequência. Eu tenho pretérito perfeito para justamente romper com essa situação anterior, para só o sol já despontava quando a escola entrou na passarela. A torcida ainda acreditava no empate quando o time levou o segundo gol. Também mostra uma situação aquilo que estava em desenvolvimento, quando de repente aconteceu outra coisa para ganhar beleza Quando fala de pretérito perfeito ou volta falando e é justamente sobre ele, não vão falar no chamado pretérito perfeito Pretérito imperfeito Aquele processo continuar é o hábito regular Idade Teresa O que pretendo perfeito? Pretérito perfeito é uma ação pontual no passado. Aí você vai determinar aquele momento no passado e aquilo aconteceu e pronto. Beleza então é uma ação. Estão que é perfeitamente acabada, não é continuada. Então às vezes na prova cai como marca alternativa, em que a ação é descontinuada, uma ação continuada, aquela que vai ter o seu prosseguimento, seu desenvolvimento. Pretérito imperfeito no passado no presente eu tenho até o presente a marcação ação continuada, beleza tranquilo, uma ação descontinuada que houve, o rompimento pretérito perfeito uma ação perfeitamente acabado, então coloco para você Primeira base radical Depois a vogal temática, a desinência maior temporada apenas a terceira pessoa que aparece aqui e agora a residência número pessoal muda um pouquinho mesmo para as bancas. Não cobram muito mais próximo tem cobrado muito a flexão com o vosso, que a gente praticamente não usa, mas não tem comprando muitos aqui não fica mais tranquilo, Mais interessante você não está aí que o tudo tem. A desinência número pessoal é legal. Mas sinceramente, o que mais este serviço que cai é a terceira pessoa e a outras duas pessoas do singular e plural. Olha só então como aceite, Já que é uma ação pontual no passado, a gente determina o ponto no passado, com o advento temporal, mostram ontem. Ontem eu estudei pra estudar. Se estudou, nós estudamos as estudantes disputaram ontem o veredito. Vendesse, vendeu, nós vendemos, as vendesse, eles venderam e assim por diante. Então, é uma ação pontual no passado, quando empregados, tempo verbal, a ação é concluída. O pretérito perfeito esse preço, processo debaixo, concluindo os acabados e localizados num ponto no momento o período de fim do passado qualquer, então, é a ação pontual. No passado, em mil e novecentos e oitenta e três, o campeão brasileiro da divisão foi o Juventus. Os imigrantes italianos chegaram ao Brasil no século passado. A gente tem uma indicação temporal, normalmente marcando a Secretaria de Perfeito Legal Beleza o pretérito perfeito composto. A gente vai falar mais sobre isso mais à frente, basicamente em cima do verbo ter ou haver como vai conciliar mais um. Participe, Eu tenho visto, tem conseguido, é só A gente comentou sobre isso. Ele sobre processos que se repetem ao prolongou até o presente. Tenho visto coisas que ninguém acredita. A gente falou a respeito do verbo no presente ou trocar corretamente. Irregularidade. Eu trocar pelo pretende evento composto. Só posso colocar aquilo que a paz vejam coisas em que ninguém acredita ou então lembra aquela estrutura, a paz. Venho, venho vendo coisas que dizem que ninguém acredita estar vendo. Só eu vou ouvir, mas gera um dia alguém beleza. Os professores não têm conseguido melhores condições de trabalho. Os professores não conseguem olhar, não conseguem melhores condições de trabalho, os professores não vem conseguindo conseguindo melhores condições de trabalho, então essa ação continuada a gente pode fazer essas substituições, aí toma cuidado com isso. A ação pontual que ocorre durante uma situação que estava em desenvolvimento, a gente falou a respeito da pior. O sol já despontava, lemos. Colocou a situação que estava em desenvolvimento e a gente tinha chamado atenção sobre o pretérito imperfeito nessas ruas aqui, porque na sequência a gente tem uma ação que ocorreu e ela marcou aquele ponto exato. Eu só o sol já despontava Quando a escola entrou na passarela, a torcida ainda acreditava no empate, quando o time levou o segundo gol. Então é uma ação pontual. Ela marca o exato momento em que há uma coisa já acontecia e de repente ela corta aquela rotina. Essa ação pontual, uma ação instante, beleza, tranquilinho, rapaz, o pretérito mais que perfeita achou de polaca para caramba e você vai detonar para tanto Mais que perfeito, tem presença maior, temporal, hora E quando a gente vai entregar? O pretérito mais que perfeito é o seguinte por estilo de linguagem a gente emprego, pretérito mais que perfeito quando você tem duas ações no passado, Se você quer dar destaque, você quer dar destaque. Você coloca mais perfeito. Se não quiser dar destaque, não precisa. Então você quer dar destaque você. Então você tem uma ação que aconteceu ainda antes da outra, se você quiser você coloca mais que perfeito. Por exemplo. Joaquim disse que estudou bastante ontem. Ela só. Joaquim de assim que estudou bastante uma reação, ocorreu primeiro dizer ou estudar bom terror, entre dizer estudar, estudar, aconteceu antes ou para estudar. Aconteceu antes, se eu quiser eu posso colocar esse verbo aquilo mais que perfeito. Joaquim disse que estudará bastante ontem. Primeiro estudou e depois ele disse saber. Só então o projeto mais que perfeito, estilístico. Nessa noção você tem duas informações no passado e você quer dar uma relevância e enfatizar que aquele aconteceu ainda antes do outro? Então quem beleza é o normal? Então a presença maior temporal é agora. A gente tem um radical. Agora a gente coloca a vogal temática de residência, modo temporal e, na sequência, a desinência de número pessoal. Olha o West repetindo o almoço se repetindo os PMs repetindo tranquilinho, beleza Então a gente tem o mais que perfeito. Então a palavra específica não há estrutura. Basicamente, essa era só é o estudar, atua, estudar as ele estudar. Nós estudaram nos voz, estudarem. Eles estudaram eu. Vender a vender as ele, vender nós venderemos voz vender as eles venderam para chamar a atenção aqui é que estudaram, venderam, permitiram. A forma da terceira pessoa do plural é idêntica a dar do pretérito perfeito. É idêntica e a gente vai votar. Então, já que você pode colocar o verbo do pretérito mais que perfeito, estilístico, Então você, na realidade da terceira pessoa do plural, você não consegue identificar, é realmente mais que perfeito, Pode efeito presente perfeito aí As bancas em perguntam a respeito disso, justamente porque pode ser um outro. Tanto faz a beleza do país, haja vista que o mais que perfeita, estilístico, se eu quiser nesse contexto, se quiser entregar este lixo, quem vamos que vamos? Vamos à frente. Para nós. Temos uma boa. Então para que para exprimir que um processo ocorreu antes de outro que está no passado? É o passado do passado, Ela está demais quando ela recebeu que ele se envenenar. Então, primeiro disse melhorou. Depois alguém percebeu o prefeito. Aí eu quero chamar atenção pelo seguinte, o presidente mais que