A maior rede de estudos do Brasil

Capitalismo e Liberdade - Milton Friedmanvideo play button

Transcrição


capitalismo, capitalismo e liberdade. Definir esteve ao falar menos e menos ela Influencia econômico filósofo declaração definitiva da filosofia econômica imensamente influente de Fagner por Milton Friedman. Capitales Mil e Novecentos e sessenta e dois é uma das discussões mais influentes sobre a relação entre liberdade econômica e política que já foi escrita, escrito no auge da Guerra Fria entre o socialismo soviético e o capitalismo ocidental. Milton Friedman argumenta que apenas os mercados livres podem garantir a liberdade. Sua teoria permanece tão relevante, instigante hoje, como quando foi publicada pela primeira vez. Esta obra, destinada primariamente a entusiastas de economia fascinadas pela história intelectual do século passado. Livre comerciantes liberais clássicos e libertários, adversários do capitalismo de livre mercado interessadas em opiniões diferentes. Milton Friedman, mil novecentos e dois e dois mil e seis. Estudou matemática e economia na universidade durante a Grande Depressão. Antes de assumir uma posição na Universidade de Chicago em mil novecentos e quarenta e seis nas três décadas seguintes, ele se estabeleceu como um dos maiores do mundo em defesa do mercado livre. Seu trabalho foi uma grande influência nos governos de Margaret Thatcher e Ronald Reagan. Foi de ganhou o Prêmio Nobel em mil novecentos e setenta e seis e é considerado um dos mais importantes economistas do século vinte. O que esse livro pode me oferecer? Explore a economia da liberdade A guerra fria entre o socialismo soviético patrocinada pelo Estado e o capitalismo do mundo ocidental terminou em uma vitória decisiva para o último, quando o comunismo desmoronou políticos, intelectuais de todos os tipos chegaram a um veredito semelhante. Capitalismo liberal democrático era o único que pode existir. Como Margaret Thatcher disse. Não há alternativa. Essa é uma visão que tem sido cada vez mais desafiada na década Desde a crise financeira de dois mil oito nos Estados Unidos, o auto declarado socialista democrático Bani Sanders é um dos mais cotados para liderar o Partido Democrata na eleição presidencial de dois mil vinte. Na Amazon, livros com títulos como markets Comunismo para crianças. Enquanto isso, sobe nas listas de best sellers. A ideia de que o Estado pode e deve desempenhar um papel na vida econômica de nossas sociedades está na moda novamente. Tudo isso teria preocupado Milton Friedman, um dos economistas do século vinte. Mais associado ao argumento de que a liberdade econômica é a única garantia da liberdade política ele costumava achar que de boas intenções, o inferno está cheio, o que começa como uma promessa de corrigir desequilíbrios de mercado. Acaba por ajudar monopólios, minando os padrões de vida e paradoxalmente, aumentando a desigualdade. Ele estava certo? Bem, isso é algo que você terá que decidir por si mesmo. Acolher esses capítulos pelo caminho, você descobrirá. Porque os gastos do governo não levam necessariamente ao crescimento econômico. Como o Imposto de Renda negativo poderia aumentar o bem estar social e porque a educação básica beneficia a sociedade como um todo. Mas a educação universitária, não. Você está ouvindo um best seller resumido por essas. Essa é a essência de qualquer conteúdo ao seu alcance Para ter acesso ao nosso acervo. Com mais de seiscentos livros, visite nosso site ou baixo. Nosso aplicativo, o primeiro capítulo, a liberdade econômica e política dependem de um governo pequeno e descentralizado. Economia e política são frequentemente ensinadas como matérias separadas na escola. Geralmente aprendemos que a economia é sobre bem estar material enquanto política sobre liberdade individual. Siga essa abordagem para a sua conclusão lógica e logo você terminará com a ideia de que qualquer sistema político pode ser combinado com qualquer sistema econômico, mas isso é um erro. Na realidade, você não pode misturar a economia socialista estatal da União Soviética com as liberdades políticas individuais dos Estados Unidos para criar uma espécie de sociedade socialista democrática. Por que não? Bem, as liberdades econômicas e políticas são interdependentes? Na verdade, e se você restringir um, também limita o outro. Imagine que um turista britânico, após a Segunda Guerra Mundial, quer tirar férias nos Estados Unidos. Enquanto ele reserva viagem, percebi que não pode pagar por ela, porque os controles de capital do governo significam que a libra esterlina está sobrevalorizada em relação ao dólar. Agora compare isso com o caso de um cidadão americano que não pôde visitar a União Soviética porque têm opiniões pró capitalistas. Em ambos os casos, as restrições às liberdades econômicas e políticas têm o mesmo resultado. Impedem os indivíduos de buscar livremente seus próprios sonhos, Destinos. Isso significa que você precisa de um sistema que garanta tanto as liberdades econômicas quanto as políticas que precisamos para prosperar. Esse sistema é chamado de capitalismo de livre mercado. Vamos dar uma olhada mais de perto em como isso funciona? Na prática, o ponto mais importante é que o papel do governo nessa sociedade ideal é bem limitado. Sua finalidade é garantir a lei e a ordem básicas. Em vez de infringir nossas liberdades individuais, pense nisso. Como definir as regras do jogo? Comprar e vender é uma liberdade econômica básica e temos a liberdade de usá la, como quisermos. O governo, por outro lado, tem apenas uma responsabilidade defender os direitos de propriedade dos indivíduos e protegê los contra roubo e extorsão. Quando os governos se restringem a esse papel, o mercado livre pode cuidar do resto com as pessoas, querem viver a vida, o que querem comprar e vender. E finalmente, quem elas querem ser. Próximo capítulo Aumentar os gastos do governo não queria crescimento e expansão econômicos. Você provavelmente já ouviu políticos argumentando que o governo precisa intervir na economia. Para garantir que ela funcione corretamente, você também pode ter se deparado com a noção de que o capitalismo de livre mercado é inerentemente instável e provoca crises financeiras quando é deixado à própria sorte. Ambas as ideias são populares entre os defensores de um governo grande, mas estão enraizadas na maior economia. Para entender o porquê, temos que olhar de onde eles vieram após a Grande Depressão. Um novo consenso surgiu. Os economistas começaram a argumentar que aumentar as despesas do governo com o objetivo de corrigir as contrações do mercado era a melhor maneira de promover a estabilidade em sua forma mais básica. Isso se resume a uma teoria promovida pelo economista britânico John Biquinis e que cada dólar de gasto do governo cria outro dólar de aumento de riqueza. Para pessoas físicas. Isso é conhecido como a balança keynesiana dos gastos do governo. Apenas um problema não funciona como deveria. Quando os gastos privados diminuem, afirmam os seguidores de quinze. O governo precisa intervir e fazer seus próprios gastos para manter o equilíbrio econômico no mundo real. No entanto, esses programas inevitavelmente demoram muito para serem implementados e levar a todo o tipo de consequências não intencionais. Desenhar esses programas, por exemplo, geralmente leva ao mesmo tempo que para colocá los em funcionamento, isso significa que eles ainda estão em vigor, mesmo depois que a economia se recuperou e as pessoas estão sendo taxadas para cobrir uma política inútil, jogando assim valor da economia. Esse é um exemplo típico da capacidade da economia keynesiana de resolver problemas em teoria que não podem ser resolvidos. Na realidade, a teoria simplesmente não é capaz de criar as condições para seu próprio sucesso. Considere o argumento de que os gastos do governo aumentam os gastos dos indivíduos. O comportamento de grandes grupos de pessoas é tão complexo que é impossível prever com precisão suas ações. Evidências da Grande Depressão, entretanto, sugerem que muitas pessoas responderam essas políticas guardando em vez de gastar próximo capítulo o governo deve desempenhar um papel