A maior rede de estudos do Brasil

Quem Eu Quero Me Tornar - Estação 3video play button

Transcrição


meu parceiro, amigo e sócio Márcio Rabat falam em uma propriedade incrível. A gente pega Michelangelo, Michelangelo e sua obra prima da vida e que ela, Ângelo, ele pretende. Todavia, originalmente na mente dele, ele imprimiu da via na mente dele. Davi estava na pedra de mármore ainda, mas Michelângelo ele imprimiu uma visão de futuro. O que eu quero me tornar a gente imprimir uma baita de uma visão de futuro sobre nós mesmos. Ou seja, se o gênio, ou se uma fada pudesse tocar com uma varinha na nossa cabeça e falar, eu quero ser dessa maneira. Eu quero ser uma pessoa mais compassiva, mais gentil, mais grata. Mas ao mesmo tempo, eu quero uma bota para fora, todos os meus talentos. Eu quero ter resultado, quero ter performance, quero viver a vida. Eu quero ficar menos na gaiola dos medos. Eu quero ficar mais no corpo do sol, dos valores. Eu posso imprimir isso, como Michelangelo imprimiu da via na cabeça dele, e aí esse passo a passo da gente realmente dar vida aos nossos sonhos. Sonhos, eles desdobrem objetivos e objetivos, desdobram e metas e achou que a gente faz na estação três do que eu quero me tornar eu Trago uma grande inspiração, uma grande intenção de ser essa pessoa. E, a partir daí, a gente vem na última etapa com uma tecnologia que nós construímos aqui no nosso trabalho. Nos últimos tempos, que a gente chama de hábito grafia a litografia como se fosse a tecnologia para a gente manejar os nossos hábitos, ou seja, para eliminar hábitos que nos são nocivos. Eu colocar novos hábitos de pé e hábitos antes de tudo tem a ver com liberdade, manejar hábitos. A gente só fala em manejar a arte, a gente com julga maneja hábitos com a palavra liberdade. E nesse passo eu tenho que ter uma aspiração, Ou seja, uma intenção muito, muito, muito clara sobre qual é a minha inspiração e a minha intenção. Porque quando eu estou realmente motivado, eu gosto de contar. Essa história é uma história que que simboliza isso. A história dos três pedreiros passou se numa obra e perguntaram a três diferentes pedreiros e que eles estavam fazendo ao pedreiro. Um Foi feito essa pergunta e responder de forma objetiva para a Turquia, de sol a sol, trabalhando duro cimentando tijolos. E é isso, ganha, ganha pão, que perguntaram perdeu dois. Ele respondeu mais ou menos a mesma coisa, mas nenhuma informação adicional que ele estava fazendo. Isso tudo construir uma igreja. Ele deu as informações, porém o pedreiro três ele perguntado essa coisa, ele respondeu de forma entusiasmada. Não sejam tão entendendo. Eu estou aqui nada mais, nada menos do que construindo a Casa de Deus. Ou seja, o Pedreiro três por imprimiu da via na cabeça de pedreiro. Três está comprometido. Engajado com quem ele quer, se torna o pedreiro três Não tem dor na coxa, não tem doze no tornozelo. Não tenho gripe A não tenha alcançado. Agora não. Pois eu três. Não procura China, ou seja, a disse plena com a natural, por perder de três X. É o que eu chamo aqui. Nós chamamos aqui de disciplina e um de maio. Monograma. Nós, quando a gente pensa disciplina, a gente pensa disciplina como força de vontade, consegue voltar de um recurso bem escasso. É como se fosse um estepe. Quando a gente foram, pendeu. A gente bota o estepe, a gente até o próximo borracheiro. Isso é a força de vontade. A força de vontade é um, é o nosso tanque Zinho reserva só para a gente para a próxima estação. A gente não pode depender da nossa força de vontade que a gente tem que depender do nosso, apaixona mento pelo objetivo. A gente, dependendo do nosso, apaixona mento pela nossa visão de futuro. Isso é o que a gente faz na estação. Três Se apaixonar pela nossa visão de futuro e trazendo técnica da fotografia para a gente poder manejar usado. Isso vale para um sítio que tem que tomar uma decisão estratégica importante na companhia. Isso vale para aqueles que estão precisando sair de uma lógica de proficiência em processo, de uma lógica de inovação. Criatividade vale para todo o mundo, tecnologia, humana, são todas essas sementes que a gente pode treinar para mandar bem nas três estações quem sou eu? A segunda coisa é que o espaço de liberdade e a terceira é o que eu quero me tornar. A gente vai estar juntos agora, sempre trazendo temas, dicas, com exercícios, com experiências, desafios para que a gente vá a cada uma dessas estações, com cada uma dos seus aparelhos para a gente treinar. Beleza mora nessa juntos, pensei estamos junto, vai ganhar um mês para todos vocês!