A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
Economia para ADM

Pré-visualização | Página 11 de 13

Monopólio
Oligopólio
Concorrência monopolística
1. Quanto aonr. de empresas
Muito grande
Só há umaempresa
Pequeno
Grande
2. Quantoao produto
Homogêneo. Não há diferença
Não há substitutos próximos
Pode ser homogêneoou diferenciado
Diferenciado
3. Quantoao controle das empresas sobre os preços
Não há possibilidades de manobras pelas empresas
As empresas têm grande poder p/ manter preços relativamente elevados.
Tendem a formar cartéis controlando preços e cotas de produção
Pouca margem de manobra devido àexistência de substitutos próximos.
4. Quanto a concorrênciaextrapreço(promoções/propag.)
Não é possível, nem seria eficaz
A empresa geralmente recorre a campanhas institucionais para melhorar imagem
É intensa, sobretudo quando há diferenciação do produto.
É intensa, valendo-se das diferenças físicas de embalagens,serviços complementares
5. Quanto às condições de ingresso na indústria
Não há barreiras
Barreiras ao acessode novas empresas
Barreiras ao acesso de novas empresas
Não hábarreiras
Prof. Marcia Julião
202
Estruturas do mercado de fatores de produção
Mão de obra, capital, terra e tecnologia também apresenta diferentes estruturas de mercado.
A demanda por estes fatores é chamada de Demanda Derivada.
Ex.: Como a demanda de autopeças deriva da demanda de automóveis, se houver redução da demanda de automóveis, cairá também a demanda por autopeças.
As estruturas no mercado de fatores são resumidas a seguir:
Prof. Marcia Julião
203
Estruturas do mercado de fatores de produção
Concorrência perfeita: Os ofertantes (produtores) são em grande número;
Monopólio: Quando há um monopolista na venda de insumos;
Oligopólio: Poucas empresas produzem um insumo;
Monopsônio: Há somente um comprador para muitos vendedores dos serviços dos insumos (empresa em cidade do interior);
Oligopsônio: Poucos compradores negociando com muitos vendedores (indústria automobilística);
Monopólio Bilateral: Quando um monopsonista, na compra do fator de produção, defronta com um monopolista na venda deste fator. Neste caso a determinação do preço de mercado dependerá de fatores e econômicos de poder de barganha de ambos.
Prof. Marcia Julião
204
Ação governamental e os abusos do poder econômico nos mercados
Dentro do Sistema Brasileiro de Defesa da Concorrência, o CADE e a SDE e ainda a SEAE são os órgãos que tem por objetivo julgar os processos administrativos relativos a abusos do poder econômico, bem como analisar as fusões de empresas que podem criar situações de monopólio ou maior domínio de mercado.
Prof. Marcia Julião
205
Macroeconomia
Macroeconomia estuda a economia como um todo, analisando a determinação e o comportamento de grandes agregados, como renda e produtos nacionais, nível geral de preços, desemprego e emprego, etc. Ela trata o mercado de bens e serviços como um todo, assim como o mercado de trabalho, e preocupa-se com aspectos de curto prazo ou conjunturais.
Prof. Marcia Julião
206
Objetivos da política Macroeconômica
Alto nível de emprego: preocupação com o fator surge após a Grande Depressão, com o teórico Keynes, pois antes predominava o pensamento liberal.
Estabilidade de preços: inflação é o aumento contínuo e generalizado do nível geral dos preços.
Distribuição eqüitativa de renda: disparidade acentuada no nível de renda brasileiro, tanto entre diferentes grupos socioeconômicos como entre regiões do país.
Crescimento econômico: aumento do produto nacional por meio de políticas econômicas que estimulem a atividade produtiva. Aumentar o produto além do limite de quantidade exigirá:
ou um aumento nos recursos disponíveis;
ou um avanço tecnológico
Prof. Marcia Julião
207
Dilemas de política econômica: inter-relações e conflitos de objetivos
Conflitos: metas de crescimento e eqüidade distributiva devido ao fator educacional, com maioria da mão-de-obra de baixa qualificação e baixos rendimentos.
Prof. Marcia Julião
208
Instrumentos de política macroeconômica
Política fiscal: instrumentos que o governo usa para arrecadar tributos e controlar suas despesas, por meio da manipulação da estrutura e alíquotas de impostos, para estimular os gastos de consumo do setor privado.
Princípio de anterioridade: implementação de uma medida só pode ocorrer a partir do ano seguinte ao de sua aprovação pelo Congresso Nacional.
Prof. Marcia Julião
209
Instrumentos de política macroeconômica
Política monetária: atuação do governo sobre a quantidade de moeda e títulos públicos na economia.
Instrumentos disponíveis:
 emissões;
 reservas compulsórias (% sobre os depósitos que os bancos comerciais devem colocar a disposição do BACEN);
 open market (compra e venda de títulos públicos);
 redescontos (empréstimos do BACEN aos bancos comerciais);
 regulamentação sobre crédito e taxas de juros.
Prof. Marcia Julião
210
Instrumentos de política macroeconômica
Políticas cambial e comercial:
Cambial: atuação do governo sobre a taxa de câmbio;
Comercial: instrumentos de incentivos às exportações e/ou estímulo/desestímulo às importações.
Política de rendas: intervenção direta do governo na formação de renda com o controle e congelamento de preços.
Prof. Marcia Julião
211
Estrutura de análise macroeconômica
A estrutura básica do modelo macroeconômico compõe-se de cinco mercados:
Mercado de bens e serviços e
Mercado de trabalho = parte “real” da economia;
Mercado Monetário
Mercado de títulos
Mercado de divisas = parte “monetária” da economia.
Prof. Marcia Julião
212
Mercado de Bens e Serviços
A Demanda agregada (Em Macroeconomia, demanda agregada é a demanda total de bens e serviços numa dada economia para um determinado momento e nível dos preços) depende da evolução da demanda dos quatro grandes setores:
 consumidores;
 empresas;
 governo;
 setor externo.
Prof. Marcia Julião
213
Mercado de Bens e Serviços
Condição de equilíbrio de mercado:
Oferta agregada de bens/serviços= demanda agregada de bens/serviços
Variáveis:
 nível de renda e produto nacional;
 nível de preços;
 consumo agregado;
 poupança agregada;
 investimentos agregados;
 exportações totais;
 importações totais.
Prof. Marcia Julião
214
Mercado de Bens e Serviços
Mercado de trabalho: determina as taxas de salário e nível geral de emprego. 
A demanda e a procura por mão-de-obra depende da taxa de salário real e do nível de produção desejado pelas empresas.
Oferta de mão-de-obra = demanda de mão-de-obra.
Mercado monetário: existência de uma demanda de moeda e de uma oferta de moeda, determinada pelo BC e pela atuação dos bancos comerciais.
Oferta de moeda= demanda de moeda
Variáveis desse mercado: Taxas de juros; estoque de moeda.
Prof. Marcia Julião
215
Mercado de Bens e Serviços
Mercado de títulos: análise do papel de agentes econômicos superavitários e deficitários e como eles se interagem.
Oferta de títulos = demanda de títulos
Análise do mercado monetário e de títulos é chamado de mercado financeiro.
Prof. Marcia Julião
216
Mercado de Bens e Serviços
Mercado de divisas: devido as transações econômicas com o resto do mundo.
Oferta de divisa: depende das exportações e da entrada de capitais financeiros.
Demanda da divisa: determinada pelo volume de importações e saída de capital financeiro.
Oferta de divisas = demanda de divisas
Banco Central: pode interferir nesse mercado a partir de taxas de câmbio e da taxa de equilíbrio.
Variáveis determinadas institucionalmente: gastos do governo e oferta de moeda.
Prof. Marcia Julião
217
Mercado de Bens e Serviços
Mercado de capitais físicos: está embutido no mercado de bens e serviços por meio dos investimentos e da poupança.
Mercado de capitais financeiros: estudo a partir do mercado monetário e de títulos.
Prof. Marcia Julião
218
Inflação
Cap. 13
Prof. Marcia Julião
219
Conceito Inflação
É definida como um aumento contínuo e generalizado no índice de preços, ou seja, os movimentos inflacionários são aumentos contínuos de preços, e não podem ser confundidos com altas esporádicas de preços. O aumento de um bem ou serviço em particular não constitui inflação, que ocorre apenas quando há um aumento generalizado, da maioria dos bens