fisiologia_renal_farmacia

fisiologia_renal_farmacia


DisciplinaFísica para Farmácia83 materiais126 seguidores
Pré-visualização2 páginas
*
Fisiologia Renal
Ana Lúcia Chittó
Adaptado de: Matheus P. Jahn
*
Roteiro de estudo:
 Anatomia renal
 Função renal
 Formação de urina
 Filtração glomerular
 Clearance (Depuração)
 Mecanismos de transporte
 Função tubular 
 Reabsorção e secreção
 Sistemas de controle da função renal
 Regulação da pressão arterial 
*
- Localização
Anatomia Renal
*
Anatomia Renal
*
Unidade Funcional: néfron
*
Unidade Funcional: néfron
túbulo contorcido distal
1,2 milhões
*
Tipos de néfrons
 Cortical
 Justamedular
Glomérulos maiores \uf0e0 filtração mais intensa
Alças de Henle mais longas \uf0e0 concentração da urina
*
Glomérulo e cápsula de Bowman
Glomérulo:
 Enovelado capilar
 Células mesangiais \uf0e0 fagocitose, suporte, secretam prostaglandinas e citocinas, regulam o fluxo glomerular 
 Podócitos \uf0e0 Fendas de filtração \uf0e0 glicoproteina podocalixin
*
Glomérulo e cápsula de Bowman
*
Podócitos e Pedicelos
*
Função renal
 Regulação do equilíbrio hídrico e eletrolítico;
 Excreção de restos metabólicos;
 Excreção de substâncias bioativas;
 Regulação da pressão arterial;
 Regulação da produção de eritrócitos;
 Regulação da produção de Vitamina D;
 Gliconeogênese;
*
Formação de Urina
Produção de Urina
Excreção Urinária = filtração - reabsorção + secreção
 Filtração Glomerular
 Reabsorção Tubular
 Secreção Tubular
*
Filtração Glomerular
 Filtração depende de:
 tamanho e da carga da molécula;
 Substâncias filtradas podem:
 não ser reabsorvidas (metabólitos)
 parcialmente reabsorvidas (eletrólitos)
 completamente reabsorvidas (glicose,aas)
*
Filtração Glomerular
Filtração sem reabsorção nem secreção \uf0e0 TFG
Filtração + reabsorção
Filtração + secreção
*
 O filtrado é produzido na taxa de 125 ml/min ou 180 l/dia;
 Reabsorção hídrica de 99%;
 Função do glomérulo: permitir a passagem de moléculas pequenas e água e restringir a passagem de moléculas maiores:
 inulina: raio molecular 14 A e peso molecular 5000 daltons \uf0e0 filtrada
 mioglobina : 17000 daltons\uf0e0 não filtrada
 albumina : 36 A e 69000 dalons\uf0e0 não filtrada
Filtração Glomerular
*
 O filtrado atravessa:
 a parede capilar (fenestras)
 a membrana basal (glicoproteínas e colágeno)
 a camada mais interna de células (cápsula)
Filtração Glomerular
 Peneira molecular:
 tamanho 
 forma 	
 carga elétrica
*
*
Filtração Glomerular
Membrana de filtração
*
Filtração Glomerular
Processo de filtração:
 coeficiente de filtração (céls. mesangiais)
 diferença resultante da pressão hidrostática
 pressão coloidosmótica
 permeabilidade hidráulica das camadas de tecido que separam a luz do capilar e a luz da cápsula
*
Filtração Glomerular
*
Filtração Glomerular
A. Sem constrições
B. Constrição na AA
 Diminuição do FSR e da TFG;
C. Constrição na AE
 diminuição do FSR, aumento da TFG;
D. Constrição na AA e na AE
 Mantém-se a TFG, mas diminui bruscamente o FSR.
TGF = taxa de filtração glomerular
FSR = fluxo sangüíneo renal
*
Filtração Glomerular
Resumo dos determinantes diretos da TFG e fatores que à influenciam
Determinantes diretos da TFG:			Principais fatores que tendem a aumentar 
TFG = ( PHG - PHC - PC ) (levar em conta o Kf)		a magnitude do determinante direto
----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Coeficiente de Filtração		1. \uf0ad 	Área de superfície glomerular (devido ao 
Kf					relaxamento das células mesangiais glomerulares)
					Resultado: \uf0ad TFG
----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
PHG				1. \uf0ad	Pressão arterial renal
				2. \uf0af	Resistência da arteríola aferente (dilatação aferente)
				3. \uf0ad	Resistência da arteríola eferente (constrição eferente)
					Resultado: \uf0ad TFG
----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
PHC				1. \uf0ad	Pressão intratubular devido à obstrução do 
					túbulo ou do sistema urinário externo
					Resultado: \uf0af TFG
----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
PC				1. \uf0ad	Pressão oncótica do plasma sistêmico 
					Resultado: \uf0af TFG
___________________________________________________________________________________
TFG, taxa de filtração glomerular; Kf , coeficiente de filtração; PHG , pressão hidráulica no capilar glomerular; PHC , pressão hidráulica na cápsula de Bowman; PC , pressão coloidosmótica no capilar glomerular. Inversões nas setas também geram resultados contrários.
*
Filtração Glomerular
Causas das modificações:
Kf:
 Danos nos glomérulos, drogas e controle fisiológico;
PHG:
 Pressão arterial, pressões nas arteríolas (controle fisiológico);
PHC:
 Obstrução no túbulo ou no sistema urinário;
PC:
 Concentração de proteínas no plasma.
*
Filtração Glomerular
 trabalho cardíaco - força que impulsiona esse processo
*
Clearance (Depuração)
Clearance: remoção de uma substância do corpo.
	Geral (qualquer mecanismo) = taxa de depuração 	metabólica
	Renal = taxa de depuração renal
 Unidade: volume de plasma por tempo
 volume de plasma necessário por unidade de tempo para que uma substância X seja completamente eliminada pelos rins.
*
 Plasma [X] = 1 mg/dL
Cada dL de plasma carrega 1 mg de X, então 50 mL de plasma contém 0,5 mg de X
Taxa de excreção = 0,5 mg/min (0,5 mg são removidos do plasma por minuto)
Então a depuração de X = 50 mL/min
Isto é, precisa-se de 50 mL de plasma para que a substância X seja depurada.
Clearance (Depuração)
*
Medições
 TFG: 
 depuração da inulina: livremente filtrada, não é secretada nem reabsorvida. Depuração (quantidade de plasma necessário para remover toda inulina por unidade de tempo) é igual a TFG.
 depuração da creatinina: produção constante e não é reabsorvida, depuração próxima da TFG.
 FSR:
 depuração do PAH (ácido para-aminohipúrico): livremente filtrado, mais secretado. Praticamente tudo que chega no glomérulo é excretado.
*
Mecanismos de Transportes
*
Mecanismos de Transportes
Rota Transcelular:
1. Transporte ativo do Na na membrana basolateral;
2. Transporte do Na pelo gradiente de concentração acoplado com outras substâncias e água, na membrana luminal;
3. Transporte das substâncias pela membrana basolateral;
4. Transporte das substâncias para os capilares peritubulares.
*
Função Tubular
 O processo de transporte de uma substância do lúmen do túbulo para o sangue que envolve o túbulo é chamado de reabsorção tubular.
 Já o processo pelo qual as substâncias chegam ao túbulo, inverso à reabsorção, chama-se secreção tubular.
*
*
Função Tubular
 Reabsorção tubular:
 H2O;
 substâncias inorgânicas (Na+, Cl-, K+, Mg2+, Ca2+, etc.);
 substâncias orgânicas (glicose, aas, uréia, proteínas, etc.);
 Secreção tubular:
 produtos metabólicos endógenos (sulfatos, ác. úrico, etc.);
 substâncias exógenas (penicilina, diuréticos, etc.);
 Íons H+ e HCO3-;
*
Função Tubular
Tipos de transportes tubulares:
1. Reabsorção ativa
2,3. Reabsorção passiva (com ou sem modificações na molécula)
4. Secreção transcelular ativa
5. Secreção celular passiva
6. Secreção celular ativa
*
Função Tubular
Localização geral dos sistemas de transportes tubulares:
1. Reabsorção ativa
2 e 3. Reabsorção passiva
4. Secreção transcelular ativa
5. Secreção celular passiva
6. Secreção celular ativa
*
Função Tubular
Reabsorção de Na+: 
 ocorre em todos os segmentos do túbulo e no ducto coletor;
 o Na+ é ativamente bombeado para o interstício pela Na+-K+ ATPase.
Reabsorção de Cl-: 
 ocorre principalmente via paracelular obedecendo ao seu gradiente químico;
 sai das células passivamente por canais de Cl- basolaterais, ativados por ADH.
Reabsorção de água:
 ocorre por osmose, secundária à reabsorção de solutos, por ação do ADH
*
Função Tubular
 TCP
 Na+: 
 a) antiporte Na+/H+;
 b) simportes de Na+ (glicose,aas);
*
Função Tubular
 Alça de Henle
 Na+ e Cl-: 
 simporte
 Na+-2Cl--K+;
*
Função Tubular
TCD
 Na+ e Cl-: simporte Na+-Cl-;
*
Função Tubular
Ducto Coletor