Buscar

Atividade 3Manejo de Rejeitos e Estéreis de Mineração

Prévia do material em texto

Atividade de Envio
(Unidade 3)
	Professor:
	Jordana Saba
	
	
	Projeto:
	CEENG
	
	
	Data: 
	06/12/2020
	
	
	Versão:
	01
	
	
	Página 1 de 1
	Curso:
	Engenharia de Minas
	Disciplina: 
	Manejo de Rejeitos e Estéreis de Mineração
Olá, turma! 
A seguir são apresentadas questões discursivas sobre todo o assunto abordado até aqui. Para respondê-las, consultem o material didático fornecido, os materiais de apoio, as leituras e vídeos da sala de aula e dos estudos complementares.
Orientações:
· A atividade de envio da unidade 3 vale 20 pontos;
· As questões discursivas devem ser redigidas pelo aluno e devidamente referenciadas. As citações e referências devem seguir o que preconizam a ABNT NBR 6023 e a ABNT NBR 10520; 
· Atividades com altos índices de plágio, conforme Manual do Aluno, devem ser reprovadas;
· A atividade deve ser entregue em apenas um arquivo em formato .pdf, .docx ou similar.
Questão 01 (12 pontos)
Sobre os aspectos construtivos das barragens de rejeito, descreva os métodos apresentando as principais vantagens e desvantagens: 
a) Montante
Nesse método, o procedimento preliminar é a realização de um dique de partida de terra compactada ou enrocamento. O rejeito, em tal caso, é impelido a montante da periferia da crista por meio de canhões ou hidro ciclones, criando uma praia de deposição. Essa praia de deposição será aproveitada como fundação e oferecerá material para novos diques de alteamentos posteriores. Esse processo será reproduzido initerruptamente até que seja alcançada a cota total conjecturada para as barragens de rejeitos.
A construção das barragens através do método de montante tem como vantagens básicas: o baixo dispêndio de construção, ocupar uma área menor, uso de menos material, é mais simples e rápida a realização dos alteamentos, pouco uso de equipamentos geralmente executados pela equipe técnica do empreendimento.
Apesar de possuir algumas vantagens construtivas, o método montante não tem um alto controle construtivo, e isso influencia principalmente a segurança. O agravante nessas situações está associado ao ato de realizar os alteamentos com os materiais sem que estejam completamente consolidados. Logo, sob condição de saturação e com estado de compacidade fofo, esses materiais têm a propensão de terem baixa resistência ao cisalhamento e suscetibilidade à liquefação por carregamentos (dinâmicos e estáticos).
b) Jusante
A construção de barragens por esse método tem como fase inicial a execução de um dique de partida, que geralmente é de solo ou enrocamento que sofreu compactação, cujos próximos alteamentos serão executados à jusante do dique. Um processo que segue continuamente até que se atinja a cota final projetada. De acordo com a CEDEC-MG (2019), essa é a construção mais segura, pois é dotada de estruturas mais estáveis, pois cada alteamento é construído sobre o solo e não apenas sobre o rejeito gerado.
O Ibram (2016) cita algumas vantagens de utilizar o método de alteamento para jusante, tais como controlar o lançamento e compactação, não se constrói alteamento ou qualquer parte de barragem sobre o rejeito depositado com pouco espaço de tempo. Ainda podem ser instalados os sistemas para realizar a drenagem interna ao longo da construção da barragem e esses podem sofrer prolongamento no decorrer do seu alteamento, proporcionando o controle de linha de saturação no arcabouço da barragem e elevando sua estabilidade.
As barragens alteadas através do método jusante não possuem só vantagens. Para serem construídas, utilizam maiores volumes de material, têm maiores dispêndios, logados ao processo de ciclonagem ou mesmo suprimento de material.
Com este método, ainda é preciso dispor de maior área para o sistema de contenção, por causa do desenvolvimento da estrutura para jusante, devido ao acréscimo na altura.
 
c) Linha de Centro
As barragens de rejeitos construídas pelo método de linha de centro apresentam o comportamento estrutural mais próximo das barragens que se valem do método de jusante, considerando, assim, uma variação do método jusante, cujo alteamento da crista é feito na vertical. Primeiramente, é realizada a construção de um dique inicial (dique de partida) e, então, ocorre o lançamento periférico do material sobre o limite montante, formando a praia. O alteamento posterior é executado ao lançar os rejeitos sobre a praia previamente formada e sobre o talude jusante do dique inicial. Os alteamentos seguintes precisam ser coincidentes com este eixo ao longo da vida útil da construção, ou seja, o eixo da crista do dique de partida e dos demais diques de alteamento precisam ser coincidente.
Utilizando esse método é possível ter zonas de drenagem interna em todos os estágios do alteamento, possibilitando um controle da linha de saturação e ocasionando uma dissipação de poropressões, fazendo com que o método seja adequado para aplicações até em áreas com elevada sismicidade. No entanto, esse método possui algumas desvantagens, tais como necessidade de equipamento para deposição a jusante, operações complexas, investimentos podem ser altos, necessidade de hidrociclones.
Questão 02 (8 pontos)
Cite pelo menos quatro causas de acidentes relacionadas às fases de Projeto e às fases de Construção.
Fases de Projeto:
-Incorretas investigações de campo e de fundação 
-Caracterização inadequada do rejeito
-Falta de expertise no tema
-Falta de estudo do solo
Fases de Construção:
-Utilização de materiais inadequados 
-Falha no controle de qualidade 
-Propagação de falhas do projeto
-Mal execução do projeto

Outros materiais