A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
132 pág.
MERCADO DIGITAL AGORA TEM LEI Aprenda como adequar o seu negócio à LGPD - Lei Geral de Proteção de Dados

Pré-visualização | Página 1 de 28

1
2
INFORMAÇÕES GERAIS 
APRESENTAÇÃO DO CONTEÚDO
POR QUE VOCÊ DEVE LER ESTE LIVRO?
CAPÍTULO I 
INFORMAÇÕES GERAIS SOBRE O TEMA
 1. Por que é importante proteger dados pessoais? 
 2. O que são dados pessoais? 
 3. Que lei é esta? 
 4. Do que essa lei trata? 
 5.Por que essa lei foi criada no Brasil? 
 6. Quando a LGPD entrou em vigor? 
 7. Quais dados são protegidos pela LGPD? 
 8. Quais são os fundamentos desta lei? 
 9. A quais operações esta lei se aplica? 
 10. A quais operações esta lei não se aplica?
CAPÍTULO II 
CONCEITOS QUE VOCÊ PRECISA ENTENDER
CAPÍTULO III 
TRATAMENTO DE DADOS: O QUE VOCÊ PRECISA SABER
III.I – TRATAMENTO DE DADOS
 11. O que é tratamento de dados pessoais, de acordo com a LGPD?
 12.O que é preciso observar para tratar os dados?
 13. Quais princípios devem ser observados no tratamento de dados?
 14.. Em quais hipóteses pode ser realizado o tratamento de dados 
pessoais?
 15. Quais são as bases legais para o tratamento de dados pessoais?
 16.O que é legítimo interesse do controlador?
ÍN
D
IC
E
3
 17. Quais são as bases legais para o tratamento de dados pessoais 
sensíveis?
 19. Quais são as bases legais para o tratamento de dados de 
menores?
 20. É preciso consentimento para o uso de dados tornados 
públicos pelo titular?
 21. Qual a diferença entre o tratamento de dados pessoais comuns 
e sensíveis?
III.II - CONSENTIMENTO
 22. O que você precisa fazer para usar os dados de uma pessoa?
 23. Como deve ser esse consentimento?
 24. O controlador pode usar uma autorização geral que lhe 
permita tratar os dados de todas as formas que desejar?
 25. A utilização de pixels e cookies no site institucional ou na 
página de vendas também precisa de consentimento do titular 
dos dados?
 26. O que o controlador deve fazer quando desejar utilizar os 
dados para finalidade diversa da previamente autorizada?
 27. O controlador poderá utilizar os dados pessoais do titular sem 
o seu consentimento?
 28. A empresa pode vender sua base de dados ou sua lista de 
e-mails, telefone ou whatsapp?
 29. O que o controlador precisa fazer caso queira compartilhar seu 
banco de dados com outra empresa?
 30. Caso o titular negue ter dado autorização, a quem cabe provar 
que a mesma foi concedida?
 31. O consentimento do titular é por prazo determinado?
 32. Como o titular revoga o consentimento concedido ao 
controlador?
 33. Caso o titular revogue o consentimento para usar os seus 
dados, o que o controlador deverá fazer?
ÍN
D
IC
E
4
 34. Caso o titular revogue a autorização, como ficam os atos já 
praticados pelo controlador?
 35. Quando o controlador será obrigado a eliminar os dados do 
titular do seu banco de dados?
 36. O controlador pode ficar com os dados pessoais arquivados 
após o término do tratamento?
III.III – TRANSFERÊNCIA INTERNACIONAL DE DADOS
 
 37. O que é transferência internacional de dados?
 38. Em quais casos é permitida a transferência internacional de 
dados?
 39. Quais assuntos referentes à transferência internacional de 
dados serão objeto de regulamentação pela ANPD?
CAPÍTULO IV 
DIREITOS DO TITULAR DOS DADOS
 
 40. Quem são os titulares dos direitos previstos na LGPD?
 41. Quais são os direitos dos cidadãos com a entrada em vigor da 
LGPD?
 42. Caso o titular queira usar de qualquer dos direitos acima, como 
deverá proceder?
 43. O titular dos dados pode se opor ao tratamento dado pela 
empresa em relação aos seus dados?
 44. Caso qualquer desses direitos seja desrespeitado pelo 
controlador, o que o titular pode fazer?
 45. Caso o controlador receba um requerimento do titular acerca 
dos seus direitos, o que deverá fazer?
 46. É possível impugnar tratamento automatizado dos dados 
pessoais feito pelo controlador?
ÍN
D
IC
E
5
 47. O que acontece se o controlador não atende à solicitação do 
titular?
 48. Quais procedimentos devem ser adotados para o registro, 
perante à ANPD, de reclamações sobre o tratamento de dados 
pessoais em desconformidade com a LGPD?
 49. Quais providências podem ser adotadas pelo titular de dados 
no caso de recebimento de chamadas telefônicas frequentes 
oferecendo serviços ou produtos?
 50. Quais os impactos dos direitos dos titulares na sua empresa?
CAPÍTULO V 
AGENTES DE TRATAMENTO DE DADOS
 
 51. Quem são os agentes de tratamento?
 52. O que são os controladores?
 53. O que são os operadores?
 54. Quais as obrigações dos agentes de tratamento?
 55. Quais cuidados o controlador deve ter em relação ao operador?
 56. Quem é o encarregado pelo tratamento de dados pessoais?
 57. Toda empresa precisará ter um encarregado?
 58. O controlador deverá contratar um novo empregado para 
exercer a função de encarregado?
 59. Quais devem ser as características de um encarregado?
 60. Quais são as obrigações do encarregado no tocante ao âmbito 
externo da empresa (titular e ANDP)?
 61. Quais são as obrigações do encarregado no âmbito interno da 
empresa?
 62. O encarregado precisa ser empregado da empresa ou pode ser 
uma empresa contratada?
 63. Quais as responsabilidades do controlador e do operador?
ÍN
D
IC
E
6
 64. Existe alguma situação que exclui a responsabilidade dos 
agentes de tratamento?
 65. Quando mais de um controlador estiver envolvido no 
tratamento do qual decorram danos ao titular, a quem caberá a 
responsabilidade?
 66. O que é considerado tratamento irregular de dados pessoais?
 67. Podem ser encaminhados à ANPD documentos a serem 
revisados e aprovados pela autoridade?
CAPÍTULO VI 
SEGURANÇA DOS DADOS
 68. C omo os agentes de tratamento devem proteger os dados 
pessoais?
 69. Caso ocorra um incidente de segurança o que o controlador 
deve fazer?
 70. Como deverá ser feita a comunicação de sinistro?
 71. Caso ocorra um sinistro, quais medidas de poderão ser 
adotadas pela ANPD?
 72. Diante de um incidente de segurança, de que forma o 
controlador pode demonstrar sua boa-fé?
 73. O que são boas práticas e governança?
 74. Por que é importante para o seu negócio ter normas de boas 
práticas e governança?
 75. Como os titulares poderão ter acesso às regras de boas práticas 
e governança de um controlador?
CAPÍTULO VII 
SANÇÕES ADMINISTRATIVAS
 76. O que é sanção jurídica?
ÍN
D
IC
E
7
 77. O é sanção administrativa?
 78. Quais tipos de sanções administrativas estão previstas na lei?
 79. As sanções administrativas já estão valendo?
 78. Como serão aplicadas as sanções?
 79. Quais critérios a LGPD estabeleceu para a aplicação das 
sanções?
 80. Uma mesma infração pode gerar sanções administrativas, civis 
ou penais concomitantemente?
 81. A empresa que sofreu sanção administrativa também poderá ser 
condenada a pagar indenização por danos morais ao titular pela 
mesma infração?
 82. Como a Autoridade Nacional fará o cálculo da multa a ser 
aplicada?
 83. O que acontece se o controlador ou operador multado não 
pagar a multa aplicada?
 84. O que a ANPD fará com o valor arrecadado com as multas?
 85. Em alguma hipótese o controlador poderá entrar em acordo 
com o titular dos dados para se isentar da aplicação da 
penalidade?
CAPÍTULO VIII 
Autoridade Nacional DE PROTEÇÃO DOS DADOS
 86. O que é Autoridade Nacional de Proteção de Dados Pessoais?
 87. Qual é o papel da Autoridade Nacional de Proteção de dados?
 88. Quando a ANPD foi criada?
 89. Qual é a estrutura da ANPD?
 90. A ANPD é uma autoridade independente?
 91. A ANPD pode aplicar sanções pelo descumprimento da lei?
 92. A Autoridade Nacional de Proteção de Dados Pessoais se 
ÍN
D
IC
E
8
articula com outras entidades e órgãos públicos no exercício das 
suas competências?
 93. Qual é o perfil dos diretores da ANPD? Como eles são 
escolhidos?
 94. Para que serve o Conselho Nacional de Proteção de Dados 
Pessoais e da Privacidade – CNPD?
 95. Como serão escolhidos os membros do CNPD?
 96. Como ocorrerá a participação da sociedade nos trabalhos da 
ANPD?
 97. As pessoas físicas

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.