A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
161 pág.
Tomografia Computadorizada e Protocolos dos Exames

Pré-visualização | Página 1 de 24

TECNOLOGIA EM RADIOLOGIA 
 
Tomografia 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Material didático compilado e 
adaptado de outras fontes por 
PAULO ROBERTO PREVEDELLO 
com o objetivo único de orientar o 
estudo dos alunos do 6º período 
da disciplina de Tomografia 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
2014 – 2º Semestre 
 
Notas de aula adaptadas de outras fontes pelo Prof Paulo Roberto Prevedello - pauloprevedello@gmail.com Pag. 2 
DEFINIÇÃO 
Do grego tome, corte + graphein, escrever. 
Tomografia significa imagem em tomos ou em planos. É um método de diagnostico 
por imagem que combina o uso de raios-x obtidos por tubos de alta potencia com 
computadores especialmente adaptados para processar grande volume de informação e 
produzir imagens com alto grau de resolução. 
Uma imagem de Raios X normal é plana, sendo que o paciente fica posicionado entre o 
tubo ou ampola que emite Raios X e o filme fotográfico que receberá esses raios. O que se 
obtém é uma projeção em duas dimensões do interior do corpo do paciente. 
 
Imagens: Merrill Atlas Posiciones Radiograficas Procedimientos Radiologicos 
Nas máquinas de tomografia a ampola que emite os Raios X gira totalmente em volta 
do corpo do paciente e à medida que gira, emite Raios X em 360° graus, ou seja, fazendo 
uma circunferência completa em torno do paciente. 
Na TC os Raios-X são concentrados num feixe estreito que passa apenas por uma 
pequena parte (fatia) do corpo. Ao contrário da tomografia linear, onde a imagem de um corte 
fino é criada mediante borramento da informação de regiões indesejadas, a imagem da TC é 
construída matematicamente usando dados originados apenas da seção de interesse. 
 A reconstrução da imagem final pode ser realizada em qualquer plano: axial, coronal e 
sagital. 
 Im
ag
em
: I
n
te
rn
e
t 
 
Notas de aula adaptadas de outras fontes pelo Prof Paulo Roberto Prevedello - pauloprevedello@gmail.com Pag. 3 
VANTAGENS EM RELAÇÃO À RADIOGRAFIA CONVENCIONAL 
A TC tem três vantagens gerais importantes sobre a radiografia convencional. 
A primeira é que as informações tridimensionais são apresentadas na forma de uma 
série de cortes finos na estrutura interna da parte em questão. Como o feixe de raios-x está 
rigorosamente colimado para aquele corte em particular, a informação resultante não é 
superposta por anatomia sobrejacente. 
 
A segunda é que o sistema é mais sensível na diferenciação de tipos de tecido quando 
comparado com a radiografia convencional, de modo que diferenças entre tipos de tecidos 
podem ser mais claramente delineadas e estudadas. A radiografia convencional pode 
mostrar tecidos que tenham uma diferença de pelo menos 10% em densidade, enquanto a 
TC pode detectar diferenças de densidade entre tecidos de 1% ou menos. 
 
Uma terceira vantagem é a habilidade para manipular e ajustar a imagem após ter sido 
completada a varredura, como ocorre de fato com toda a tecnologia digital. Essa função 
inclui características tais como ajustes de brilho, realce de bordos e zoom (aumentando 
áreas especificas). 
 
http://bucomaxilofacialdabahia.blogspot.com.br/2011/06/sinais-clinicos-e-tomograficos-de.html 
Im
ag
en
s:
 In
te
rn
et
 
http://bucomaxilofacialdabahia.blogspot.com.br/2011/06/sinais-clinicos-e-tomograficos-de.html
 
Notas de aula adaptadas de outras fontes pelo Prof Paulo Roberto Prevedello - pauloprevedello@gmail.com Pag. 4 
HISTÓRICO DA TOMOGRAFIA 
Tomografia linear: 
A tomografia computadorizada foi desenvolvida a partir da tomografia linear ou 
planigrafia, que consistia em obter as radiografias durante um movimento sincronizado do 
tubo e do chassi. Como o fulcro, ou ponto de interesse, ficava fixo, tínhamos o “borramento” 
das imagens adjacentes, isolando desta forma a área a ser examinada. 
 
 
O princípio básico: 
Enquanto as técnicas radiológicas convencionais produzem imagens somadas de um 
objeto, varredores tomográficos giram para dividir um objeto e organizá-lo em seções de 
imagens paralelas e espacialmente consecutivas (cortes axiais). 
Simplificadamente, o tomograma é gerado a partir de um feixe de raios X estreito e um 
detector montado no lado diametralmente oposto. Como o cabeçote e o detector estão 
conectados mecanicamente, eles se movem de forma síncrona. 
 Im
ag
en
s:
 In
te
rn
et
 
Im
ag
en
s:
 In
te
rn
et
 
 
Notas de aula adaptadas de outras fontes pelo Prof Paulo Roberto Prevedello - pauloprevedello@gmail.com Pag. 5 
Já no final da década de 1950, os componentes para a construção de um TC estavam 
disponíveis para médicos e engenheiros. Porém, somente em 1967, o processo tomográfico 
como um todo foi apresentado pelo engenheiro britânico Godfrey Hounsfield. 
Em 1972 Hounsfield, construiu o primeiro aparelho médico comercial de tomografia 
computadorizada de raios X para a companhia EMI Ltda. sob a forma de um scanner 
somente de cabeça com um tubo de raios X convencional e um sistema de detectores em 
dupla fileira, movendo-se em torno do paciente. 
Ele conseguiu adquirir 12 cortes, cada um com uma espessura de corte de 13 mm, e 
reconstruir as imagens com uma matriz de 80 x 80 pixel em aproximadamente, 35 minutos. 
 Outro que ajudou no desenvolvimento do tomógrafo computadorizado foi o sul-africano 
Allan M. Cormack, que desenvolveu a matemática necessária para a reconstrução das 
imagens tomográficas. 
 
Quando o conjunto cabeçote-detector faz uma translação ou rotação em torno do 
paciente, as estruturas internas do corpo atenuam o feixe de raios X de acordo com a 
densidade e número atômico de cada tecido. 
No final da translação ou rotação o conjunto cabeçote-detetor retorna para a posição 
inicial, a mesa com o paciente se movimenta em alguns milímetros, e o tomógrafo começa 
uma nova varredura. Este processo é repetido inúmeras vezes, gerando uma grande 
quantidade de dados. 
Os dados obtidos, intensidade de raios X ou valores de atenuação, a posição da mesa 
e a posição do cabeçote na obtenção dos dados, são armazenados num computador. 
Através de equações matemáticas aplicadas sobre estes valores, torna possível a 
determinação de relações espaciais entre as estruturas internas de uma região selecionada 
do corpo humano. 
O tomograma calculado, ou seja, a imagem apresentada na tela consiste-se numa 
matriz de valores de atenuação. Visualmente, para o diagnóstico, os valores de atenuação 
são apresentados na forma de tons de cinza, criando assim uma imagem espacial do objeto 
varrido. 
Hounsfield Cormack Im
a
g
e
n
s
: 
In
te
rn
e
t 
 
Notas de aula adaptadas de outras fontes pelo Prof Paulo Roberto Prevedello - pauloprevedello@gmail.com Pag. 6 
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO DO CONTEÚDO 
1. Conceitue o termo Tomografia: 
2. Quais as três principais vantagens da tomografia em relação à radiologia 
convencional? 
3. Descreva o princípio básico da tomografia linear ou planigrafia: 
4. Qual o nome do engenheiro britânico idealizador do tomógrafo computadorizado e 
do matemático sul africano que desenvolveu o algoritmo matemático para a reconstrução 
das imagens? 
5. Qual a principal lei da física usada na tomografia computadorizada. 
 
RESPOSTAS 
1. 
– Tomografia significa imagem em tomos ou em planos. É um método de diagnostico 
por imagem que combina o uso de raios-x obtidos por tubos de alta potencia com 
computadores especialmente adaptados para processar grande volume de informação 
e produzir imagens com alto grau de resolução. 
2. 
- 1ª vantagem: a imagem final não apresenta superposição de estruturas. 
- 2ª vantagem: maior sensibilidade na diferenciação dos tecidos e estruturas. 
- 3ª vantagem: facilidade de manipular e alterar a imagem, mesmo após a varredura. 
3. 
– As radiografias são obtidas durante um movimento sincronizado do tubo e do chassi, 
em redor de um ponto ou fulcro fixo, ocorrendo o borramento das imagens adjacentes. 
4. 
– O engenheiro britânico chama-se Hounsfield e o matemático sul africano