A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
13 pág.
Estudo de Caso - Patologias Causadas pela Umidade

Pré-visualização | Página 1 de 1

PATOLOGIAS EM IMÓVEL POR AUSÊNCIA DE IMPERMEABILIZAÇÃO -
ESTUDO DE CASO: EDIFICIO NA CIDADE DE MANAUS 
ESTUDO DE CASO
Eric Lecard Kakuda – RA 818115774
Felipe Sansone – RA 818112226
Matheus Guinati Balloni – RA 821132714
Matheus Gallé de Brito - RA 822137198
Fábio Maciel Freire – RA 81814665
1ª patologia: Corrosão das armaduras
• Definição: é um processo eletroquímico devido a umidade e oxigênio juntos
• Causas: O lançamento do concreto, a partir de certa altura, sem cuidados extras, pode conduzir à
sua segregação, principalmente na base dos pilares. O resultado é a menor concentração de pasta
e maior concentração de agregados neste espaço. Isso leva ao surgimento de uma região com
concreto mais pobre e outra com concreto mais rico em cimento. O local mais pobre é justamente
a base do pilar, onde existe maior tendência à corrosão.
2ª patologia: Carbonatação no concreto
• Definição: fenômeno ocasionado pelas reações químicas entre CO2 (gás carbônico), presentes na 
atmosfera, com os produtos da hidratação do cimento, formando um composto chamado ácido 
carbônico (H2CO3).
• Causas: Ausência de impermeabilização deixou a estrutura exposta à umidade, ocasionando a 
diminuição do pH do concreto e a despassivação da armadura, com princípio de corrosão, 
gerando fissuras e desplacamento do concreto.
3ª patologia: Eflorescência
• Definição: surgimento de depósitos salinos brancos sobre a superfície que pode levar à degradação 
do concreto.
• Causas: excesso de água no traço do concreto, impurezas presentes nos agregados, fissuras e vazios
na impermeabilização que permitem a infiltração de água nos poros do concreto que dissolvem os
sais do cimento e da cal.
4ª patologia: Fissuras
• Definição: aberturas superiores a 0,6mm em qualquer situação.
• Causas: variação de umidade e de temperatura que causou danos ao revestimento. Houve 
movimentação da estrutura e não foi utilizado o tipo de impermeabilização correta para resistir a 
esses esforços.
5ª patologia: Bolor
• Definição: crescimento de fungos, geralmente pretos, marrons e verdes, podendo gerar doenças 
respiratórias.
• Causas: falta de impermeabilização adequada, excesso de umidade e pouca ventilação facilitou a
proliferação de fungos na estrutura.
6ª patologia: Disgregação do concreto
• Definição: ruptura do concreto
• Causas: ruptura e destacamento superficial do concreto, principalmente nas partes salientes da
estrutura devido a expansão provocada pela corrosão de armaduras, deformação devido cargas
excessivas, congelamento de águas retidas devido impermeabilização ineficaz.
Impermeabilização
A impermeabilização é uma das etapas mais importantes de qualquer obra.
A atenção às normas técnicas, especificações e compatibilização dos projetos e a correta execução de
atividades relacionadas à impermeabilização, irão garantir à edificação o aumento de sua vida útil, a
segurança em sua utilização e a salubridade dos ambientes.
Problemas decorrentes de falhas no processo de impermeabilização podem ser extremamente graves
quando estão relacionados à estrutura da construção.
Dependendo da gravidade e extensão, problemas causados por falhas de impermeabilização pode
apresentar soluções difíceis e caras, uma vez que geralmente envolvem retrabalho e recomposição das áreas
afetadas.
O projeto de impermeabilização é fundamental e deve levar em consideração: dimensionamento correto do
sistemas e materiais empregados, compatibilização e interferência com demais projetos executivos,
detalhamento técnico e sequencial das atividades da obra.
Soluções Indicadas – Corrosão/Carbonatação/Disgregação
Retirar todo o concreto deteriorado até que se obtenha a exposição completa de uma superfície do 
concreto intacto.
Toda corrosão aderida às superfícies das barras das armaduras deverá ser completamente retirada 
antes que sejam colocados os materiais de reparo. Para a eliminação da corrosão é necessária uma 
limpeza rigorosa, utilizando lixas ou jatos de areia.
Preencher a área com argamassa de reparo e dar acabamento à superfície.
Realizar a proteção da área afetada com a aplicação de produtos hidrofugantes e bloqueadores de 
poros, que previnem a absorção de água e reagem com os componentes do concreto, formando uma 
camada menos porosa, mais resistente à penetração de água. Esses produtos de proteção de 
superfície tendem a elevar a vida útil do concreto armado.
Soluções Indicadas – Corrosão/Carbonatação/Disgregação
Avaliação das armaduras nas áreas danificadas para decidir se a necessidade de reforço estrutural 
pontual ou troca completa na região afetada.
Verificação da impermeabilização em áreas adjacentes ao locais que apresentam patologias (ex.: 
lajes superiores) 
Tratamento das juntas de dilatação.
Soluções Indicadas – Eflorescências
Limpeza com ácido acético (Para casos superficiais)
Recomposição dos locais afetados, empregando aditivos impermeabilizantes que fazem com que a 
argamassa e o concreto absorvam menos água;
Utilização de materiais impermeabilizantes sobre substratos com argamassa de revestimento sem 
cal
Análise do concreto empregado para confirmar as informações do traço e classe de agressividade 
do concreto.
Soluções Indicadas – Fissuras
Retirada de amostra para inspeção do concreto
Revisão do traço utilizado
Reforço na camada de impermeabilização, utilizando materiais com maior elasticidade
Recomposição da área afetada
Soluções Indicadas – Bolor
Retirada das camadas afetadas
Secagem da área com bolor
Tratamento e impermeabilação
Recomposição da área afetada

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.