direito civil aula 7 power pont

direito civil aula 7 power pont


DisciplinaIntrodução ao Direito I86.499 materiais502.215 seguidores
Pré-visualização1 página
Clique para editar o estilo do título mestre
Clique para editar o estilo do subtítulo mestre
*
*
*
AULA 7
OBRIGAÇÃO SOLIDÁRIA
*
*
*
CONCEITO
Para Caio Mário, \u201ca concorrência de pluralidade subjetiva e unidade objetiva é da essência da solidariedade que numa obrigação em que concorram vários sujeitos ativos ou passivos haja unidade de prestação, isto é, cada um dos credores tem o poder de receber a dívida inteira, e cada um dos devedores tem a obrigação de solvê-la integralmente\u201d.
*
*
*
SOLIDARIEDADE E INDIVISIBILIDADE
A origem da obrigação solidária é puramente técnica (art. 265, CC).
Informativo 481: Diferenciação entre obrigação indivisível e obrigação solidária.
1. Relação objetiva X Relação subjetiva;
2. A morte faz cessar a solidariedade, enquanto a indivisibilidade subsistirá enquanto a prestação a suportar;
3. Conversão da obrigação em perdas e danos faz cessar a indivisibilidade, subsistindo a solidariedade.
*
*
*
OBRIGAÇÃO SOLIDÁRIA ATIVA
Não há no Código Civil qualquer texto que a institua, só restando a vontade ou a legislação esparsa como fonte geradora.
O pagamento feito a qualquer credor, antes da prevenção judicial, tem poder liberatório (art. 268, CC).
Efeitos da decisão em relação aos credores que não participaram do processo (art. 274, CC).
*
*
*
OBRIGAÇÃO SOLIDÁRIA PASSIVA
Possibilidade de opção de demanda pelo credor (art. 275, CC).
Possibilidade de chamamento ao processo dos demais devedores solidários (art. 77, III, CPC).
Enunciado 348 da IV Jornada de Direito Civil.
O p. único do art. 275, CC impede a supressio.
Responsabilidade pelas perdas e danos (art. 279, CC).
*
*
*
REMISSÃO
Na solidariedade ativa opera-se a extinção da obrigação (art. 272, CC).
Na solidariedade passiva opera-se a extinção até a concorrência da quantia remitida (art. 277, CC).
*
*
*
RENÚNCIA
A renúncia à solidariedade passiva não deve ser confundida com a remissão da dívida, pois exonerado um ou mais devedores, subsistirá a solidariedade em relação aos demais codevedores (art. 282, CC).
Enunciado 350 da IV Jornada de Direito Civil: \u201cA renúncia à solidariedade diferencia-se da remissão, em que o devedor fica inteiramente liberado do vínculo obrigacional inclusive no que tange ao rateio da quota do eventual codevedor insolvente, nos termos do art. 284, CC\u201d.
*
*
*
MORTE
Na solidariedade ativa os herdeiros do credor podem exigir a totalidade da dívida em conjunto, mas individualmente só poderão receber sua respectiva quota parte (art. 270, CC).
Na solidariedade passiva os herdeiros do devedor devem pagar a totalidade da dívida em conjunto, mas individualmente só deverão pagar de acordo com suas respectivas quotas partes, sempre dentro das forças da herança (art. 276, CC).
*
*
*
CONTRATO DE LOCAÇÃO E FIANÇA
A solidariedade entre locadores e locatários pela Lei 8.245/91.
O benefício de ordem e a possibilidade de sua renúncia.
A sub-rogação do fiador (arts. 831; 346, III; 285, CC).
A responsabilidade solidária dos fiadores.