Buscar

SEMIOLOGIA APLICADA NA FISIOTERAPIA

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você viu 3, do total de 29 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você viu 6, do total de 29 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você viu 9, do total de 29 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Prévia do material em texto

1 
 
 
 
 
 
 
 
UNIVERSIDADE PAULISTA – UNIP 
 
 
 
 
 
 
 
RELATÓRIO DE AULAS PRÁTICAS 
 
 
 CURSO: Fisioterapia DISCIPLINA: Semiologia Aplicada a Fisioterapia 
 
NOME DO ALUNO: Elaine Cristina de Oliveira Lino 
 
R.A: 2295043 POLO: São Paulo - Lapa 
 
DATA:31/03/2023 
 
2 
 
 
TÍTULO DO ROTEIRO: SEMIOLOGIA APLICADA NA FISIOTERAPIA 
 
INTRODUÇÃO: semiologia é o estudo de sinais e sintomas ou condição (livro 
texto). Através de uma boa avaliação conseguimos coletar sinais e sintomas que o 
paciente nos relata. Identificamos melhora o piora no quadro do paciente. Através da 
anamnese, medicina baseada em evidencia, pratica baseada em evidencia, exames 
complementares, indicadores de testes diagnósticos, raciocínio clinico (livro texto) 
A semiologia aplicada na fisioterapia é uma importante ferramenta para o 
diagnóstico e tratamento de pacientes com disfunções musculoesqueléticas. Através 
de uma avaliação detalhada e sistemática, o fisioterapeuta é capaz de identificar 
alterações estruturais, funcionais e biomecânicas do paciente, que ajudam a orientar 
o tratamento. 
A avaliação semiológica na fisioterapia geralmente começa com a história 
clínica do paciente, na qual são coletadas informações sobre os sintomas, duração e 
intensidade da dor, bem como informações sobre a saúde geral do paciente. Em 
seguida, são realizados testes físicos, que incluem testes de força, amplitude de 
movimento, flexibilidade, estabilidade articular, equilíbrio e coordenação. 
A avaliação física também inclui a inspeção visual do paciente, que permite ao 
fisioterapeuta avaliar a postura, a simetria, a forma e a aparência do corpo. Palpações 
podem ser realizadas para avaliar a presença de dor, espasmos musculares, edema 
e pontos de gatilho. 
O uso de testes especiais também é comum na semiologia aplicada na 
fisioterapia. Esses testes são específicos para cada articulação e avaliam a presença 
de lesões ou disfunções nas estruturas articulares. Alguns exemplos de testes 
especiais incluem o teste de rockwood para o ombro, teste de Cozen para o cotovelo, 
teste de finkeistein para a mão, teste de McMurray para o joelho, o teste de Thomas 
para o quadril e teste de Adson para coluna e muito mais que vimos no decorrer das 
aulas práticas. 
Nas aula pratica entendemos que os eixos são as linhas sobre as quais o 
movimento ocorre. São eles: eixo sagital, coronal e longitudinal. Os planos são 
 
3 
 
referências que derivam das dimensões no espaço. São eles: plano sagital, coronal e 
transverso (livro texto). 
Aprendemos também que a goniometria é o processo de medição da amplitude 
de movimento (ADM) que cada articulação do corpo é capaz de realizar. A medida é 
realizada pelo goniômetro, aparelho específico para a mensuração dos ângulos de 
movimentação das articulações (livro texto). 
A articulação do ombro é o ponto de união entre a cavidade glenoide da 
escapula e a cabeça do úmero. É uma articulação esferoide sinovial, que permite 
grande amplitude de movimento para os membros superior. Sua estrutura anatômica 
são composta por três articulação em diartroses: glenoumeral, acromioclavicular, 
esternoclavicular. Os músculos do manguito rotador e os músculos circundantes que 
agem movimentando os ombros e os braço. (Abrahams 2009) 
A articulação do cotovelo é do tipo gínglimo ou dobradiça, entre a extremidade 
inferior do úmero e a extremidade superior da ulna e do rádio, na qual os únicos 
movimentos permitido são a flexão e a extensão. (Abrahams 2009). 
As articulações do punho e da mão são: radioulnar distal, a radiocarpeana, 
Carpometacárpica, Metacarpofalangiana, Interfalangeana. Elas permitem 
movimentos de adução, abdução, flexão, extensão e deslizamento. Em conjunto, são 
responsáveis pela movimentação do punho e dos dedos. (Livro texto). 
Os nervos do braço inervam a pele e os músculos do antebraço e da mão. Os 
quatro nervos principais do braço são :nervo radial, nervo ulnar, nervo mediano e 
nervo musculocutânio. (Abrahams2009) 
A articulação do quadril é formada pela articulação da cabeça arredondada do 
fêmur e o acetábulo da pelve em forma de taça. Ela faz a ligação principal entre os 
ossos do membro inferior e o esqueleto axial do tronco e da pelve. Esta articulação e 
capaz de realizas uma grande amplitude de movimento, composto por três principais 
ligamentos; iliofemoral, pubofemoral e isquiofemoral. (Abrahams2009). 
A articulação do joelho é uma articulação sinovial que conecta três ossos: o 
fêmur, a tíbia e a patela. É uma complexa articulação em dobradiça formada por duas 
articulações: a articulação tibiofemoral e a articulação patelofemoral. 
A articulação do tornozelo é formada pela união dos ossos da perna – tíbia e 
fíbula – e o osso do talo (um grupo de ossos conhecidos coletivamente como tarso, 
 
4 
 
localizado no pé). Juntos, esses três ossos formam uma articulação sinovial que 
permite a flexão plantar e a flexão dorsal do pé. 
As vértebras estão ligadas entre si por 2 tipos de articulações: disco- vertebrais 
e as interapofisárias. As disco-vertebrais são articulações cartilaginosas formadas 
pelos corpos e discos intervertebrais, sendo especialmente adaptadas e amortecer e 
redistribuir o peso. 
Articulação temporomandibular representa o contato entre a mandíbula e o 
osso temporal na base do crânio. É uma articulação sinovial, que garante amplos 
movimentos como os da mastigação. 
 
 Aula 1, roteiro 1 disciplina: semiologia aplicada na fisioterapia 
Título da aula: semiologia do complexo articular dos ombros e do 
cotovelo 
No dia 11 de março iniciamos as aulas pratica de semiologia do complexo dos 
ombros e cotovelo com a professora Dra. Sandra Atayde 
Começamos a entender sobre os planos e eixo e o seu movimentos. 
Os movimentos articulares ocorrem em três plano :sagital, frontal e transversal 
(Marques, Amélia Pasqual 2014) 
Fizemos a palpação dos ombros e identificamos os ossos, articulação e 
músculos. 
Tivemos como modelo uma colega que tinha a dificuldade de pentear os 
cabelos. E verificamos com as técnicas de avaliação que ela tinha um encurtamento 
no musculo subescapular que faz parte dos músculos que compõem o manguito 
rotador. Aprendemos a usar o goniômetro nas aulas. 
 
 Movimento anatômico medido com o goniômetro 
Flexão 0 a 180 
 
5 
 
 
 
Extensão 0 a 45 
 
(Autoria própria) 
 Adução 0 a 45. 
Rotação interna 0 a 70.Rotação externa 0 a 90 
Na perimetria medimos o ombros da nossa colega, em duas regiões, sendo 
uma 5 cm abaixo do acrômio e a segunda 5 cm acima do epicôndilo. 
 
Na avaliação de teste muscular entendemos que; 
No grau 0 ausente -- não a esbouço de contração muscular. 
No grau 1 mínima -- não consegue movimento, mas a esbouço de contração. 
No grau 2 fraca -- tira a ação da gravidade e ver se o paciente consegue se 
contração. 
No grau 3 regular-- o paciente consegue contração com gravidade 
No grau 4 boa -- o paciente consegue contração com leve gravidade 
No grau 5 normal – o paciente consegue contração com grande gravidade 
 
6 
 
 
 Grau 4 
 
 (Autoria própria) 
Teste de apreensão e para avaliar se a lesões ou luxação anterior do ombro 
Teste de Rockword e para avaliar sintomas de instabilidade anterior 
 
(Autoria própria) 
Teste de deslizamento acromoclavicular. 
Nesse teste identificamos na nossa colega que o seu acromoclavicular direito 
não tinha muito movimento igual a esquerdo 
 
(Autoria própria) 
 
7 
 
Teste de Yergason avalia a ruptura do ligamento umeral transverso. 
 Teste de speed avaliar tendinites ou lesões parciais do tendão da 
Cabeça longa do bíceps 
Teste de Jobe avalia a lesão do músculo Supraespinhal e a síndrome do 
impacto 
Teste de Hawkis-kennedy para avaliar o impacto subacromial 
(Autoria própria) 
Região e articulação do cotovelo 
Iniciamos com a palpação emnos mesmo para sentir os epicôndilo lateral e 
medial, olecrano, sulco do nervo ulnar e o tendão do tríceps. 
 
 A avaliação da mobilidade articular do cotovelo 
 
( https://ortopediaeombro.com.br/rigidez-cotovelo/ ) 
 
No goniômetro o cotovelo possui amplitude de movimento de cerca de 0 – 10 
graus de hiperextensão e 145 graus de flexão e 90 graus de pronação e 90 graus de 
supinação. 
 
8 
 
 
Hiperextensão extensão flexão 
 
(Autoria própria) 
Aplicamos o teste de forca muscula nos extensores e flexores. 
Testes especiais. 
 Teste de estresse em valgo avaliar a instabilidade do ligamento colateral 
medial do cotovelo. 
 
9 
 
(Autoria própria) 
 
Teste de estresse em varo avalia a integridade do ligamento colateral lateral 
ulna. 
Se esse movimento acontece em uma excursão excessiva o ligamento pode 
está rompido o teste e positivo. 
(Autoria própria) 
Teste de Cozen avaliar a presença de epicondilite lateral. 
 Teste de epicondilite medial e se assemelha ao teste de Mill. 
 Teste de Tinel avalia a sensibilidade do nervo ulnar, podendo identificar lesões 
locais. 
Sinal de Wartenberg indica neuropatia do nervo ulnar. 
 
 Aula 2, Roteiro 1 Disciplina: semiologia aplicada na fisioterapia 
Título da aula: semiologia do complexo articular do punho e mão. 
 
 
10 
 
Na aula dois entendemos como fazer uma avaliação com uma ficha de 
avaliação com a nossa colega que sentia muita dor na mão na parte anterior do 
polegar. 
Coletamos os dados pessoais, histórico clinico, queixa principal (mão), historio 
(hmp/hma) exame clinico e observações gerais. 
 
(Autoria própria) 
 
Goniométrica do punho flexão 0º a 90º. 
 
(Autoria própria) 
 Extensão 0º a 70º 
 
11 
 
 
(Autoria própria) 
Desvio radial 0º a 20º. Desvio ulnar 0º a 45º 
 
(Autoria própria) 
 
Avaliação de força do flexores e extensores do punho. 
 
(autoria propria) 
 
Testes especiais 
 
12 
 
Teste de Finkelstein avaliar a presença de tenossinovite de De Quervain 
 
 
 
 
 
 
Teste de Phalen avaliar a presença de síndrome do túnel do carpo 
( autoria propria) 
 
Teste de pinça avalia a integridade do nervo interósseo anterior, que é um ramo 
do nervo mediano que passa entre as duas cabeças do pronador redondo. 
 
Região articular do quadril 
 
Movimentos das articulacão do quadril 
Flexão 0 – 125 
 
13 
 
( autoria propria) 
 
 
Abdução 0 – 15 
(autoria propria) 
Adução 0 – 45 
(autoria propria) 
Extensão 0 – 10 
 
14 
 
(Autoria propria) 
 
 
Rotação interna 0 – 45 
(Autoria propria) 
 
Rotação externa 0 – 45 
 
15 
 
(Autoria propria) 
 
Perimetria medir a massa muscular 
(Autoria propria) 
 
 
Goniometria dos flexores do quadril 0 – 125 
(Autoria propria) 
 
Rotação interna 0 – 45 Rotação externa 0 – 45 
 
16 
 
 (Autoria própria) 
 
Testes especiais 
Sinal de Trendelenburg indica fraqueza do músculo glúteo médio durante a 
sustentação de peso unilateral 
(Autoria própria) 
Teste de Fadir rotação interna da flexão-adução serve para avaliar a possível 
presença de patologia intra-articular. 
Teste de Patrick/Fabere teste de triagem para disfunção em muitos lugares, 
flexão, abdução e rotação externa. Testa articulação sacrilíaca e também para 
disfunções do quadril ou espasmo do iliopsoas. 
 
Teste log roll 
 
17 
 
 
 
(Autoria própria) 
 
Teste de Thomas original foi projetado para testar a flexibilidade do complexo 
do iliopsoas 
Teste de Obe avaliar a rigidez do trato iliotibial e do tensor da fáscia lata 
 
 
Aula 3, Roteiro 1 Disciplina: semiologia aplicada na fisioterapia 
Título da aula: semiologia do complexo articular do joelho, do tornozelo e 
do pé. 
 
Região articular do joelho. 
 
18 
 
O joelho se movimenta em articulação gínglimo ou dobradiça. Na avaliação de 
joelho, se estiver a flexão e extensão integro a rotação também estarão. 
O joelho tem dois graus de liberdade flexão e extensão no plano sagital e eixo 
latolateral. Na palpação o ideal que esteja com o joelho fletido. Localiza a borda porção 
lateral e medial, borda superior e inferior da patela os meniscos, linha articular do 
joelho tuberosidade da tíbia. O grupo muscular do quadríceps reto femoral, vasto 
medial, vasto lateral, vasto intermédio eles se uni e atravessa a patela e formal o 
ligamento patelar inserido na tuberosidade da tíbia, é uma região muito importante a 
ser palpada. Palpar ao redor da patela a gordura de roffa. 
Grupo muscular quadríceps 
 
(Autoria própria) 
A patela tem que deslizar da movimento de extensão e flexão. 
Com a coxa relaxada em extensão apoiada conseguimos senti a mobilidade da 
patela do nosso paciente. 
Os tendões dos músculos isquitibiais ficam na parte posterior da coxa e podem 
ser palpados posteriormente ao joelho eles e são responsáveis por realizar a flexão 
do joelho (dobrar o joelho para trás). 
Goniométrica 
Flexão 0 a 140 graus. 
 
19 
 
 
(Autoria própria) 
 
 No teste de força muscular avaliamos os flexores do joelho em decúbito 
ventral, os principais flexores os isquitibiais contra a gravidade com e sem resistência. 
Testes especiais: 
 Gaveta anterior, é uma manobra de exame físico usada para avaliar a 
integridade do ligamento cruzado anterior (LCA) em uma suspeita de sua lesão. O 
teste é utilizado para avaliar a translação anterior da tíbia em relação ao fêmur. 
 Lachman é um teste de movimento acessório passivo do joelho realizado 
para identificar a integridade do ligamento cruzado anterior (LCA). O teste é projetado 
para avaliar a instabilidade do plano único e sagital. 
 Pivot shift Teste para avaliar a integridade do ligamento cruzado anterior. 
 Gaveta posterior avalia o ligamento cruzado posterior 
 Sinal de Godfrey detecta frouxidão do LCP. 
 McMurray avaliação de lesões meniscais. 
 Dial test. com o objetivo de verificar a integridade do LCP e CPL do joelho, 
 
 
 
Região articular do tornozelo e do pé. 
 
 
20 
 
Localizamos no início na palpação o calcâneo, cuboide e o quinto metatarso na 
lateral, palpamos o musculo tibial anterior 
O tornozelo é fixado por ligamentos, que ajudam a estabilizar esta importante 
articulação de suporte de peso 
O tornozelo é a articulação entre as extremidades inferiores da tíbia e da fíbula 
e a face superior do grande osso tálus. Ela é um exemplo de articulação dobradiça 
 
 Perimetria 
 Marcando 7 cm abaixo da linha média articular do joelho e 7 cm acima do 
maleolomedial. 
(Autoria própria) 
Goniométrica 
Flexão plantar (autoria própria) 
 
 
 Dorsiflexão 
 
21 
 
(Autoria própria) 
 Inversão 
(Autoria própria) 
Eversão 
(Autoria própria) 
 
Testes de músculos e funções 
Flexores plantares 
 
22 
 
Dorsiflexores 
(Autoria propria) 
Inversores 
(Autoria propria) 
Eversores 
(Autoria própria) 
 
 
Aula 4, Roteiro 1 Disciplina: semiologia aplicada na fisioterapia 
Título da aula: semiologia do complexo articular da coluna vertebral e da 
 
23 
 
Articulação temporomandibular. 
 
Região articular da coluna vertebral. 
Começamos a palpação no processo espinho da C7 que e mais proeminente 
no nosso colega. Palpamos as vertebra torácica e lombar. 
Avaliamos o grau da mobilidade articular Flexão de cervical e Os movimentos 
básicos que foram avaliados primeiramente são: flexão (40º a 60º), extensão (20º a 
35º), Rotação para direita e esquerda (3º a 18º) e flexão lateral direita e esquerda (15º 
a 20º). 
Fizemos uma marcação 10 cm a cima da L5 ao a fazer o movimento de flexão 
da lombar o ideal e que aumente 5 cm a mais. 
 
(autoria própria) 
 
 
 
 
 
 
Extensão de cervical e tronco 
 
24 
 
 (Autoria própria) 
 
Rotação de cervical e tronco 
 (Autoria própria)Inclinação lateral de cervical e tronco 
 
(Autoria própria) 
 
25 
 
 
Teste de compressão aplicar uma força na direção inferior (descendente) pelo 
topo da cabeça do paciente. 
Teste de spurling aplica uma resistência em direção inferior no topo da cabeça 
do paciente. 
Sinal de Lhermitte Os pacientes geralmente descrevem o como um choque 
elétrico / dor que corre em sentido caudal a partir do crânio ou coluna cervical podendo 
atingir os braços e pernas. 
(autoria própria) 
 
Teste de Adson observar a palpação do pulso através da artéria radial do 
paciente, se haver uma diminuição na pulsação o teste e positivo 
 
Teste de tensão do nervo femoral 
(Autoria própria) 
 
 
26 
 
Elevação da perna reta (Lasègue) este teste serve para reproduzir a dor do 
ciático e será positivo quando o paciente referir do no dermátomo (dor radiada), 
enquanto que no caso de encurtamento muscular na parte posterior da coxa o 
paciente ir referir dor somente na região posterior da coxa. 
(Autoria própria) 
Usamos equipamento de simetografo para avaliar se a coluna está alinhada, 
ao observa na nossa colega um ombros estava um mais elevado que o outro, vimos 
uma pequena escoliose. 
 (Autoria própria) 
 
Outro equipamento que usamos foi o apoio plantar, para observa de o paciente 
tem o pé mais plano ou se joga o peso do corpo mas para um lado do que o outro 
 
27 
 
 
Apoio plantar (autoria própria). 
 
Região articular da articulação temporomandibular 
Fizemos a palpação e a avaliação da mobilidade articular de retração, protusão, 
abertura, oclusão, lateralidade em nos mesmo. 
Sinal de Choveste: consiste no espasmo dos músculos periarticulares da 
articulação. 
 Teste para sinovite: através da pegada do polegar nos molares, é 
realizada uma pressão para a direção posterior. 
 Teste para capsulite: através da pegada do polegar nos molares, é realizada 
uma pressão para a direção lateral aos molares. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
28 
 
 
REFERÊNCIAS: 
Livro: Atlas Descritivo do Corpo Humano / Peter Abrahams; Amber Books; 
[tradução Adilson Monteiro]. –1.ed. – São Paulo :rideel,2009. 
Livro texto: Semiologia aplicada à Fisioterapia / Claudio Cazarini Júnior, 
Diego Galace Freitas. – São Paulo: Editora Sol, 2020 
https://ortopediaeombro.com.br/rigidez-cotovelo/ 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
29

Outros materiais