Buscar

SAE

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes
Você viu 3, do total de 4 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Prévia do material em texto

TIPOS DE DIAGNÓSTICO .................................................... 1 
PLANEJAMENTO DA ASSISTÊNCIA ..................................... 2 
IMPLEMENTAÇÃO DA ASSISTÊNCIA DE 
ENFERMAGEM/PRESCRIÇÃO DE ENFERMAGEM ............... 2 
COMO REDIGIR UMA PRESCRIÇÃO DE ENFERMAGEM? ... 3 
IMPLEMENTAÇÃO DA ASSISTÊNCIA DE 
ENFERMAGEM/PRESCRIÇÃO DE ENFERMAGEM ............... 3 
NOC – NURSING OUTCOMES CLASSIFICATION ................. 4 
NIC – NURSING INTERVENTION CLASSIFICATION ............. 4 
 
 
 
 
Diagnóstico real: Descreve respostas 
humanas a condições de saúde/processos 
vitais que existem de fato em um indivíduo, 
uma família ou uma comunidade no 
momento presente. É sustentado pelas 
características definidoras (sinais, sintomas 
e evidências) que se agrupam em padrões 
de sugestões ou inferências relacionadas. 
 
 
Diagnóstico de risco: Descreve as respostas 
humanas a condições de saúde/processos 
vitais que podem desenvolver-se em 
indivíduo, família ou comunidade vulnerável. 
Este diagnóstico por ser uma possibilidade 
futura, não possui características 
definidoras. 
 
 
Diagnóstico de promoção da saúde: É um 
julgamento clínico da motivação e do desejo 
de uma pessoa, família ou comunidade de 
aumentar o bem-estar e concretizar o 
potencial de saúde humana, conforme 
manifestado por uma disposição para 
melhorar comportamentos específicos de 
saúde, como nutrição e exercício. Este 
diagnóstico é ancorado por características 
definidoras 
 
 
Diagnóstico de bem-estar: descreve as 
respostas humanas a níveis de bem-estar 
em um indivíduo, família ou comunidade 
com disposição para melhorar. Essa 
disposição é apoiada por características 
definidoras. 
 
 
Exemplos de diagnósticos de enfermagem: 
 
 
O planejamento da assistência constitui a 
terceira etapa do processo de enfermagem 
e consiste nos seguintes passos: 
• Estabelecimento de prioridades para os 
problemas diagnósticos; 
• Fixação de resultados com o paciente, 
se possível, a fim de corrigir, minimizar 
ou evitar problemas. 
O planejamento da assistência de 
enfermagem consiste em um plano de 
ações para alcançarem resultados em 
relação a um diagnóstico de enfermagem. 
Essa fase de planejamento da assistência 
ou mesmo de elaboração de um plano de 
cuidados escritos é importante por: 
• Promover a comunicação entre os 
cuidadores direcionar o cuidado e a 
documentação; 
• Direcionar o cuidado e a documentação; 
• Criar um registro que pode ser usado 
mais tarde em avaliações, em pesquisas 
e em situações de cunho legal; 
• Fornece a documentação das 
necessidades de atendimento de saúde 
com a finalidade de reembolso do 
seguro. 
A fase de Planejamento possibilita que os 
profissionais, enfermeiros, mantenham uma 
comunicação e estabeleçam os resultados 
esperados para cada necessidade 
(diagnósticos de enfermagem) levantada 
durante a anamnese e o exame físico do 
paciente. 
Operacionalmente, o planejamento inicia-se 
pela priorização dos diagnósticos de 
enfermagem que foram estabelecidos, ou 
seja, o enfermeiro e sua equipe analisam e 
determinam quais problemas ou 
necessidades do paciente são urgentes e 
precisam de atendimento imediato e 
aqueles cujo atendimento poderá se dar a 
médio ou a longo prazo. 
Os resultados esperados constituem um 
componente essencial na fase de 
planejamento, uma vez que ao avaliar o 
alcance dos resultados o enfermeiro poderá 
definir posteriormente se o diagnóstico de 
enfermagem foi minimizado ou solucionado, 
ou seja, se as prescrições de enfermagem 
foram eficazes. 
Portanto os resultados esperados são de 
extrema importância na fase de avaliação 
do processo de enfermagem, tornando-se 
indicadores do sucesso de plano 
estabelecido. 
 
 
A implementação constitui a quarta etapa 
do processo de enfermagem. Implementar 
significa colocar em prática, executar o que 
antes era uma proposta. 
Essa fase ocorre quando o enfermeiro 
realiza, implementa as intervenções. A 
implementação da assistência de 
enfermagem como as ações prescritas e 
necessárias para a obtenção dos resultados 
esperados. 
Como o cuidado de enfermagem é 
fornecido para ajudar no alcance dos 
resultados esperados para o paciente, os 
enfermeiros devem centrar suas ações no 
planejamento efetuado, certificando-se de 
que cada atitude implementada é 
necessária e exigida. 
 
Ao colocar em prática as prescrições, o 
enfermeiro deverá estar constantemente 
investigando e reinvestigando tanto as 
respostas do paciente quanto seu próprio 
desempenho, pois o ser humano é 
imprevisível e precisa ser monitorado 
cuidadosamente. 
Ao prescrever os cuidados de enfermagem, 
o enfermeiro deve estar atento os fatores 
relacionados e às características definidoras 
identificados na elaboração dos 
diagnósticos de enfermagem, isto porque, 
ao fazer as prescrições, seu foco deve ser 
reverter os fatores etiológicos associados 
aos diagnósticos e solucionar os sinais e 
sintomas. 
O enfermeiro deve prescrever cuidados, 
que, além de completos e bem redigidos, 
causem impacto na assistência prestada e 
despertem o interesse da equipe de 
enfermagem por lê-los, e por realizá-los. 
Além disso, os enfermeiros devem ter 
conhecimento de que eles não prescrevem 
nem tratam as condições clínicas, e sim 
prescrevem cuidados para as reações das 
condições clínicas que correspondem a 
complicações fisiológicas detectadas nos 
pacientes. Aos profissionais médicos 
compete a prescrição do tratamento (dos 
medicamentos). O enfermeiro deve centrar 
sua atenção na prescrição dos cuidados. 
 
As prescrições devem incluir: 
• A ação a ser realizada (os verbos 
deverão estar no infinitivo); 
• Conter uma frase descritiva (o quê, 
como, onde, com que frequência, por 
quanto tempo ou quando); 
• Quem deve realizá-la e; 
• A assinatura do enfermeiro responsável 
por sua confecção. 
 
 
 
• A expectativa é de que o cuidado 
prescrito beneficiará o paciente ou a 
família de maneira previsível. 
• Essas prescrições têm a intenção de 
individualizar o cuidado pelo 
atendimento da necessidade específica 
do paciente, e, sempre que possível, 
devem incorporar os potenciais 
identificados do paciente. 
• Cabe também ressaltar que não se deve 
prescrever um cuidado para um 
problema/necessidade que não tenha 
sido descrito. 
• Para toda prescrição deve haver um 
diagnóstico prévio. 
 
 
 
–
 
• Os resultados de pacientes servem de 
critério para julgar o sucesso de uma 
intervenção de enfermagem. 
• Um resultado é definido como “um 
estado, comportamento ou percepção 
individual, da família ou da comunidade, 
que é medido ao longo de um continuum 
em resposta à (s) intervenções (ões) de 
enfermagem 
 
–
Diferente dos diagnósticos de enfermagem 
ou resultados de paciente, em que o foco da 
atenção reside no paciente, as intervenções 
de enfermagem enfocam o comportamento 
de enfermagem, as ações de enfermagem 
que auxiliam o paciente a progredir em 
direção ao resultado desejado. 
As intervenções devem ser individualizadas 
para um determinado indivíduo, família ou 
comunidade.

Continue navegando

Outros materiais