Buscar

libras

Prévia do material em texto

DIFERENÇAS GRAMATICAIS ENTRE A LINGUA PORTUGUESA E LIBRAS 
 
OBJETIVOS 
• Refletir sobre as diferenças gramaticais entre a língua portuguesa e a libras 
• Compreender as dificuldades enfrentadas pelos ouvintes ao aprender a libras e 
considerar a enorme importância que a língua de sinais tem para as comunidades 
surdas 
 
DESCRIÇÃO 
Faça uma analogia entre a estrutura da língua portuguesa e da libras apresentando em 
quadros as principais diferenças entre essas línguas. Agora sabendo que a maioria dos 
ouvintes apresenta dificuldade para aprender a língua de sinais, responda ao 
questionamento a seguir com base nos conhecimentos adquiridos: qual aspecto você julga 
ser mais difícil? Os sinais manuais ou não manuais como por exemplo, a interrogação ou 
a negação? Justifique sua resposta. Em relação a aquisição de uma língua e o 
desenvolvimento da linguagem, complemente seu texto, abordando a importância da 
língua de sinais para o desenvolvimento linguístico, cognitivo e afetivo da criança surda 
e de como é importante que os ouvintes também aprendam essa língua. 
 
INTRODUÇÃO 
 A discussão sobre surdez, educação e língua de sinais vem sendo ampliada nos 
últimos anos por profissionais envolvidos com a educação de surdos, como também pela 
própria comunidade surda. Segundo Moura (2000), a educação e inserção social dos 
surdos constituem um sério problema, e muitos caminhos têm sido seguidos na busca de 
uma solução. 
 A língua de sinais, língua natural dos surdos, natural dos surdos, pois essa a 
criança surda adquire de forma espontânea sem que seja preciso um treinamento 
específico, ainda é considerada por muitos profissionais apenas como gestos simbólicos. 
De uma maneira geral, em nossa sociedade não existe lugar para as diferenças, sendo os 
surdos usuários da língua de sinais desconsiderados no processo educacional. (DIZEU, 
CAPAROLI, 2005) 
 A linguagem por sua vez é tida como tudo que envolve significação, que tem valor 
semiótico, não se restringindo apenas a uma forma de comunicação, e é nela que o 
pensamento do indivíduo é constituído (Goldfeld, 1997). A autora refere, ainda, que a 
linguagem está sempre presente no sujeito, até quando este não está se comunicando com 
outras pessoas; assim ela constitui o sujeito, a forma como este recorta e percebe o mundo 
e a si próprio. A criança ouvinte desde seu nascimento é exposta à língua oral, dessa forma 
é fornecida para ela a oportunidade de adquirir uma língua natural, a qual irá permitir 
realizar trocas comunicativas, vivenciar situações do seu meio e, assim, possuir uma 
língua efetiva e constituir sua linguagem. Para a criança surda deveria ser dada a mesma 
oportunidade, de adquirir uma língua própria para constituir sua linguagem. A nossa 
sociedade não está preparada para receber o indivíduo surdo, não lhe oferecendo 
condições para que se desenvolva e consolide sua linguagem. Sendo assim, podemos 
depreciar relatos que afirmam ser a surdez causadora de limitações cognitivas e afetivas, 
pois a verdadeira limitação está nas condições oferecidas a esse sujeito surdo.(DIZEU, 
CAPAROLI, 2005) 
 
PRINCIPAIS DIFERENÇAS ENTRE A LINGUA PORTUGUESA LIBRAS 
LIBRAS LINGUA PORTGUESA 
A LIBRAS é uma língua viso-motora ou 
espaço-visual, baseada em sinais e gestos. 
A língua portuguesa é uma língua oral-
auditiva, baseada na fala e na audição. 
 
A LIBRAS tem uma estrutura gramatical 
baseada em tópico-comentário, ordem 
temporal e classificadores. 
A língua portuguesa tem uma estrutura 
gramatical baseada em palavras, frases e 
sentenças. 
 
A LIBRAS utiliza configurações de mão, 
movimentos, expressões faciais e 
corporais. 
 
A língua portuguesa utiliza palavras, letras 
e regras gramaticais. 
A escrita da LIBRAS é feita por meio de 
símbolos gráficos chamados SignWriting. 
A escrita da língua portuguesa é feita por 
meio de letras e acentos. 
 
 
DISCUSSÃO 
 As línguas de sinais igualmente sofrem modificações de um país para outro e 
mesmo dentro de um único país, de uma região para a outra. No entanto, 
independentemente da localidade, as línguas de sinais são plenas de todos os aspectos 
linguísticos, sendo caracterizadas pelo seu aspecto viso-gestual, no qual alguns elementos 
são de grande importância: o contato visual; a delimitação do espaço no qual os sinais 
serão efetuados, de modo a serem executados de forma compreensível pelo interlocutor; 
as condições de iluminação do local onde se pretende efetuar a comunicação; o 
posicionamento de ambos interlocutores, para favorecer a compreensão de todos os sinais 
executados por ambas as partes; e o valor das expressões faciais durante a comunicação, 
que podem transmitir aspectos importantes como intensidade, ironia, desprezo, entre 
outros. Por essa razão, através da língua de sinais é possível transmitir todo tipo de 
conteúdo, concreto ou abstrato, nos mais variados gêneros discursivos (BRITO, 1995; 
FERNANDES, 2003; QUADROS; KARNOPP, 2004; GESSER, 2009). 
 Os surdos enfrentam muitas dificuldades para aprender a ler e escrever em 
português, pois é uma língua oral-auditiva que não corresponde à sua modalidade natural 
de comunicação. Muitas vezes, os surdos não têm acesso a intérpretes de libras nas 
escolas, o que dificulta seu processo de alfabetização e inclusão. a língua de sinais é 
fundamental para a formação da identidade e da subjetividade dos surdos, pois é através 
dela que eles se expressam, se relacionam e se reconhecem como sujeitos. A língua de 
sinais também é essencial para o desenvolvimento cognitivo, afetivo e social dos surdos, 
pois é a base de seu pensamento e de sua aprendizagem. De forma particular acredito que 
a interrogação seja mais difícil de ser realizada já que é necessário mais sinais para 
questionar. 
 
IMPORTÂNCIA DA LÍNGUA DE SINAIS PARA O DESENVOLVIMENTO 
LINGUÍSTICO, COGNITIVO E AFETIVO DA CRIANÇA SURDA 
 A comunicação é uma necessidade humana, e as linguagens oral e escrita são as 
formas mais comuns de comunicação. Por isso, pode-se dizer que a linguagem é natural 
do ser humano e, através da linguagem, o ser humano estrutura seu pensamento, traduz o 
que sente, registra o que conhece, se comunica com os outros, produz significação e 
sentido. (USAN, OLIVEIRA, OSCAR, LEON, 2008) 
 Crianças que ainda não adquiriram esta linguagem apresentam grande dificuldade 
na aprendizagem, este fato está ligado à noção de que a Libras é, ou deveria ser, a língua 
materna dos surdos. Não porque é a língua natural deles, mas sim porque, tendo os surdos 
bloqueio para a aquisição espontânea de qualquer língua natural oral. (USAN, 
OLIVEIRA, OSCAR, LEON, 2008) 
 A Língua de Sinais é extremamente importante para o desenvolvimento 
linguístico, cognitivo e afetivo da criança surda. A aquisição dos sinais logo nos primeiros 
anos de vida é fundamental para a interação social e para a aquisição dos conceitos. A 
língua de sinais é o meio pelo qual a criança surda interagirá com outras crianças, surdas 
ou ouvintes, professores, amigos, familiares, etc. A língua de sinais é importante para o 
desenvolvimento da pessoa surda, especialmente nos casos de surdez pré-linguística, de 
modo a facilitar o processo de inclusão social da mesma. 
 
CONCLUSÃO 
 O ensino da Língua Brasileira de Sinais (Libras) na escola, além de ser uma 
educação inclusiva, é responsável pela formação de alunos surdos no país, criando novas 
possibilidades para essas crianças. Muito se fala sobre a importância da aprendizagem de 
uma segunda língua na infância, mas raramente vemos a Língua de Sinais sendo utilizada 
como uma opção para crianças ouvintes. O ensino de Libras para crianças ouvintes e 
surdas é importante para a inclusão social e acessibilidade, pois a comunidade surda 
enfrenta muitas dificuldades no que diz respeito a comunicação e educação. Aprender 
Libras desde cedo pode melhorar as habilidades de atenção das crianças, a discriminaçãovisual e a memória espacial. Além disso, o ensino de Libras para crianças ouvintes e 
surdas pode promover a Libras, a cultura surda e, sobretudo, a possibilidade de poder se 
comunicar com seus pares diferentes valorizando a diversidade desde a Educação Infantil. 
O lúdico pode ser um facilitador do ensino de Libras, pois as atividades constituídas por 
jogos e brincadeiras podem incentivar a criatividade e a imaginação, despertando o 
interesse dos pequenos pelo conhecimento e ajudando em seu desenvolvimento. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
REFERÊNCIAS 
DIZEU, CAPAROLI, 2005. A língua de sinais constituindo o surdo como sujeito. 
Disponivel em; https://www.scielo.br/j/es/a/LScdWL65Vmp8xsdkJ9rNyNk/#. Acesso 
em 15 de nov de 2023 
GOLDFELD, M. A criança surda: linguagem e cognição numa perspectiva sócio-
interacionista. São Paulo: Plexus, 1997. 
MOURA, M.C. O surdo: caminhos para uma nova identidade. Rio de Janeiro: Revinter, 
2000. 
USAN, OLIVEIRA, OSCAR, LEON, 2008. A IMPORTÂNCIA DA LÍNGUA 
BRASILEIRA DE SINAIS – (LIBRAS) COMO LÍNGUA MATERNA NO 
CONTEXTO DA ESCOLA DO ENSINO FUNDAMENTAL. Disponivel em; 
http://www.inicepg.univap.br/cd/INIC_2008/anais/arquivosINIC/INIC1396_01_A.pdf. 
Acesso em 16 de nov de 2023

Continue navegando

Outros materiais