A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
232 pág.
Roteiro de Estudos Logística Reversa Aulas 1 a 6

Pré-visualização | Página 3 de 21

Entretanto, esse termo é recente quando se trata de desenvolvimento 
industrial e logística. A falta de tecnologias apropriadas contribuiu para 
que gestores desconsiderassem o papel da comunicação para 
aprimoramento do desempenho logístico. No entanto, o notável 
avanço, nas últimas décadas, dos sistemas de informação alterou 
essa percepção. 
 
Novos sistemas informatizados, mais eficazes e sistêmicos, fizeram da 
comunicação um elemento estratégico no debate atual sobre logística. 
A operação com estoques reduzidos ou o planejamento mais eficiente 
das atividades de transporte na cadeia são exemplos dessa nova fase. 
Bernon e Cullen (2007) mostram que as informações geradas via 
monitoramento de satélite permitem traçar rotas mais eficientes, 
evitando congestionamentos e reduzindo tempo e consumo de 
combustível. 
 
Para eles, o contínuo desenvolvimento dos sistemas de comunicação 
informatizados oferece inúmeras oportunidades para a redução de 
custos e danos ambientais por meio dos processos de LR. Se essas 
contribuições dos sistemas de comunicação já são reconhecidas na 
literatura e nas práticas gerenciais, o papel da comunicação e da 
disponibilização de informação como indutor da participação dos 
consumidores na cadeia permanece em segundo plano. Para a 
implantação da LR de modo eficiente, ignorar esse aspecto representa 
um grande desafio, pois, muitas vezes, é o consumidor que inicia o 
fluxo reverso. 
 
Fatores logísticos 
O processo de logística reversa gera impactos na gestão da logística, 
pois muitos materiais são reaproveitados e retornam ao processo 
tradicional de suprimento, produção e distribuição. 
Esse processo geralmente é composto por um conjunto de atividades 
que uma empresa realiza para coletar, separar, embalar e expedir 
itens usados, danificados ou obsoletos dos pontos de consumo até os 
locais de reprocessamento, revenda ou descarte. 
 
Além desses fatores apresentados, Lacerda (2002) complementa com 
outros seis fatores relevantes para a Logística Reversa, que 
influenciam a eficiência do processo de logística reversa. Estes fatores 
são (clique no botão): 
 
Quanto mais ajustados esses fatores, melhor o desempenho do 
sistema logístico. O autor acredita que, devido ao processo de 
globalização, onde multinacionais adotam políticas comuns para todas 
suas filiais e os governos tendem a adotar legislações ambientais mais 
rigorosas em todos os países, em pouco tempo, as mesmas práticas 
ambientais adotadas na Europa serão implementadas no Brasil, o que 
de fato já ocorre devido às grandes exigências ambientais para o 
mercado nacional. 
a. Bons controles de entrada; 
 
 
b. Processos mapeados e formalizados; 
c. Tempo de ciclo reduzidos; 
d. Sistemas de informação; 
e. Rede logística planejada; 
f. Relações colaborativas entre clientes e fornecedores. 
 
Dentre as características e fatores importantes para esse item, a figura 
a seguir demonstra uma cadeia de abastecimento de forma direta e 
que, através de vetores diretos e reversos, pode-se observar que os 
fluxos de materiais e informações devem caminhar para os dois 
sentidos de forma objetiva, considerando os aspectos das atividades 
empresariais. 
 
 
Dentre as atividades apontadas como relevantes e conhecidas para a 
Logística Reversa, a figura a seguir apresenta um fluxo básico de 
como a abordagem do processo pode ocorrer, desde a coleta até o 
destino secundário. 
 
 
Fonte: Lacerda (2002). 
 
Vamos nos aprofundar um pouco mais? Então não deixe de assistir ao 
vídeo a seguir com as explicações do professor Luiz Felipe sobre o 
tema dos nossos estudos de hoje. 
 
http://ava.grupouninter.com.br/videos/video2.php?video=http://vod.gru
pouninter.com.br/2015/JUL/MT40030-A01-P05.mp4 
 
LOGÍSTICA REVERSA - DESAFIOS 
 
Considerando a evolução industrial e tecnológica, o elevado nível de 
consumo e de exigência relacionada a esse mercado ordena as 
organizações a tratarem suas estratégias de modo que os critérios 
relacionados aos custos, qualidade, prazos de entrega sejam fatores 
prioritários para assegurar competitividade e sustentabilidade 
empresarial nos dias de hoje. 
 
Fora isso, temos um Código do Consumidor bastante rigoroso que 
permite ao consumidor desistir e retornar sua compra em um prazo de 
sete dias, define maiores responsabilidades das empresas por 
produtos fabricados e/ou comercializados por elas e estabelece 
normas para os recalls. Nosso consumidor tem se tornado, também, 
bastante consciente de seus direitos e das responsabilidades 
ambientais das empresas. 
 
Além de tudo isso, várias empresas (tanto varejistas como 
fabricantes), por razões competitivas, estão adotando políticas de 
devolução de produtos mais liberais. Temos também o 
reaproveitamento de materiais pelas empresas para redução de 
custos. Tudo isso, aumenta o fluxo reverso dos produtos e/ou 
materiais no canal de distribuição. 
 
Assim sendo, a Logística Reversa não é nenhum fenômeno novo e 
exemplos como o uso de sucata na produção e reciclagem têm sido 
praticados há bastante tempo. Por outro lado, tem-se observado que o 
escopo e a escala de atividades de reciclagem e reaproveitamento de 
produtos e embalagens têm aumentado consideravelmente nos 
últimos anos. 
 
Aliado a isso, as questões ambientais, cujos estudos serão 
aprofundados nos próximos capítulos, apresentou-se como força 
motriz no desenvolvimento de técnicas e inovações associadas aos 
avanços na Logística Empresarial e Reversa. 
 
A tecnologia da informação permite uma visão global, integrada, dos 
sistemas organizacionais, envolvendo a logística total, “ou seja, desde 
a concepção de produtos/serviços, seu desenvolvimento, suprimentos, 
produção, distribuição, serviços de pós-venda, até chegar à 
recuperação dos mesmos após consumo ou utilização” (RAZZOLINI e 
BERTÉ, 2009). 
 
As questões ambientais relacionadas à logística reversa são 
identificadas através do crescimento de práticas, leis e normas 
ambientais oriundas das exigências da sociedade, governantes e 
empreendedores que, ao longo dos anos, perceberam reativamente 
que os recursos atuais não suportam o padrão de consumo, além dos 
graves desastres ambientais ocorridos no século passado. Esse 
aparecimento recente da legislação e da paulatina alteração dos 
hábitos dos consumidores deverá contribuir ainda mais para o 
desenvolvimento da excelência na Logística Reversa. 
 
Portanto, os pontos altos desse nosso estudo foram o aprendizado 
sobre os diversos conceitos da LR, a evolução histórica dessa 
atividade e a significativa importância que nos dias de hoje é dada 
para a LR, considerando diversos fatores, incluindo os econômicos, 
sociais e ambientais, que em nossos próximos estudos serão 
desenvolvidos. 
 
Razzolini e Berté (2009) relatam a importância de todos nesse 
processo: 
 
“(...) No entanto, não devemos nos enganar – sem uma participação 
efetiva das organizações empresariais e públicas, não será possível 
modificarmos o quadro atual e, consequentemente, os efeitos serão 
danosos para toda a vida no planeta.” 
 
 
 
Muito bem! Chegamos ao final da nossa aula! Para finalizar nossos 
estudos, acompanhe o vídeo a seguir com bastante atenção! 
 
http://ava.grupouninter.com.br/videos/video2.php?video=http://vod.gru
pouninter.com.br/2015/JUL/MT40030-A01-P06.mp4 
 
 
SÍNTESE 
Chegamos ao final da primeira aula de logística reversa. Fizemos um 
longo caminho vendo a logística empresaria e a logística reversa, seus 
histórico e evolução, estudamos a importância da logística

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.