A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
15 pág.
Minerais e Rochas

Pré-visualização | Página 3 de 3

CaCO3, 
apresentando formas romboédricas com clivagem boa em três direções e 
baixa dureza (3). Cores claras como branco e rosa ou incolor. São minerais 
que ocorrem preferencialmente em rochas sedimentares químicas, e tem sua 
identificação facilitada por efervescerem sob a ação de HCl concentrado (a 
calcita apresenta efervescência em suas superfícies naturais, enquanto a 
dolomita apenas no pó). Ocorre em sedimentos, rochas metamórficas 
(mármore) e veios.
MINERAIS MAIS FREQUENTES NAS ROCHAS E SOLOS����
Possui brilho metálico, traço castanho avermelhado, podendo ocorrer na 
forma de placas hexagonais, sendo freqüente em certas rochas 
metamórficas e em rochas sedimentares detríticas, apresenta fórmula 
Fe2O3 (70% Fe) – traço vermelho sanguíneo. Dureza 5,5 a 6,5. Granular, 
compacta ou micácea. Ocorrência: forma os principais depósitos ferríferos 
brasileiros (itabirito). Ocorrem também como pigmento vermelho)o (óxidos 
de fer comum nos sedimentos e solos.
HEMATITA ����
MAGNETITA ����
Forma octaédrica, brilho metálico, dureza 6. Apresenta forte magnetismo e 
composição representada pó Fe3O4 (72% Fe) . Ocorrência: acessório 
comum em rochas magmáticas básica, podendo formar corpos 
volumosos, jazidas, graças a concentração gravitativa após a segregação 
magmática. A magnetita altera-se diretamente para óxidos de ferro 
(hematita e goethita).
MINERAIS MAIS FREQUENTES NAS ROCHAS E SOLOS����
Silicatos hidratados formados pela alteração intempérica de outros minerais, têm 
forma laminar, são plásticos, colóides eletronegativos, apresentando em partículas só
visiveis com microscópio eletrônico. Os minerais da argila dos solos são a caolinita
(matéria prima da PORCELANA), a esmectita e a ilita. Também constituem rochas 
sedimentares como os Pelitos. 
A caolinita com dureza 2 e clivagem basal, é do tipo 1:1, isto é, possui uma camada 
tetraédrica de sílica (SiO4) e uma octaédrica de alumina, sendo ESTÁVEL. 
Já as Esmectitas, também conhecidas como Montmorilonitas, dureza -1, clivagem 
basal, são do tipo 2:1, isto é, com duas camadas tetraédricas e uma octaédrica de 
alumina, com elevada área específica (20X maior que Caolinita), sendo instáveis e 
reativas (DISPERSIVAS e EXPANSIVAS com sua alta plasticidade e capacidade de 
absorção de água), elevada CTC. Produto de alteração de rochas ígneas, 
metamórficas e sedimentares em ambiente mal drenado. É o principal e, por vezes, 
o único constituinte dos basaltos alterados.
Propriedades importantes: plasticidade, resistência mecânica (verde e seco), retração 
linear, compactação e viscosidade.
A Ilita tem propriedades intermediárias entre a caolinita e a esmectita.
MINERAIS MAIS FREQUENTES NAS ROCHAS E SOLOS����
ARGILOMINERAIS (FILOSSILICATOS SECUNDÁRIOS) ����
MINERAIS MAIS FREQUENTES NAS ROCHAS E SOLOS����
ARGILOMINERAIS (FILOSSILICATOS SECUNDÁRIOS) ����
A Caulinita aparece como mineral predominante em ambas as regiões do 
Estado do RS (Campanha e Planalto), contudo, na Campanha Gaúcha 
aparecem minerais menos intemperizados do grupo dos 2:1, como a esmectita 
(PEDRON, 2007).
���� APLICAÇÕES NA ENGENHARIA CIVIL
rochas britadas, areia, cascalho, 
ROCHAS E MINERAIS INDUSTRIAIS����
calcário, argila, gesso
gesso e cal 
argila, feldspato, quartzo, caulim e outros
AGREGADOS ����
CIMENTO ����
AGLOMERADOS ����
CERÂMICA ����
areias silicosas e diversos óxidos e carbonatosVIDRO ����
PIGMENTOS ���� minerais de titânio e ferro
���� APLICAÇÕES NA ENGENHARIA CIVIL
crisotila, anfibólios, sepiolita e outros
ROCHAS E MINERAIS INDUSTRIAIS����
grafite, caulim, talco
pedra-pomes, perlita, vermiculita
caulim, talco, carbonato de cálcio
FIBROCIMENTOS ����
LUBRIFICANTES ����
ELEMENTOS LEVES OU ISOLANTES ����
CARGAS DE TINTAS OU PAPEL ����
ABRASIVOS ���� diamante e quartzo

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.