2 Origem e Evolução do Pensamento Estratégico
18 pág.

2 Origem e Evolução do Pensamento Estratégico


DisciplinaEstratégia Competitiva78 materiais502 seguidores
Pré-visualização1 página
Danielly Nascimento
PROFESSORA
UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO - CAMPUS ANGICOS
DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS, HUMANAS E TECNOLÓGICAS - DCEHT
CURSO DE GRADUAÇÃO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO
\uf07d A palavra estratégia vem do termo grego 
stratego, que literalmente significa general.
\uf07d A ideia de estratégia nasceu das campanhas 
militares, cujos resultados, foram fruto das 
mentes de bons ou maus estrategistas.
\uf07d Ao longo dos anos, muito se falou de grandes 
comandantes militares e de estratégia, desde 
a antiguidade.
Questionamentos relacionados à estratégia:
\uf07d Quais são os fatores que devem ser 
considerados ao elaborar uma estratégia?
\uf07d Deve haver uma estratégia planejada ou será 
ela gerada na medida em que ocorrem os 
fatos?
\uf07d É possível uma receita para estratégias bem-
sucedidas?
\uf07d Os primeiros textos que mostram 
pensamentos do que hoje chamamos 
estratégia remontam à antiguidade.
\uf07d O texto mais antigo que trata deste assunto é 
A Arte da Guerra, escrito pelo chinês Sun Tzu.
\uf07d A Arte da Guerra trata de princípios de 
caráter geral, que auxiliaram um soberano a 
triunfar na guerra. 
Para Sun Tzu, a Arte da Guerra é governada por cinco 
fatores:
\uf07d A Lei Moral \u2013 o grau da dedicação e confiança do povo em 
relação ao seu governante.
\uf07d O Céu \u2013 as condições climáticas.
\uf07d A Terra \u2013 as condições de terreno, de distâncias.
\uf07d O Chefe \u2013 \u201crepresenta as virtudes de sabedoria, 
sinceridade, benevolência, coragem e retidão\u201d.
\uf07d O Método e a Disciplina \u2013 a correta disposição do exército, 
os suprimentos e o controle dos gastos.
\uf07d \u201cSe você se conhece e ao inimigo, não precisa 
temer o resultado de uma centena de 
combates\u201d. Sun Tzu
\uf07d A obra de Sun Tzu teve influência no 
pensamento empresarial, havendo vários 
desdobramentos que focam diferentes 
aspectos das empresas na literatura de 
negócios.
Teóricos que estudaram os sucessos de Napoleão na 
guerra.
\uf07d Von Clausewitz, para ele, a teoria da estratégia 
deveria ter um caráter descritivo e não prescritivo, ou 
seja, não haveria uma \u201creceita\u201d para o sucesso 
estratégico, mas seria possível aprender observando 
as experiências alheias.
\uf07d O estudo da estratégia com enfoque descritivo auxilia 
na formação do julgamento e intuição dos 
comandantes, mas não pode ser usado como 
fundamentos para a ação, dado que o comando é 
visto como essencialmente criativo.
\uf07d As decisões devem ser tomadas rapidamente 
e de acordo com as situações, que são 
essencialmente únicas. Assim, é difícil 
prescrever ações previamente.
\uf07d Porém, o comandante que conhecer as 
experiências pregressas poderá usá-las, de 
forma racional ou mesmo intuitiva, para 
tomar decisões melhores e mais rápidas.
\uf07d Para de Jomini, haveria princípios científicos para a 
estratégia militar que não somente poderiam ser 
prescritos, mas deveriam ser seguidos.
\uf07d Como havia muitos comandantes que estavam 
sequiosos de descobrirem os segredos dos sucessos 
militares de Napoleão, esta ideia de que seria 
possível transformá-los em um receituário passível 
de ser repetidamente usado era algo extremamente 
atraente.
\uf07d Nesta abordagem prescritiva, de Jomini considerava 
que os princípios da guerra seriam válidos sempre, 
independente da situação e da tecnologia
empregada.
Entre as escolas de pensamento sobre formulação de 
estratégia de caráter prescritivo, tem-se:
\uf07d Design (Estratégia como um processo de concepção) 
Esta escola vê o processo de formação estratégica 
essencialmente como o ajuste entre pontos fortes e 
pontos fracos internos e ameaças e oportunidades do 
meio externo. 
\uf07d Planejamento (Estratégia como um processo formal)
\uf07d Posicionamento (Estratégia como um processo analítico) \u2013
baseia-se na ideia de que a estratégia pode ser reduzida a 
algumas posições genéricas que podem ser identificadas 
através de uma análise da situação do ramo em que está 
inserido.
Nas escolas de pensamento sobre formulação de 
estratégia de caráter descritivo, classificam as 
seguintes:
\uf07d Empreendedorismo (Estratégia como um processo 
visionário) - Fundamenta o processo na intuição 
criativa de um líder visionário e na sua capacidade de 
controlar a implementação de suas ideias.
\uf07d Cognitivo (Estratégia como um processo mental) \u2013
baseia-se na capacidade de compreender o processo 
mental das pessoas, como a realidade percebida.
\uf07d Aprendizado (Estratégia como um processo 
emergente) 
Nas escolas de pensamento sobre formulação de estratégia de 
caráter descritivo, classificam as seguintes:
\uf07d Poder (Estratégia como um processo de negociação) 
Fundamenta o processo na intuição criativa de um líder visionário 
e na sua capacidade de controlar a implementação de suas ideias.
\uf07d Cultural (Estratégia como um processo social) 
baseia-se na cultura, que trata dos interesses comuns.
\uf07d Ambiental (Estratégia como um processo reativo) 
Incluem-se aqui a chamada Teoria da Contingência (acaso, 
eventualidade), que estuda quais as respostas das empresa em 
determinadas condições ambientais.
\uf07d Configuração (Estratégia como um processo de transformação) 
entende a empresa como uma configuração para cada situação.
\uf07d A estratégia como assunto da área de negócios 
surge nos anos 50 e floresceu nos anos 60, 70 e 
80.
\uf07d Pensamento: As organizações necessitam 
conhecer a si mesmas, tanto no que têm de 
positivo como de negativo, de forma a poderem 
explorar adequadamente seu potencial, seus 
recursos, enquanto evitam que suas limitações 
possam colocá-las em situação de desvantagem.
\uf07d Ao mesmo tempo, é fundamental conhecer o 
ambiente no qual a empresa atua.
\uf07d A necessidade da estratégia está ligada à existência 
de competição, seja uma guerra, seja a conquista de 
um mercado.
\uf07d Na natureza, existe a competição entre as espécies 
pela sobrevivência, mas não se pode falar em 
estratégia na seleção natural.
\uf07d Princípio de Gause da exclusão competitiva \u2013 quando 
seres da mesma espécie ficam isolados em um 
ambiente com recursos limitados, nenhum deles 
sobreviverá. Contundo, se houver seres de espécies 
diferentes, a sobrevivência é possível.
\uf07d O que difere e o que é semelhante entre o 
que ocorre na natureza e o que ocorre no 
mundo dos negócios?
\uf07d Como na natureza, no ambiente empresarial 
não pode haver empresas competindo da 
mesma forma.
\uf07d A competição natural é evolucionária, dirigida 
pelas leis da probabilidades, a estratégia é 
revolucionária, aqui no sentido de romper 
com o curso natural das coisas, no sentido de 
intervenção deliberada.
\uf07d CARVALHO, Marly Monteiro de; LAURINDO, 
Fernando José Barbin. Estratégia competitiva. São 
Paulo: Atlas, 2007. 
Faça uma leitura de um dos capítulos a seguir, do 
Livro A Arte da Guerra de Sun Tzu, apresente 
quais estratégias foram utilizadas, e como seria a 
utilização destas no mundo dos negócios. 
\uf07d Capítulo III - Da Arte de Vencer Sem 
Desembainhar a Espada .
\uf07d Capítulo IV - Da Arte de Manobrar as Tropas
\uf07d Capítulo VII - Da Arte do Confronto
\uf07d Capítulo VIII - Da Arte das Mudanças
\uf07d Capítulo XIII - Da Arte de Semear a Discórdia