Geologia Geral MAQUINE
193 pág.

Geologia Geral MAQUINE


DisciplinaGeologia8.979 materiais66.597 seguidores
Pré-visualização50 páginas
Disciplina: GEOLOGIA GERAL; Cursos de : Agronomia e Geografia Tema 3 
 
 17 
 
INDICE 
 Pág. 
TEMA 1: CONCEITO GE GEOLOGIA (sua relação com outras Ciências) 1 
1. Introdução 1 
2. O que é a Geologia? 2 
3. Porquê estudar Geologia? 3 
4. A Abrangência da Geologia e ciências afins 3 
5. Um pouco sobre a história da Geologia 4 
6. A Terra no Espaço 6 
TEMA 2: ESTRUTURA E COMPOSIÇÃO DA TERRA 10 
1. Introdução 10 
2. Forma e dimensões da Terra 10 
3. Estrutura da Terra 12 
4. Composição da Crusta 13 
5. Tectónica de Placas 14 
TEMA 3: CONCEITO DE MINERAL E CRISTAL 17 
1. Introdução 17 
2. Definição de Mineral 17 
3. Cristais 18 
4. Os Sistemas Cristalinos 19 
5. Propriedades Físicas dos Minerais 20 
5.1. Hábito e Agregados de Minerais 20 
5.2. Clivagem e Fractura 21 
5.3. Dureza 22 
5.4. Tenacidade 22 
5.5. Densidade 22 
5.6. Cor 23 
5.7. Risca ou Traço 23 
5.8. Brilho ou Lustre 23 
5.9. Diafaneidade (Transparência) 23 
5.10. Reflexão e Refracção 23 
5.11. Fluorescência, Fosforescência e Luminescência 23 
5.12. Propriedades Eléctricas e Magnéticas 24 
5.13. Propriedades Radioactivas 24 
5.14. Isomorfismo, Polimorfismo e Pseudomorfismo 24 
6. Classificação dos Minerais 25 
6.1. Elementos Nativos 25 
6.2. Sulfuretos/Sulfossais 26 
6.3. Óxidos e Hidróxidos 30 
6.4. Halogenetos 34 
6.5. Carbonatos 35 
6.6. Nitratos e Boratos 37 
6.7. Sulfatos e Cromatos 37 
6.8. Tungstatos e Molibdatos 38 
6.9. Fosfatos, Arsenatos e Vanadatos 39 
6.10. Silicatos 41 
TEMA 4: GEODINÂMICA INTERNA (rochas ígneas e metamórficas) 54 
1. Introdução 54 
2. O Ciclo das Rochas 54 
3. Geodinâmica Interna 56 
3.1. Magmatismo 56 
3.2. Metamorfismo 61 
3.3. Sismologia 64 
3.4. Geologia Estrutural 64 
4. Rochas Ígneas 69 
4.1. Tipos de Intrusões e Extrusões 69 
4.2. Textura e Estrutura das Rochas Ígneas 70 
4.3. Cor das Rochas Ígneas 71 
4.4. Classificação das Rochas Ígneas 71 
5. Rochas Metamórficas 76 
5.1. Introdução 76 
5.2. Texturas e Estruturas das Rochas Metamórficas 77 
5.3. Classificação das Rochas Metamórficas 78 
5.4. Principais Rochas Metamórficas 78 
5.5. Ocorrência de Rochas Metamórficas em Moçambique 82 
TEMA 5: GEODINÂMICA EXTERNA 83 
1. Introdução 83 
2. Agentes da Geodinâmica Externa 83 
2.1. Gravidade 83 
2.2. Agentes Atmosféricos 84 
2.3. Água 87 
2.4. Os Seres Vivos 94 
Disciplina: GEOLOGIA GERAL; Cursos de : Agronomia e Geografia Tema 3 
 
 18 
 
TEMA 6: METEORIZAÇÃO-SOLOS-MOVIMENTOS DE TERRAS-ROCHAS SEDIMENTARES 96 
1. Introdução 96 
2. Meteorização 96 
2.1. Processos de Meteorização 97 
2.2. Factores que Influenciam a Meteorização 101 
3. Solos 103 
3.1. Origem 103 
3.2. Perfil Pedológico 104 
3.3. Factores Formadores de Solos 104 
4. Movimentos de Terras 104 
5. Rochas Sedimentares 106 
5.1. Classificação das Rochas Sedimentares 106 
5.2. Rochas Clásticas 106 
5.3. Rochas de Precipitação Química 109 
5.4. Rochas Biogénicas 110 
TEMA 7: PROCESSOS EÓLICOS 113 
1. Introdução 113 
2. Movimentos do Mar 113 
3. Fontes do Material Transportado pelo Vento 114 
4. Movimento de Materiais pelo Vento 114 
5. Sedimentos Transportados pelo Vento 116 
5.1. Dunas 116 
5.2. Mares de Areia 118 
5.3. Loess 118 
TEMA 8: RIOS E PROCESSOS FLUVIAIS 119 
1. Introdução 119 
2. Formação dos Rios 119 
3. Princípios que Governam a Acção dos Rios 119 
3.1. O Rio e o seu Canal 119 
3.2. Carga dum Rio 122 
3.3. Erosão dum Rio 123 
3.4. Deposição (Sedimentação) dum Rio 124 
4. Desenho de Drenagem 125 
TEMA 9: OCEANOS E OS PROCESSOS MARINHOS 127 
1. Introdução 127 
2. Composição 127 
3. Topografia dos Fundos Oceânicos 127 
3.1. Plataforma Continental 127 
3.2. Talude Continental 128 
3.3. Crista Médio-Oceânica 129 
4. Processos Modeladores das Costas 129 
4.1. Marés 129 
4.2. Ondas 130 
4.3. Aspectos Formados pela Erosão das Ondas 131 
4.4. Movimento de Sedimentos em Águas Pouco Profundas 133 
5. Depósitos Marinhos 131 
5.1. Praias 133 
5.2. Pântanos Costeiros 135 
5.3. Recifes de Coral 135 
TEMA 10: ÁGUA SUBTERRÂNEA 137 
1. Introdução 137 
2. Água Subterrânea 137 
2.1. Origem da Água Subterrânea 137 
2.2. Armazenamento Subterrâneo de Água 137 
2.3. Infiltração de Água no Solo 138 
3. Configuração das Zonas Saturadas 139 
3.1. Água Nãop Confinada 139 
3.2. Água Confinada> Condições Artesianas 139 
4. Surgimentos das Águas Subterrâneas à Superfície 140 
4.1. Nascentes 140 
4.2. Geysers 140 
5. Paisagens Moduladas por Solução de Águas Subterrâneas 141 
5.1. Solução 141 
5.2. Paisagens 141 
5.3. Desvio de Drenagem Superficial 142 
5.4. Grutas 142 
TEMA 11: GEOCRONOLOGIA 143 
1. Fósseis 143 
2. Condições de Fossilização 143 
3. Importância Geológica dos Fósseis 144 
4. Fóssil-Guia e Fóssil de Fácies 144 
5. A Escala do Tempo Geológico 145 
 
 
Disciplina: GEOLOGIA GERAL; Cursos de : Agronomia e Geografia Tema 3 
 
 19 
 
 
TEMA 1: CONCEITO DE GEOLOGIA (sua relação com outras Ciências) 
 
1. INTRODUÇÃO 
O nosso conhecimento sobre a Terra (Fig. 1.1) baseia-se em 
séculos de observações, movidas pela curiosidade nata do Homem em saber 
sempre mais e de ir mais além. Esta curiosidade e ânsia de saber, levaram o 
Homem a enfrentar mares desconhecidos séculos e milénios atrás, levaram 
ainda, mais recentemente, a aventurar-se pelo espaço cósmico. A atracção 
pelo desconhecido é a característica da espécie humana, que a distingue de 
todas as outras espécies animais. E é esta característica que tem levado ao 
avanço das ciências e da tecnologia, que nos últimos anos tem dado passos 
gigantescos. A Geologia, como ciência, tem obviamente beneficiado destes 
avanços. 
A Geologia é um tipo especial de ciência, já que o seu laboratório 
é o Mundo em que vivemos. Por vezes, é possível tirar conclusões de 
caracter geológico através de ensaios laboratoriais controlados, mas a maioria 
 
Fig. 1.1. A Terra vista do Espaço 
das vezes isso não é possível, pois as dimensões de escala e de tempo que envolvem os fenómenos 
geológicos são demasiado grandes para lidarmos laboratorialmente com elas. Temos por isso de fazer 
observações sistemáticas e cuidadosas da Terra, e depois tirar as nossas conclusões acerca dos 
fenómenos a partir do conjunto destas observações. 
 
Fig. 1.2. Vulcão Kilauea, Hawaii 
Como se sabe, o Homem só tem acesso a uma ínfima parte do 
planeta, que é a superfície terrestre. Tudo o resto está fora do alcance da 
vista directa. Só se pode estudar por via indirecta, por meio de vários 
métodos de análise e observação: as lavas (Fig. 1.2) que vêm à superfície, 
as ondas sísmicas que se comportam de modo diferente consoante as 
rochas que atravessam, etc. Assim, a Geologia é uma ciência com uma 
dose bastante grande de especulação, mas é uma especulação lógica e sã, 
baseada em princípios e conceitos científicos. E como em todas as outras 
ciências, as teorias evoluem, são comprovadas ou negadas, e aparecem 
outras teorias. 
Em que medida o ser humano altera incessantemente a face da 
Terra? Se bem que as nossas contribuições individuais sejam pequenas, o 
somatório dos milhões de seres humanos que somos é enorme. 
Influenciamos a atmosfera, os rios, os lagos e os oceanos; 
afectamos as taxas de erosão dos solos e o modo como os desertos se 
expandem ou reduzem; cobrimos a superfície da Terra com estradas e 
cidades; redistribuímos os materiais terrestres cavando-os e transportando-os 
para onde os queremos usar; criamos lagos artificiais com a construção de 
diques e barragens; em suma, estamos constantemente a alterar as 
condições ambientais. Nós, Humanos, tornámo-nos uma força vital na 
modelação do nosso ambiente. 
Há muitas questões que se podem levantar sobre as interacções humanas com o ambiente, para 
as quais ainda não há respostas definitivas. Por exemplo: 
Disciplina: GEOLOGIA GERAL; Cursos de : Agronomia e Geografia