A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
12 pág.
CCT0191_AV

Pré-visualização | Página 1 de 3

Avaliação: CCT0191_AV1_201207070254 » MODELAGEM DE DADOS
Tipo de Avaliação: AV1
Aluno: 201207070254 - EDUARDO DE MOURA RODRIGUES
Professor: CLAUDIA ABREU PAES Turma: 9001/AA
Nota da Prova: 3,0 de 8,0 Nota do Trabalho: Nota de Participação: 1,25 Data: 19/04/2013 08:21:34
 1a Questão (Cód.: 52885) Pontos: 0,5 / 0,5
Um Banco de Dados é:
 uma coleção organizada de fatos registrados, que refletem o estudo de certos aspectos de interesse do
mundo real.
um sequência de linhas armazenadas em uma tabela.
uma coleção de fatos armazenados num arquivo computadorizado.
um grupo de dados guardados num computador.
uma coleção de fatos aleatórios registrados, que representam certos aspectos de interesse do mundo real.
 2a Questão (Cód.: 48233) Pontos: 0,0 / 0,5
O modelo de dados utilizado pelos SGBD lideres de mercado como o Oracle e SQL server é o:
Hierarquico
 Relacional
 Objeto Relacional
Redes
Orientado a Objetos
 3a Questão (Cód.: 48283) Pontos: 0,0 / 1,0
Na notação de Peter Chen um retângulo representa um(a):
 Entidade Tipo
Relacionamento
Relacionamento Tipo
 Entidade
Atributo
 4a Questão (Cód.: 48208) Pontos: 0,0 / 1,0
Considerando a arquitetura de 3 esquema para banco de dados podemos afirmar que:
O Administrador de Dados utiliza o Esquema Interno para gerenciar o banco de dados
 Os programadores de aplicações utilizam o Esquema Externo para realizar o seu trabalho
O Projetista de Banco de Dados gera o Esquema Interno a partir de modelos de alto nível.
O Administrador de Banco de Dados utiliza o Esquema Conceitual para realizar as suas tarefas.
 Os Gerentes de uma empresa visualizam seus dados a partir do Esquema Externo
 5a Questão (Cód.: 77794) Pontos: 1,0 / 1,0
Um Modelo de Dados corresponde a uma descrição formal da estrutura de um banco de dados. Com relação à
Modelagem de Dados, relacione os modelos, apresentados na coluna da esquerda, à respectiva característica, entre
as indicadas na coluna da direita.
 
I - P , II - Q , III - R.
I - S , II - P , III - Q.
I - Q , II - R , III - S.
 I - S , II - P , III - R.
I - S , II - R , III - Q.
 6a Questão (Cód.: 48301) Pontos: 1,0 / 1,0
A afirmação: "um empregado trabalha em um e apenas um departamento e em um departamento trabalham
nenhum ou vários empregados", mostra que as cardinalidades de empregado para departamento e de
departamento para empregado são respectivamente:
(0,N) e (0,1)
(0,N) e (1,1)
 (1,1) e (0,N)
(0,1) e (1,N)
(1,1) e (1,N)
 7a Questão (Cód.: 78078) Pontos: 0,0 / 1,0
Um modelo entidade-relacionamento foi reestruturado conforme mostrado na figura abaixo. 
Concluiu-se que todos os usuários eram funcionários, embora nem todos os funcionários fossem usuários. O modelo
relacional derivado desse modelo conceitual possuía originalmente duas variáveis de relação básicas, com os
mesmos nomes das entidades correspondentes, tendo ambas EMAIL como chave primária.
Considerando que a variável de relação FUNCIONARIO não será modificada e que a independência de dados
lógica será honrada, a variável de relação USUARIO:
 
será substituída por uma variável de relação básica, apenas.
 será substituída por uma variável de relação derivada, apenas.
 será substituída por uma variável de relação básica e uma derivada.
dispensará o uso de chaves candidatas.
terá que manter todos os seus atributos originais.
 8a Questão (Cód.: 52867) Pontos: 0,5 / 0,5
Num sistema desenvolvido com a utilização de um SGBD, o procedimento de backup é responsabilidade:
 do DBA
do usuário
do programador
da aplicação
do analista
 9a Questão (Cód.: 57346) Pontos: 0,0 / 0,5
Um Sistema Gerenciador de Banco de Dados (SGBD) é o conjunto de programas de computador responsável pelo
gerenciamento de uma base de dados. Dentre as funcionalidades de um SGBD, NÃO se inclui:
concorrência.
 controle transacional.
controle de acesso.
administração.
 manutenção de dados.
 10a Questão (Cód.: 48617) Pontos: 0,0 / 1,0
Considere o modelo entidade relacionamento acima.
Na transformação deste modelo conceitual em um modelo lógico relacional as cardinalidades do relacionamento
entre as entidades exercem um papel fundamental. Dado que se deseja gerar um modelo relacional que atenda a
3FN pode-se afirmar que sempre darão origem a uma tabela para cada uma das entidades envolvidas os
relacionamentos do tipo:
(0,1)x (0,N) devendo gerar uma tabela para o relacionamento
(1,N)x (0,N) podendo ou não gerar uma tabela para o relacionamento
 (0,1)x (0,N) podendo não gerar uma tabela para o relacionamento
(1,1)x (0,1) devendo gerar uma tabela para o relacionamento
 (0,N)x (0,N) podendo ou não gerar uma tabela para o relacionamento
 
 
$YDOLDomR��&&7����B$9�B�������������ª�02'(/$*(0�'(�'$'26
7LSR�GH�$YDOLDomR��$9�
$OXQR�����������������('8$5'2�'(�0285$�52'5,*8(6
3URIHVVRU� &/$8',$�$%5(8�3$(6 7XUPD�������$$
1RWD�GD�3URYD������GH������������1RWD�GR�7UDEDOKR���������1RWD�GH�3DUWLFLSDomR�����������'DWD���������������������
� �D�4XHVWmR��&yG��������� 3RQWRV������������
-i�TXH�PXLWRV�GRV�XVXiULRV�GRV�VLVWHPDV�GH�EDQFRV�GH�GDGRV�QmR�VmR�WUHLQDGRV�HP�FRPSXWDomR��RV�GHVHQYROYHGRUHV�GH
VLVWHPDV�RPLWHP�HVVD�FRPSOH[LGDGH�GHVVHV�XVXiULRV�SRU�PHLR�GRV�GLYHUVRV�QtYHLV�GH�DEVWUDomR��GH�PRGR�D�IDFLOLWDU�D
LQWHUDomR�GRV�XVXiULRV�FRP�R�VLVWHPD��
&RQVLGHUDQGR�R�WH[WR��GHVFUHYD�VREUH�R�QtYHO�GH�YLVmR��QtYHO�H[WHUQR��GH�DEVWUDomR�GH�GDGRV�
5HVSRVWD��&DEH�DR�6*%'��ID]HU�WRGR�R�WUDEDOKR�HP�UHODomR�DR�FRQFHLWR�ItVLFR�GR�EDQFR�GH�GDGRV��(VVH�QtYHO
H[WHUQR�VHUi�XVDGR��SULQFLSDOPHQWH��SHOR�JHUHQWH�GH�SURMHWR�GH�XPD�RUJDQL]DomR��SRLV�Mi�WHPRV�TXH�WHU�GHILQLGR
R�HVTXHPD�GR�EDQFR�GH�GDGRV��3RU�LVVR��QR�QtYHO�GH�YLVmR��URGDPRV�XPD�LQVWUXomR�64/��TXH�QmR�GL]�FRPR�GHYH
VHU�IHLWR�D�EXVFD�GRV�GDGRV��PDV��VLP��R�TXH�GHYH�VHU�EXVFDGR�
*DEDULWR�
1tYHO�H[WHUQR�p�R�PDLV�DOWR�QtYHO�GH�DEVWUDomR�H�GHVFUHYH�DSHQDV�SDUWH�GR�EDQFR�GH�GDGRV��0XLWR�GRV�XVXiULRV�GH�EDQFR
GH�GDGRV�QmR�SUHFLVDP�FRQKHFHU�WRGDV�DV�LQIRUPDo}HV��3HOR�FRQWUiULR��RV�XVXiULRV�QRUPDOPHQWH�XWLOL]DP�DSHQDV�SDUWH�GR
EDQFR�GH�GDGRV�
� �D�4XHVWmR��&yG��������� 3RQWRV������������
&RP�UHODomR�D�&KDYHV�H�tQGLFHV�GH�%DQFR�GH�'DGRV�
�
����&KDYH�GHVLJQD�R�FRQFHLWR�GH�LWHP�GH�EXVFD��RX�VHMD���XP�GDGR�TXH�VHUi�HPSUHJDGR�QD��
�����FRQVXOWD�j�EDVH�GH�GDGRV��e�XP�FRQFHLWR�OyJLFR�GD�DSOLFDomR�
����ËQGLFH�H�XP�UHFXUVR�ItVLFR�YLVDQGR�RWLPL]DU�D�UHFXSHUDomR�GH�XPD�LQIRUPDomR��YLD�XP�PpWRGR
�����GH�DFHVVR��6HX�REMHWLYR�SULQFLSDO�HVWi�UHODFLRQDGR�FRP�D�SHUIRUPDQFH�GR�VLVWHPD�
����8PD�FKDYH�SRGH�VHU�XWLOL]DGD�FRPR�tQGLFH���PDV�XP�tQGLFH�QmR�H�QHFHVVDULDPHQWH�XPD
�����FKDYH�
���3RGHPRV�WHU�HP�XP�EDQFR�GH�GDGRV�TXDQWRV�tQGLFHV�GHVHMDUPRV��VHP�TXDOTXHU�WLSR�GH
����SUHRFXSDomR
�
(VFROKD�D�DOWHUQDWLYD�FRUUHWD�
$SHQDV�RV�tWHQV���H���HVWmR�FRUUHWRV�
$SHQDV�RV�tWHQV���H���HVWmR�FRUUHWRV�
$SHQDV�RV�LWHQV���H���HVWmR�FRUUHWRV�
7RGRV�RV�TXDWUR�LWHQV�HVWmR�FRUUHWRV�
� $SHQDV�RV�LWHQV������H���HVWmR�FRUUHWRV�
� �D�4XHVWmR��&yG��������� 3RQWRV������������
$�DILUPDomR���XP�HPSUHJDGR�p�DORFDGR�D�XP�RX�YiULRV�SURMHWRV�H�XP�SURMHWR�SRVVXL�DORFDGRV�XP�RX�YiULRV
HPSUHJDGRV��(P�XP�GHWHUPLQDGR�SURMHWR�R�HPSUHJDGR�XWLOL]D�XPD�GHWHUPLQDGD�PiTXLQD��VHULD
FRQYHQLHQWHPHQWH�PRGHODU�FRPR�
8PD�DJUHJDomR�HQWUH�PiTXLQD�H�SURMHWR�H�UHODFLRQDU�D�HQWLGDGH�HPSUHJDGR�FRP�D�DJUHJDomR�
8P�UHODFLRQDPHQWR�HQWUH�PiTXLQD�H�SURMHWR�H�RXWUR�UHODFLRQDPHQWR�HQWUH�SURMHWR�H�HPSUHJDGRV�
� 8PD�DJUHJDomR�HQWUH�HPSUHJDGR�H�SURMHWR�H�UHODFLRQDU�D�HQWLGDGH�PiTXLQD�FRP�D�DJUHJDomR�
8PD�DJUHJDomR�HQWUH�HPSUHJDGR�H�PiTXLQD�H�UHODFLRQDU�D�HQWLGDGH�SURMHWR�FRP�D�DJUHJDomR�
8P�UHODFLRQDPHQWR�HQWUH�PiTXLQD�H�SURMHWR��XP�UHODFLRQDPHQWR�HQWUH�HPSUHJDGR�H�SURMHWR�H�XP
UHODFLRQDPHQWR�HQWUH�HPSUHJDGR�H�PiTXLQD�
� �D�4XHVWmR��&yG��������� 3RQWRV������������
1D�PRGHODJHP�GH�EDQFRV�GH�GDGRV�UHODFLRQDLV��Ki�R�FRQFHLWR�GH�HVSHFLDOL]DomR�WRWDO��6REUH�HVVH�FRQFHLWR�