A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
TRABALHO DE CONTABILIDADE

Pré-visualização | Página 1 de 1

FACULDADE DO PANTANAL MATO-GROSSENSE (FAPAN)
2º PERÍODO BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO
CONTABILIDADE DE CUSTOS
MICHELLE DAYHANE DE ANDRADE
PRATICAS DE CONTABILIDADE DE CUSTOS
PREFEITURA MUNICIPAL DE SALTO DO CÉU – MT
E PREFEITURA MUNICIPAL DE RECIFE - PE
CÁCERES
2013
 PRATICAS DE CONTABILIDADE DE CUSTOS
 O objetivo geral é verificar se no cotidiano as indústrias Paranaenses estão utilizando ferramentas da contabilidade de custos para a gestão de seus empreendimentos, lembrando que a contabilidade de custos possui três objetivos principais que podem ser usados dentro das empresas são eles: o planejamento e controle, relatórios para tomada de decisões e a custear produtos para avaliação de estoques e determinação de lucros, e após a verificação estar comparando a utilização deste método com outros estudos para chegarmos à efetiva utilidade da Contabilidade de Custos além destes três objetivos. Para responder esta questão foram escolhidas 30 indústrias como o critério de que todas deveriam estar entre as trezentas maiores empresas do sul, contudo somente 14 empresas responderam ao levantamento de dados com a aplicação de questionários aos responsáveis pela contabilidade.
 Da analise e absorção do conteúdo destes questionários pode-se verificar que as práticas de contabilidade de custos dessas indústrias são bem amplas passando pelo custeamento de produtos para formação de estoques e determinação de lucros (função mais tradicional) ate os custos para controle e custos para decisão (funções mais contemporâneas).
 Conclui-se assim que as informações de Contabilidade de custos estão sendo utilizadas para gerir suas atividades de planejamento, controle e tomada de decisão.
 Passando a analise da Contabilidade de Custos em relação ao setor publico realizando uma entrevista com a servidora senhora Vera Lucia Alves Silva Contadora da Prefeitura Municipal de Salto do Céu – MT empresa da qual faço parte do quadro de servidores, verifiquei que a mesma ainda não possui um sistema de contabilidade de custos tal qual descrito nas indústrias Paranaenses, mas foi frisado no decorrer da conversa que a LRF (Lei de Responsabilidade Fiscal) estabelece em seu artigo 50, § 3º que “A Administração Pública manterá sistema de custos que permita a avaliação e o acompanhamento da gestão orçamentária, financeira e patrimonial” (BRASIL, 2000) e que o Conselho Federal de Contabilidade (CFC) aprovou no dia 25 de novembro de 2011 a CFC Nº 1366/11 que estabelece normas de Custos para o Setor Público, estas que deveriam se tornar obrigatórias em 2013, mas o prazo foi prorrogado até janeiro de 2014, em virtude da dificuldade de adequação pelos municípios brasileiros, especialmente para as prefeituras cujos prefeitos estão no primeiro mandato, sem dúvida este sistema constitui um marco histórico da Contabilidade ao Setor Público no Brasil, pois as normas contábeis seguem padronização mundial. A Norma de Custos contempla ainda a obrigatoriedade da utilização do sistema de custos, que deve ser implantando em todo o setor público e na administração pública, abrangendo todos os entes e poderes. Este sistema como citado na Resolução denomina-se SICSP (subsistema de informação de custos do setor público), e tem como finalidade a melhoria da qualidade do gasto público. Realizando uma pesquisa para verificar se algum órgão da administração publica municipal já havia implantado o sistema ao cotidiano da administração verifiquei que no estado de Pernambuco mais especificamente na Prefeitura municipal de Recife que é considerada uma referencia nacional em contabilidade já implantou o sistema de custos onde é possível verificar o custo por aluno da rede municipal ou de paciente por unidade de saúde, assim como todos os serviços ofertados à sociedade, nas mais diversas áreas de atuação da gestão pública. 
 “O sistema de custos e a adequação às novas normas contábeis são importantes ferramentas de gestão, que visam proporcionar um maior controle, transparência e eficiência para a administração municipal”, avalia o secretário de Finanças, Petrônio Magalhães da prefeitura de Recife.
CONSIDERAÇÕES FINAIS
 A contabilidade de custos com o passar do tempo vai se firmando e ganhando novos adeptos, às novas normas são importantes ferramentas de gestão, que deverão proporcionar um maior controle, transparência e eficiência para a administração municipal. Uma das principais mudanças no âmbito público é quanto ao enfoque da contabilidade, que deixa de ser centrada no controle orçamentário para focar o controle patrimonial, fornecendo ao gestor público um suporte adequado para a tomada de decisão. 
REFERÊNCIAS 
Disponível em:< http://www2.recife.pe.gov.br/>. Acesso em: 25/09/2013
Disponível em:<http://portaltransparencia.recife.pe.gov.br/codigos/web/geral/home.php>. 
Acesso em: 25/09/2013
Resolução CFC Nº 1366/11 de 25 de novembro de 2011 aprova a NBC T 16.11 – sistema de informação de custos do setor público.
LEONE, George Sebastião Guerra. Custos, planejamento, Implantação e Controle. 3. Ed. São
Paulo: Atlas, 2000. 
 
BRASIL. Ministério da Fazenda. Secretaria do Tesouro Nacional. Manual de Treinamento do Sistema de Informação de Custos. Brasília: STN, 2010.