ATIVIDADE 03 SOCIOLOGIA JURÍDICA
10 pág.

ATIVIDADE 03 SOCIOLOGIA JURÍDICA


DisciplinaSociologia e Sociologia Jurídica1.608 materiais8.166 seguidores
Pré-visualização3 páginas
UNIVERSIDADE DO OESTE PAULISTA
DIREITO
ATIVIDADE 03 - DESENVOLVIMENTO HISTÓRICO DO DIREITO
DIREITO
 2ºA
Presidente Prudente - SP
2016
ATIVIDADE 03 \u2013 DESENVOLVIMENTO HISTÓRICO DO DIREITO
- Pesquise e responda as questões abaixo e as envie pelo Aprender, dentro do prazo previsto.
Material de apoio:
Código de Hamurabi*
PRÓLOGO
[...] Anu e Bel me chamaram, a mim Hamurabi, o excelso príncipe, o adorador de deuses, para implantar justiça na terra, para destruir os maus e o mal, para prevenir a opressão do fraco pelo forte, para iluminar o mundo e propiciar o bem-estar do povo. (VEIGA, J. L. Código de Hamurabi, SP: EDIPRO, 1994, p11)
 
(*) Trata-se de um código jurídico babilônico e dispões sobre vários aspectos da sociedade babilônica: comércio, propriedade, herança, escravidão, sendo os delitos acompanhados de punições, de acordo com a categoria social do infrator e da vítima. É um dos mais antigos documentos jurídicos conhecidos.
      Foi escrito por Hamurabi (2067-2025 a.C.), reunificador da Mesopotâmia e fundador do 1° Império Babilônico, considerado um representante direto dos deuses, cuja maior realização foi a centralização jurídica do império, por meio da elaboração de um código de leis supostamente \u2018ditado\u2019 pelos deuses Anu e Bel, deuses da terra, e Marduk, deus nacional de Babel.
_________________________________________________________________
TEXTO DE TÉRCIO S. FERRAZ JUNIOR
\u201cO jurista contemporâneo preocupa-se, assim, com o direito que ele postula ser um todo coerente, relativamente preciso nas suas determinações, orientado para uma ordem finalista, que protege a todos indistintamente\u201d                                                                (FERRAZ JR, 1989, p.83).                  
	
Questões
1. Fale sobre o cilindro de Ciro e sua relação com os direitos humanos.
Em 539 a.C., os exércitos de Ciro, O Grande, o primeiro rei da antiga Pérsia, conquistaram a cidade da Babilónia. Mas foram as suas ações posteriores que marcaram um avanço muito importante para o Homem. Ele libertou os escravos, declarou que todas as pessoas tinham o direito de escolher a sua própria religião, e estabeleceu a igualdade racial. Estes e outros decretos foram registados num cilindro de argila na língua acádica com a escritura cuneiforme.
Conhecido hoje como o Cilindro de Ciro, este registro antigo foi agora reconhecido como a primeira carta dos direitos humanos do mundo. Está traduzido nas seis línguas oficiais das Nações Unidas e as suas estipulações são análogas aos quatro primeiros artigos da Declaração Universal dos Direitos Humanos. 
2. Qual era o princípio fundante do direito no Código de Hamurabi (frase), na sociedade, medieval, moderna e contemporânea? Como você vê esta mudança de princípios fundantes do direito ao longo da história?
 No início da civilização humana os primeiros Estados constituíam sua ordem interna através da religião.Nesse tempo as leis eram elaboradas e apresentadas aos súditos pelos sacerdotes que afirmavam tê-las recebido diretamente dos Deuses, os quais conferiam autoridades a essas regras para que todos obedecessem.E assim ocorreu na Babilônia em 1700 a.C.. O rei Hamurabi recebeu do Deus \u201cShamash\u201d, o Deus do sol e da justiça, um conjunto de leis, que o obrigava a aplicá-la ao povo da Babilônia. Consequentemente, indivíduo que a infringisse, estaria  desobedecendo a Lei Divina e seria submetido aos terríveis castigos impostos por essa lei. Além desses castigos cruéis, o Código de Hamurabi, pregava o \u2018olho por olho e dente por dente\u2019, proibia os súditos de escolherem suas religiões, desfavoreciam determinadas classes trazendo vantagens em detrimento de outras, e ainda, mantinham pessoas como escravas.
O Código de Hamurabi é visto como a mais fiel origem do Direito. É a legislação mais antiga de que se tem conhecimento, e o seu trecho mais conhecido é a chamada lei de talião.  om uma melhor análise do conteúdo do código, fica claro que o objetivo (ao menos aparentemente) dessa legislação era trazer a justiça, mesmo que a maioria dos seus duzentos e oitenta e dois artigos sejam taliônicos e não correspondam às ideias mais modernas de justiça científica.
Um bom ponto que talvez ilustre perfeitamente a finalidade da composição de tal legislação é o prólogo, no qual está escrito o seguinte: \u201c(...) por esse tempo Anu e Bel me chamaram, a mim Hamurabi, o excelso príncipe, o adorador dos deuses, para implantar justiça na terra, para destruir os maus e o mal, para prevenir a opressão do fraco pelo forte, para iluminar o mundo e propiciar o bem-estar do povo (...)\u201d
A sociedade babilônica tinha por base a desigualdade. A primeira classe, e mais numerosa era a dos awilu, os cidadãos, proprietários, camponeses, artesãos e comerciantes.Em posição intermediária estavam os mushkenu (palavra, através do árabe, responsável pelo vocábulo português \u201cmesquinho\u201d); são os semi-livres, entre livres e escravos. Era formada por antigos escravos, homens livres desclassificados (plebe), muitas vezes estrangeiros.
Abaixo destes estava a classe dos escravos, wardu, resultante, sobretudo, da guerra, mas também determinada pelo nascimento, em virtude de sua hereditariedade.As disposições presentes no Código contemplam todas as classes, mas podemos observar que a legislação é feita com total parcialidade em favor da classe superior, os \u201cawilum\u201d. A maior parte dos artigos dão a entender que somente eles possuem direitos, pois frequentemente lemos a palavra awilum, e não qualquer expressão mais genérica que demonstraria imparcialidade.
3. Indique o agente constituído para operacionalizar o direito no Código de Hamurabi, no Direito Medieval, Moderno e contemporâneo?
Hamurabi é o sexto rei da Babilônia, responsável por decretar o código conhecido com seu nome, que sobreviveu até os dias de hoje em cópias parcialmente preservadas, sendo uma na forma de uma grande estela (monolito) de tamanho de um humano médio, além de vários tabletes menores de barro. Ele é pequeno, tendo em seu original três mil e seiscentas linhas, sendo essas linhas ordenadas em duzentos e oitenta e dois artigos, sendo que de alguns deles não há conhecimento completo de sua redação.
O original do Código de Hamurabi foi escrito/gravado em um bloco, e parte desses artigos foram apagados quando o bloco foi levado para Susa, confiscado depois de uma guerra. Com isso, alguns artigos ficaram com a sua compreensão comprometida. Alguns dos artigos apagados são conhecidos pela existência de cópias. O bloco original em que foi escrito o Código encontra-se atualmente nomuseu do Louvre, em Paris. Na verdade, como o Código de Hamurabi é a única legislação daquele povo, ele não deveria receber tal nomenclatura, tendo em vista que não apresenta-se da maneira de um código, noção que foi concebida após o Código Civil Napoleônico. Vale lembrar que o este código é uma legislação que está composta por vários fragmentos, sendo alguns civis, outros penais, alguns referentes ao direito do trabalho, etc.Importante lembrar que a sociedade que produziu o Código de Hamurabi era uma sociedade estratificada. As disposições determinam qual comportamento é pertinente para cada classe.A sociedade babilônica tinha por base a desigualdade. A primeira classe, e mais numerosa era a dos awilu, os cidadãos, proprietários, camponeses, artesãos e comerciantes.
A sociedade medieval era hierarquizada a Igreja assumia a tarefa de controlar e organizar a sociedade; a mobilidade social era praticamente inexistente. Alguns historiadores costumam dividir essa sociedade em três ordens: a do clero; a dos guerreiros e a dos camponeses.Ao clero cabia cuidar da salvação espiritual de todos; aos guerreiros, zelar pela segurança; e aos servos, executar o trabalho nos feudos.No mundo medieval, a posição social dos indivíduos era definida pela posse ou propriedade da terra, principal expressão de riqueza daquele período.O Senhor feudal tinha