depressao causa consequencias tratamento1
196 pág.

depressao causa consequencias tratamento1


DisciplinaPsicanálise e Psicologia2.246 materiais12.044 seguidores
Pré-visualização37 páginas
CAUSAS, CONSEQUÊNCIAS E TRATAMENTO 
C A S A D I T O R A V*IÍIUII Izaias Claro 
Denominada por muitos 
como "a doença do século", cm 
verdade a depressão é uma doen-
ça "de todos os tempos". Por ra-
zões várias, o homem sempre 
esteve exposto a este tipo de pro-
blema emocional-espiritual. 
O autor, espírita desde 1979. 
em virtude do permanente con-
tato com o público, deu-se con-
ta da gravidade do mal exami-
nado nesta obra e do quanto de-
veria empenhar-se no sentido de 
contribuir, de algum modo. para 
a minimização das aflições 
humanas. 
Izaias Claro é Presidente-Fun-
dador da Comunidade Espírita 
Joanna de Angelis, em Osvaldo 
Cruz/SP. que, no seu complexo, 
possui um abrigo para crianças de 
ambos os sexos, com atendimen-
to de algumas crianças especiais 
dentre os abrigados, e um Centro 
Espírita com as tarefas próprias de 
um bem organizado Centro Espí-
rita. O abrigo está construido no 
sistema de unidades-lares. inspi-
rado no excepcional trabalho de-
senvolvido pela Mansão do Ca-
minho, de Salvador/BA. dirigida 
[ k 
\ I 
I 
l Causas, consequências 
e tratamento. 
DEPRESSÃO: 
Caàsas, consequências 
e tratamento. 
Izaias Claro 
4â edição 
16.001 a 21.000 exemplares 
MARÇO - 1999 
Composto e Impresso: 
Gráfica da Casa Editora O Clarim 
(Propriedade do Centro Espírita "Amantes da Pobreza"). 
Fone: (016) 282-1066 - Fax: (016) 282-1647 
C.G.C. 52313780/0001-23 - Inscr. Est. 441002767116 
Rua Rui Barbosa, 1070 - Cx. Postal, 09 
CEP 15990-000 - Matão - SP 
e-mail: clarim.mto@netsite.com.br 
D E P R E S S Ã O : C A U S A S , C O N S E Q U Ê N C I A S 
E T R A T A M E N T O 
Dados para c a t a l o g a ç ã o na editora 
Claro, I zaias 
Depresí ão: Causas, Consequências 
e Tratai bento / Izaias Claro 
Matão/Í flP: Casa Editora 0 Clarim, agosto 1998 
I a ediçâ to - 6.000 exemplares 
Bibliografia 
I S B N 85-7357-042-3 
1. Espiritismo 2. Filosofia CDD-133.9 
índices p a r a catálogo sistemático: 
1. Espiritismo - 133.9 
2. Filosofia - atualidade - 869.9 
Impresso no Brasil 
Presita en Brazilo 
Agradecimentos: 
D o A u t o r : 
Prof . Maria Eduvirges Barboza Contieri e 
Prof\ Irene Masue Ikeda Sekine - Projeto Capa. 
Cláudio Borro - tela especialmente criada para a confecção da capa. 
Angelo Lu iz Belchior Antonini - digitação do texto. 
José Francisco Pardo de Freitas e Teresinha das Graças Rocha 
de Freitas (Teca) - conferência do texto. 
D a E d i t o r a : 
Dr. Alberto de Souza Rocha. 
Equipe de funcionários da Casa Editora O Clarim. 
ÍNDICE 
Capíti lo I : Primeiras anotações 15 
Sumá io 17 
doençfct de todos os tempos 17 
quant >s são os depressivos? 19 
quem Doderá contrair depressão? 20 
quanta tempo poderá durar uma depressão? 21 
a mulher e a depressão 23 
o que jé depressão 25 
graus (da depressão 26 
perfil comportamental do depressivo 28 
contri mição do Espiritismo e dos Bons Espíritos 30 
\u2022 Capítàlo I I : Uma síntese da Doutrina Espírita. O homem, no 
conceito £spírita 33 
Sumálio 35 
uma síntese da Doutrina Espírita 35 
o homem, no conceito espírita 41 
Capítàlo I I I : Na intimidade da casa mental 47 
Sumálio 49 
subconsciente, consciente e superconsciente 49 
subconsciente: um arquivo 51 
fixaçãi) no passado 55 
consctnte: comando atual 56 
fixaçã|) no presente 58 
somos o que pensamos ser 59 
Capítilo IV: Causas 61 
Sumáilo 63 
o própHo depressivo 63 
imaturidade psicológica 66 
9 
comportamento materialista 68 
sentimento de perda 71 
ressentimento 77 
sentimento de culpa 82 
obsessão 87 
outras causas: psico-sociais, psico-afetivas, socio-econômicas, 
enfermidades orgânicas, substâncias entorpecentes, alcoolismo e 
psicológico-espirituais 93 
\u2022 Capítulo V: Consequências 99 
Sumário 100 
comprometimento do sistema imunológico 100 
enfermidades orgânicas 101 
suicídio 103 
fator destrutivo da mente e da personalidade 105 
tragédias várias 107 
\u2022 Capítulo V I : Cura 111 
Sumário 113 
cure-se a si mesmo (o próprio depressivo) 113 
torne-se maduro emocionalmente (imaturidade psicológica) 118 
espiritualize-se (comportamento materialista) 121 
desapegue-se dos bens transitórios (sentimento de perda) 124 
perdoe sempre (ressentimento) 131 
perdoe-se e recomece (sentimento de culpa) 139 
liberte-se (obsessão) 148 
cura para as causas diversas (outras causas) ...153 
recomendações outras para a cura 159 
higienize-se mentalmente 160 
polarize o pensamento 162 
confie em Deus 165 
confie em Jesus 169 
ore fervorosamente 171 
ame sempre 173 
busque o Espiritismo 176 
encontre um Centro Espírita 178 
ampare-se na família 180 
tenha bons e estruturados amigos 182 
trabalhe e transpire também 184 
vigie sempre \u2022 185 
compn íenda e trabalhe a dor 186 
cultive} alegria íntima 190 
seja rafcional 192 
\u2022 breve página à mulher 194 
\u2022 vinte anos depois (duas orações) 197 
Bibliografia ,200 
PREFÁCIO 
Cristo-Jesus, em Seu Indimensional Amor, veio ao encontro de 
todos nós, Seus irmãos menores, com o Divino propósito de auxiliar-
nos na ascensão espiritual que devemos realizar. 
Afável, expressou-se assim: no mundo tereis aflições..., 
prevenindo-nos quanto às lutas que seriam travadas até que 
alcançássemos o ponto culminante de nossa evolução. 
Não há exceção para esta regra: todos os que nos encontramos 
vinculados ao Orbe terreno, padecemos aflições. Isto não significa, 
porém, como se verá oportunamente, que estejamos todos no estado de 
depressão propriamente dito. 
Considerando a complexidade da vida moderna, suas lutas e 
incertezas, muito natural não se conseguir manter um estado psíquico 
positivo inalterável; compreensível que vez ou outra apresentemos 
algumas tristezas, mágoas, aborrecimentos que, num certo grau e, desde 
que passageiro este estado, não pode ser qualificado de depressão clínica. 
E , em muitas situações, sobretudo nas especialmente traumáticas, chega 
a ser normal o cair em depressão, não se podendo esperar mesmo, em 
tal conjuntura, outra reação. 
Diz o Dr. John Bowlby: a tristeza é uma reação normal e 
saudável a qualquer infortúnio. (28) 
Se chega a ser normal o cair em depressão, em algumas situações, 
isto, de modo algum, justifica que o ser permaneça indefinidamente nesse 
estado, devendo, com toda a diligência, esforçar-se por recuperar o quanto 
antes o anterior estado emocional de alegria, de segurança íntima, de 
entusiasmo... 
Há duas décadas tenho convivido intensamente com pessoas 
depressivas, sensibilizando-me profundamente com as situações por elas 
experimentadas. 
Favorecido pelo conhecimento da Doutrina Espírita, e percebendo 
o quanto esta Doutrina pode beneficiar efetivamente as criaturas em 
aflições, senti o desejo de elaborar este trabalho que, na sua singeleza, 
guarda o despretensioso objetivo de contribuir. 
12 
Induvidosamente, imensa é a cooperação da Doutrina Espírita 
também neste campo, o das enfermidades emocionais/espirituais. 
Restaurando o pensamento puro de Jesus, o Espiritismo, em 
linguagem atual, demonstra a origem, a natureza e a destinação dos 
Espíritos, demonstrando pela mediunidade bem orientada e conduzida, 
que a alma, que pré-existia em relação ao corpo em formação na cavidade 
uterina, Sobreviverá à morte, retomando ao mundo espiritual, onde se 
encontrava antes deste último mergulho no corpo. 
Com esta certeza, a Vida assume sua real dimensão, enquanto a 
criatura adquire mais profunda e verdadeira compreensão das coisas. 
Comprovando a imortalidade da alma e apresentando-a nào mais 
como uma esperança, mas como uma realidade, a Doutrina dos Espíritos 
muito contribui para a compreensão Q aceitação dinâmica do sofrimento, 
bem estruturando a criatura para o enfrentamento de todas as situações 
afligentes. 
Com o Espiritismo, constatamos que os Espíritos, aqueles