A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
9 pág.
Sem Cult Jurid III - matéria menino

Pré-visualização | Página 1 de 2

Seminário de Cultura Jurídica III
Aula 01 – 11/Fev/10
Professora Violeta Caldeira
Assunto: Direitos Humanos
- Fichamento: Norberto Bobbio – Era dos Direitos – Cap. 1
Aula – 18/Fev/10
1. Bobbio
1.1 Jusnaturalismo
	- Liberdade / Propriedade
	- Defende a ideia que antes de entrar numa sociedade a pessoa já tem direitos humanos.
	- A liberdade é o direito de escolhas, um escolha privada. Esta liberdade passou a ser uma coisa natural, que todo o Estado deveria defender.
	- A propriedade é um bem natural que deve ser preservado, justificando com o trabalho. Locke dizia que ao empregar trabalho sobre uma coisa, esta se torna sua propriedade. Então a propriedade também é privada.
	 - O ápice de tornar os direitos naturais reais foi na Revolução Francesa. 
	- A Revolução fundamentou-se poder numa idéia de liberdade para todos, por isso somos iguais porque somos todos humanos.
1.2 Base Filosófica
	- Fundamento: somos todos iguais porque somos todos humanos, direitos humanos é para todos.
	- A Revolução Francesa como Direitos Humanos não atingiu toda a humanidade, ficando uma base filosófica formal e não material.
1.3 Sociedade
	- Caminho Inverso: caminho de ampliação dos direitos humanos, mesmo com a fragilidade.
1.4 Fragilidade dos fundamentos 
	- Com a fragilidade dos fundamentos dos direitos humanos, paralelamente ampliou os direitos.
	- Eu defendo os direitos humanos porque eu entendo que temos os mesmo direitos, porque somos humanos.
	- Por sermos todos iguais, podemos pensar de forma diferente. A liberdade é para todos e depois cada um é cada um.
	- Então os valores não podem ser impostos por ninguém.
	- Porém para que sejamos todos iguais, temos que impor um pensamento, para pensarmos iguais. Mas aquele que impôs o pensamento é mais poderoso do que os outros. Então temos que ter pensamentos diferentes para sermos todos iguais.
	- Com a ampliação dos direitos humanos, diminui os fundamentos.
1.5 Direitos Humanos Hoje
	- Alguns direitos humanos ainda são tidos para todos.
	- Conflito entre Direitos: Direitos Humanos X Outros Direitos Humanos Ex.: Direito a propriedade x Direito ao meio ambiente saudável.
	- Por isso os Direitos humanos não são mais absolutos.
	- Os Direitos Humanos são princípios, por isso se difere dos outros direitos ordinários.
	 - A disputa dos direitos humanos é recorrente, sempre entrando em conflitos.
	- Os direitos humanos se disputam entre si.
1.6 Justificativa x Proteção
	- 
2. Apresentação de Casos
	- Dia 18/03 – Início das Apresentações
	- Sobre os direitos humanos. Trazer casos para debater em sala.
	- Semana que vem trazer os 5 membros e a partir do dia 18/03 até o dia 04/04 terá que ser apresentado algum caso sobre os direitos humanos.
	- Texto para aula que vem: “Era dos Direitos” – Parte 2 e 3.
Aula – 25/Fev/10
1. Bobbio – Direitos Humanos
1.1 Fundamentos
	- Não é um fundamento absoluto
	- Instrumentos e regras de conduta formam o mundo da “cultura”, contraposto ao da “natureza”.
1.1.1 Natural
	- Um fundamento natural é imutável
	- Hobbes dizia que só a vida era um direito natural.
	- Kant entende que Dto natural como o direito que todo homem tem de obedecer apenas à lei de que ele mesmo é legislador.
1.1.2 Valor em si
	- Valor é uma coisa que se agrega
1.1.3 Valor histórico
	- Em um determinado período, em uma época as pessoas começaram a dar valor sobre alguma coisa.
	- Os direitos humanos passaram por 3 fases:
		1) Criação dos Direitos: ligado aos direitos naturais
			- Locke defende a vida, a propriedade e liberdade como direitos humanos, que são direitos naturais.
			- A fundamentação da propriedade é o trabalho.
			- Locke defende o direito de acumulação de propriedades. Riqueza.
			- A função do Estado é preservar estes direitos naturais, se ele não fizer, temos o direito de resistência.
		2) Positivação em poucos Estados: uso da Constituição para Positivar a teoria dos direitos humanos.
			- Mas os direitos humanos são existiam para aqueles que viviam nestes Estados.
		3) Implementados para Todos: Em 1948 temos a Declaração Universal dos Direitos do Homem, que é a implementação destes direitos para todas as pessoas.
1.1.4 Ideais
	- Os Dtos humanos ainda estão num plano ideal.
1.1.5 Implementação (Problema)
	- Influência e Poder
	- Para que o Dto valha é necessário que o Estado diga que estes dtos estão valendo e tem que fazer com que cumpram estes dtos.
	- O maior problema é que os Estados que não colocaram os dtos humanos, são os Estados que mais precisam destes dtos.
	- Temos um problema que não há um aparelho que faça que estes dtos sejam implementados em todos os Estados. Pois falta uma força de coerção pra que haja a implementação.
	- Existem duas formas de fazer com que eles respeitem os dtos:
 		- Influência: capacidade de influenciar os Estados respeitarem os dtos.
		- Poder: capacidade de forçar com que respeitem os dtos.
1.1.6 Conteúdo (Problema)
	- Temos também um problema de conteúdo
	- Alguns dos dtos fundamentais entram em conflitos com outros dtos fundamentais. 
	- Tanto o Comunismo quanto o Capitalismo brigavam por terem diferente entendimentos sobre os dtos humanos. 
	- Os problemas aparecem nos casos concretos, pois qual direito é mais importante naquele caso?	
1.1.7 Direitos Humanos pelos Estado e Contra os Estados
	- Como fazer com que o Estado respeite os dtos humanos? Quem vai controlar o próprio Estado.
	- Mais um problema, não temos um órgão internacional que tenha uma força coercitiva para que faça com que o Estado respeitem estes direitos.
	- O Órgão tem influência, mas ainda não possui poder.
1.1.8 Filosofia da História
	- Mesmo tendo problemas, ainda estes dtos são os mais importantes para o homem.
	- A tentativa de implementação é válida.
	- Filosofia de história é pensar através de um sentido. Para onde vamos?
	- Fazer filosofia histórica é por o problema do “sentido” em um evento ou uma série de eventos, segundo uma concepção finalística da história (teleológica) da história.	
	- Kant pensa na liberdade com autonomia (poder de legislar para si mesmo). A história tem deixado o homem cada vez mais livre.
	- A liberdade com autonomia é dto inato, transmitido pelo homem pela natureza, é a independência em face a qualquer constrangimento imposto pela vontade do outro.
	- A história tem libertado o homem (Kant).
	- Para Kant todo povo tem que ter o direito de criar uma Constituição Civil para si, sendo que esta esteja em harmonia com os dtos naturais dos homens.
	- Temos a idéia de evolução, progressão. Será que evoluímos?
	- Neste sentido há pessoas que acreditaram que podíamos evoluir moralmente. 
	- A idéia de uma doutrina moral veio do Jusnaturalismo.
	- E ai veio nazismo, com a evolução tecnológica facilitou o genocídio e consequentemente caindo na evolução moral.
	- Antes do nazismo, imaginava-se que o progresso da ciência era também um progresso moral.
	- Mas foi graças ao nazismo que criou-se os direitos universais do homem. Foi uma resposta ao nazismo.
	- Crítica dos Dtos do Homem para o Socialismo: os dtos do homem eram dtos a favor do capitalismo. Após a 2ª Guerra Mundial, tanto o socialismo quanto o capitalismo chegaram a um acordo que eram necessários os dtos humanos.
	- Só após a 2ª Guerra Mundial os dtos humanos deixou de ser nacional para ser internacional.
	- Bobbio entende que não podemos perder os dtos do homem, pois isso foi uma conquista.
Aula – 04/Mar/10
1. Revolução Francesa
1.1 França
	- Proclamado os Direitos dos Homens
	- Não tem controle de constitucionalidade.
	- Importante: Igualdade (nos Indivíduos)
	- Proteção dos Direitos
	- 
1.2 EUA
	- Proclama os Dtos Humanos.
	- Importante: Liberdade.
	- Controle de Constitucionalidade
	- Individualismo como o meio de desenvolvimento social (busca do bem comum - Farewell). O indivíduo é como o Estado ( Teoria Liberal do Estado –

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.