A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
57 pág.
1º COEL   COLÓQUIO DE ESTUDOS LITERÁRIOS

Pré-visualização | Página 10 de 15

com uma 
realidade que lhe parecia completamente estranha. Trata-se, pois, de um texto híbrido, cuja 
linguagem é construída a partir do cruzamento de distintos discursos que vão sendo 
recuperados para sua composição, dentre os quais, destacam-se os signos oriundos da Carta 
de Pero Vaz de Caminha. Como suporte às leituras, recorreremos às teorias de Linda 
Hutcheon (1985) sobre a paródia e autorreflexividade, para assim explicarmos como se 
processa a “reinvenção” dos elementos da tradição da literatura canônica ocidental no interior 
do poema analisado, espaço em que tais aspectos são “refuncionaliados”, adquirindo, então, 
uma dimensão mais plurissignificativa. Valendo-se de intertexto paródico com a Carta de 
Pero Vaz de Caminha, observa-se que o poema de Geraldo Carneiro busca reconfigurar a 
paisagem identidária do Brasil, fundamentando-a sobre as bases da heterogeneidade cultural. 
Demonstrar como se dá esse processo de “redescoberta do Brasil” na virada do século XX 
para o XXI é o objetivo desse estudo. 
 
PALAVRAS-CHAVE: Geraldo Carneiro; Por mares nunca dantes; Carta de Pero Vaz 
de Caminha; paródia; identidade brasileira. 
 
 
 
 
CADERNO DE RESUMOS do 1º COEL - Colóquio de Estudos Literários - 2016 - ISSN: 2448-0908 ano 1, v.1. 
~ 37 ~ 
 
 
Mariana Rissi Azevedo (UFAM) 
 
A MULHER ATRAVÉS DO OLHAR DO NARRADOR BUKOWSKIANO: A 
REPRESENTAÇÃO DO UNIVERSO FEMININO NA OBRA ERECTIONS, 
EJACULATIONS, EXHIBITIONS AND GENERAL TALES OF ORDINARY MADNESS, 
DO AUTOR CHARLES BUKOWSKI. 
 
RESUMO: Charles Bukowski se tornou famoso por seu estilo coloquial e obsceno focado no 
submundo da sociedade. Mulheres são constantemente objetificadas em seu trabalho. Por 
conta disso, Bukowski se tornou conhecido como sexista e misógino. Alguns críticos como 
Russell Harrison (1994) reconhecem a presença do chauvinismo machista na obra de 
Bukowski. No entanto, o teórico afirma haver uma ironia por parte do autor ao representar os 
protagonistas masculinos, o que demonstra uma sátira ao machismo. Russell afirma que a 
redação das obras do escritor tem de ser vista no contexto da ‘segunda onda do feminismo’, 
 época na qual Bukowski se consolidou, e como consequência recebeu influência. Esse 
momento da liberação feminina é representado por livros, tais como: Sexual Politics, de Kate 
Millett (1969) e The Female Eunuch, de Germaine Greer (1970). Bukowski, conhecido por 
apresentar a mulher como objeto do desejo masculino, demonstra uma sensibilidade diante da 
objetificação do corpo feminino no conto “The Most Beautiful Woman in Town”, no qual o 
autor retrata a protagonista Cass como vulnerável e carente de assistência. A presente 
comunicação situa esse conto na obra Erections, Ejaculations, Exhibitions and Tales of 
Ordinary Madness (1972), para demonstrar a forma excepcional com que o autor mostra a sua 
sensibilidade em relação à figura feminina no contexto de uma coletânea caracterizada por sua 
misoginia. 
 
PALAVRAS-CHAVE: Charles Bukowski; objetificação sexual; segunda onda do 
feminismo. 
 
 
 
 
CADERNO DE RESUMOS do 1º COEL - Colóquio de Estudos Literários - 2016 - ISSN: 2448-0908 ano 1, v.1. 
~ 38 ~ 
 
 
Nayara Maria Pessoa Lessa 
 
PROBLEMAS DES(COBERTOS): UMA ANÁLISE DOS RELATOS DOS 
PROBLEMAS AMAZÔNICOS QUE A HISTÓRIA NÃO REGISTROU 
 
RESUMO: A Amazônia é uma região que teve grande parte da sua história contada por 
relatos de viajantes, alheios às suas particularidades e, uma vez que atendiam as políticas da 
conquista, não pretendiam se fixar no território. Desde o século XVI, essa prática é 
visivelmente a marca usada para definir a região em comento. A leitura das obras Mulheres 
da Floresta (1999), Breve história da Amazônia (2001), e À Margem da História (1999) 
convidou-me a pensar em como surgiu o homem amazônico, dentro de um grande cenário que 
é o Brasil/Amazônia, propondo, assim, uma análise sobre o imaginário da Amazônia. Nesse 
sentido, procurei demonstrar neste artigo que houve um interesse nos séculos passados em 
evidenciar o seringueiro amazônico como um ser rude, preguiçoso, alguém distante não 
somente geograficamente, mas também de uma realidade que se acreditava que poderia haver 
na Amazônia. Uma realidade europeia com roupagem amazônica. Teremos oportunidade, 
através deste artigo, de contribuir com o entendimento de como se deu o processo social e 
econômico que grassou na região amazônica, a partir do início do século XX. Abordaremos 
como a determinada literatura encarou as relações sociais e os sujeitos que se inseriram nesse 
ciclo produtivo. As leituras de Amazônia – Cultura e Sociedade de Djalma Batista (2003), 
Mulheres da Floresta: Uma história de Cristina Scheibe Wolff (1999) foram essenciais e 
fizeram surgir o desejo de investigar e rever alguns posicionamentos a respeito da cultura 
amazônica. 
 
PALAVRAS-CHAVE: Seringueiro; imaginário; Amazônia. 
 
 
 
 
 
 
CADERNO DE RESUMOS do 1º COEL - Colóquio de Estudos Literários - 2016 - ISSN: 2448-0908 ano 1, v.1. 
~ 39 ~ 
 
 
Néstor Raúl González Gutiérrez (UNIMAR) 
 
A RELAÇÃO DO ESPAÇO COMO CONSTRUÇÃO DE IDENTIDADE CULTURAL 
NO CONTO INFANTIL DE DAVID SANCHEZ JULIAO 
 
RESUMO: O presente trabalho tem como objetivo identificar a relação do espaço no conto 
infantil El pais más hermoso del mundo, de David Sanchez Juliao, apresentando a relação 
entre as personagens com a conformação de uma identidade cultural e social na narrativa 
infantil como eixo articulador entre a “contação” de histórias com a consolidação de 
imaginários ficcionais que exaltam as características demográficas e regionais da Colômbia, 
ressaltando a importância das narrativas infantis como ferramentas pedagógicas no processo 
de identidade nacional. Discute-se a importância do conto infantil no processo de apreensão e 
de ressignificação social na identificação de realidades fomentadas pela leitura que garantem 
a produção de autoconhecimento e de reflexão entre realidade e ficção. A apresentação foi 
dividida em três tópicos que nortearão a sua compreensão, começando com uma breve 
biografia do autor, seguindo da articulação da sua obra com a produção de identidade cultural, 
para assim continuar com a relação do espaço e a produção de sentido no discurso descritivo. 
Para sua elaboração, se fez necessária a pesquisa bibliográfica de autores como BAKHTIN 
(2003), BRANDÃO (1997), FIORIN (2006), HALL (1992), entre outros não menos 
importantes. 
 
PALAVRAS-CHAVE: Conto infantil; Identidade Cultural; “Contação” de histórias; 
Literatura Colombiana. 
 
 
 
Paulo Eduardo Mendes Souza (UNIR) 
 
A RELAÇÃO BRASIL- CANADÁ NA OBRA DE PRISCILA UPPAL 
 
 
 
CADERNO DE RESUMOS do 1º COEL - Colóquio de Estudos Literários - 2016 - ISSN: 2448-0908 ano 1, v.1. 
~ 40 ~ 
 
 
RESUMO: Este trabalho é parte do projeto PIBIC: “Brasil nos escritos de Priscila Uppal” que 
desenvolvemos no Grupo de Pesquisa “Literatura, Educação e Diversidade: caminhos da 
alteridade”. Nossa proposta é explorar o livro da canadense Priscila Uppal, Projeção: o 
Encontro com minha mãe fugitiva, à luz das teorias de Literatura de viagem, e tradução pós-
colonial: Projeção (2013) é uma obra que foi bem recebida no Canadá e ganhou prêmios, 
sendo indicado para o “Governor´s General Award”, o mais alto prêmio da literatura 
canadense. A obra de Uppal foi classificada por alguns críticos canadenses como 
“Testemunho”. No entanto, argumentamos que está mais próximo de literatura de viagem. 
Percebe-se que a autora ao relatar sua viagem ao Brasil para reencontrar a mãe que não via há 
vinte anos, repete vários estereótipos sobre o país muito presente em obras de literatura de 
viagem.