A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
7 pág.
ZOOLOGIA DOS VERTEBRADOS AVES E MAMIFEROS

Pré-visualização | Página 1 de 2

ZOOLOGIA DOS VERTEBRADOS
AVES
Aves x pterossauria
Evolução convergente:
Ossos ocos
Esterno bem desenvolvido (quilha)
Olhos grandes
Olfato reduzido
Cerebelo grande (equilíbrio e coordenação)
Diferenças com as aves:
Asas (membrana sustentada pelo 4º dedo)
Especialização nos dentes
Evolução de especialização para o vôo
(tendência associada ao aumento da capacidade de vôo)
Redução das garras
Desenvolvimento do hálux oponível
Desenvolvimento do esterno
Redução da cauda
Fusão do esqueleto
Evolução do vôo
Três hipóteses: hipótese arborícola, terrestre e alternativa
Arborícola = das árvores p/ baixo:
Planeio
Débil vôo batido
Vôo batido
Problema: a linhagem de origem das aves consistia de formas bípedes cursoras, predadoras terrestres.
Terrestre = do chão para cima:
Corredores bípedes velozes
Uso das asas como planadores 
Uso para vôo batido na corrida
Vôo potente no ar
Problema: batimento das asas não é um mecanismo eficiente para aumentar a velocidade na corrida.
Alternativa 
Armadilhas para derrubar presas contra o substrato
Apêndices vibráteis, auxiliando no salto horizontal sobre a presa
Alongamento das penas, conduzindo aos vôos batidos
Funções das penas
Isolante térmico
Coloração de proteção
Vôo
Flutuação
CARACTERÍSTICAS GERAIS DAS AVES ATUAIS
Adaptação ao vôo impôs certa uniformidade na estrutura e na fisiologia de todas as aves
Locomoção:
Ossos pneumáticos
Crânio e órbitas grandes
Pescoço longo (ajeitar as penas)
Esterno em quilha 
Coluna vertebral rígida, que confere apoio para asas e cintura pélvica
Ossos da mão modificados, para inserção de penas
Vertebras caudais fundidas (apoio para penas da cauda)
Asas acima do centro da gravidade
Adaptações para melhor vôo
Massa corpórea melhor distribuída
Maior parte da massa corpórea concentra-se nos membros posteriores (traseiros) 
Sem bexiga urinária, gônadas hipertrofiam na estação reprodutiva e depois regridem
*Corações grandes, alta velocidade de fluxo sanguíneo, fluxo de corrente-cruzada de ar e sangue, maximiza troca de gases e dissipa o calor produzido pelos altos níveis de atividade muscular durante o vôo*
Retenção de água
Penas: escamas córneas modificadas
Escamas córneas: pés, pernas e bico
Gls cutâneas ausentes (exceto g luropígea)
Fazem muda
Excreção de água
Acido úrico (urina sólida)
Sem bexiga urinária (redução de peso)
Rins mais aprimorados
Respiração
Pulmão pequeno e compacto
Ventilados por movimentos das costelas
Sacos aéreos (reservatórios de ar):
Maior volume de ar
Maior leveza
Termorregulação
Sistema de contra corrente (maior eficiência respiratória)
Alimentação (bico)
Sem dentes
Aperfeiçoamento do bico (formato depende do hábito alimentar)
Aperfeiçoamento do sistema digestivo
Modificações associadas à ausência dos dentes
Língua longa
Papo
Proventriculo
Moela
Intestino com muitas vilosidades
Gls salivares
Metabolismo
Endotérmicas
Homeotérmicas
Termorregulação: penas, sacos aéreos, ofegação
Vantagem: amplia a área de distribuição geográfica, amplia o período de atividade
Sistema sensorial
As aves precisam de um contínuo fluxo de informações sensoriais espaciais para perceber sua posição e evitar obstáculos no seu caminho
Visão e audição: principal sistema de percepção do ambiente
Olfação: pouco importante
Reprodução 
Reprodução interna
Ovíparas (redução do peso)
Ovo cleidóico
Migração 
Respostas às mudanças sazonais na disponibilidade de recursos
Vantagens:
Fontes normais de alimento não estão disponíveis no inverno
Evitar temperaturas muito baixas no inverno
Reprodução em altas latitudes no verão, onde os dias são mais longos
MAMIFEROS 
CARACTERÍSTICAS GERAIS
Corpo coberto por pelos 
Tegumento com glândulas (sudoríparas, odoríferas, sebáceas e mamárias) 
Boca com dentição difiodonte, dentes heterodontes, maxila inferior formada por um único osso (dentário) 
Pálpebras móveis e orelhas carnudas 
Quatro membros adaptados a diversas formas de locomoção: terrestre, aquática, aérea
Coração com 4 câmaras, aorta esquerda e glôbulos vermelhos anucleados bicôncavos Pulmões e alvéolos 
Palato secundário separa a passagem do ar do céu da boca
Diafragma muscular 
Sistema excretor com rim e bexiga 
Encéfalo bem desenvolvido (neocórtex) e 12 pares de nervos cranianos
Endotermos e homeotérmicos 
Cloaca presente apenas em Monotremados 
Sexos separados, órgãos copuladores e determinação sexual por machos (heterogamética) Fecundação interna: ovos desenvolvem-se no útero com ligação placentária e membranas embrionárias (âmnion, córion e alantóide) 
Jovens alimentados por leite produzido pelas glândulas mamárias
Especializações na alimentação
Obter e processar alimentos de forma eficiente → suprir suas amplas necessidades de energia
Todos os grupos de mamífero mastigam e engolem seu alimento → papel dos dentes e da língua
- insetívoros
- carnívoros
- herbívoros: enzimas que digerem celulose, produzidas por microorganismos 
Dentição
Incisivos: cortar
Caninos: lacerar
Pre molares: dilacerar, prender e triturar
Molares: prender e triturar
Dentição decídua, presente no animal jovem; dentes permanentes, também conhecidos como definitivos.
Fermentação o intestino:
Monogástricos
Mastigam muito as plantas
Fermentação no ceco (microorganismos)
Digestão e absorção no intestino
Sobrevivem com alimentos de baixa qualidade mas com grande quantidade
Digástricos ruminantes
Mastigam pouco as plantas
Fermentação em câmaras
Somente absorção no intestino
Sobrevivem com alimentos de pouca quantidade mas com boa qualidade
Fermenta celulose e proteínas
Proteína transformada em amônia levada ao fígado e convertida em ureia 
Ureia é transportada ao rumen, onde é utilizada pelos microorganismos para crescimento
Herbívoros roedores
Incisivos crescem continuamente ao longo da vida
Desgaste formando extremidade cortante
Apresenta algum grau de fermentação no trato digestório
Especializações na locomoção
Patas situadas abaixo do corpo – melhor sustentação, confere velocidade
Patas adaptada para caminhar, correr, trepar, cavar, nadar, voar
Salto
Andar e trote rápido
Galope
Especialização no tegumento
Endotermia – animal utiliza quase toda energia presente no alimento ingerido pra manter-se aquecido
A redução da perda de calor para o ambiente pode ser um fator importante no balanço energético 
A estrutura do tegumento constitui um mecanismo anatômico de termorregulação nos mamíferos: gls cutâneas, pelo, camada de gordura
Camadas da pele: epiderme, derme, hipoderme.
Pelos: queratina, pigmentos e bolhas de ar.
Características: crescimento, substituição e mobilidade.
- ricamente inervados na base (percepção tátil)
Glândulas
Sudoríparas: 
Termorregulação
Maleabilidade da pele
Aumentam o atrito
Sensibilidade de pressão
Sebáceas:
Lubrificante 
Abrem-se no folículo
Apócrinas:
Substancias voláteis 
Agua
Ions
Anexos da pele associadas as falanges terminais
Locomoção
Defesa
Predação
Interações sociais
CHIFRES E CORNOS
Chifres
Presentes apenas nos machos
Substituído anualmente
Camada aveludada
Compostos de ossos sólidos
Corno
Crescem continuamente e ocorrem nos dois sexos
Estruturas ocas 
Funções: defesa e exibição 
Especializações nos órgãos dos sentidos
Sistema nervoso central e seus componentes sensoriais
Sistemas sensoriais que foram aprimorados para ocupação do ambiente terrestre noturno?
Pouca luminosidade
Longas distâncias
Transmissão no ar
Retina dominada por bastonetes – visão mais apropriada para o ambiente noturno
Olfação detecta as substâncias transportadas por correntes de ar, audição vantajosa para percepção a longa distância, ecolocalização: sistema de navegação e orientação noturna de cetáceos com dentes e morcegos.
Especializações em reprodução 
Fecundação interna
Machos com órgão copulador
Vivíparos
*ovos sem casca, retidos no útero da femea
*poucos filhotes
*placenta para respiração, nutrição e excreção do