atividade fisica 8

atividade fisica 8


DisciplinaAtividade Física96 materiais571 seguidores
Pré-visualização1 página
ATIVIDADE FÍSICA E ENVELHECIMENTO	
Aula 8 - Doenças Cardiovasculares
Tema da Apresentação
DOENÇAS CARDIOVASCULARES \u2013 AULA 8
ATIVIDADE FÍSICA E ENVELHECIMENTO
Conteúdo Programático desta aula
Principais características e tipos de doenças cardiovasculares;
Fatores de risco para DAC;
Fisiopatologia da Hipertensão arterial Sistêmica;
Reabilitação Cardíaca
Prescrição de Exercícios
Tema da Apresentação
DOENÇAS CARDIOVASCULARES \u2013 AULA 8
ATIVIDADE FÍSICA E ENVELHECIMENTO
DOENÇAS CARDIOVASCULARES
englobam um conjunto de doenças do aparelho circulatório que afetam o coração (doenças centrais) e os vasos sanguíneos (doenças periféricas), podendo ser divididas em:
doença isquêmica do coração;
acidente vascular encefálico;
doença vascular periférica;
insuficiência cardíaca;
doença cardíaca reumática; e
doença cardíaca congênita
A organização mundial de saúde inclui a hipertensão arterial sistêmica (HAS) como um tipo de doença cardiovascular (WHO, 2012)
Tema da Apresentação
DOENÇAS CARDIOVASCULARES \u2013 AULA 8
ATIVIDADE FÍSICA E ENVELHECIMENTO
DOENÇAS CARDIOVASCULARES
a insuficiência cardíaca é a principal morbidade hospitalar de pacientes a partir de 60 anos de idade no SUS
o aumento do número de mortes, principalmente por doença arterial coronariana (linha roxa) e acidente vascular encefálico (linha vinho) com o envelhecimento.
Tema da Apresentação
DOENÇAS CARDIOVASCULARES \u2013 AULA 8
ATIVIDADE FÍSICA E ENVELHECIMENTO
DOENÇA ARTERIAL CORONARIANA
é causada pela aterosclerose (processo de deposição de placas gordurosas nas paredes das artérias coronarianas), que causam um estreitamento da luz arterial
Tema da Apresentação
DOENÇAS CARDIOVASCULARES \u2013 AULA 8
ATIVIDADE FÍSICA E ENVELHECIMENTO
ANGINA
Tema da Apresentação
DOENÇAS CARDIOVASCULARES \u2013 AULA 8
ATIVIDADE FÍSICA E ENVELHECIMENTO
OBSTRUÇÃO DA ARTÉRIA CORONARIANA
Tema da Apresentação
DOENÇAS CARDIOVASCULARES \u2013 AULA 8
ATIVIDADE FÍSICA E ENVELHECIMENTO
FATORES DE RISCO PARA DAC
Tema da Apresentação
DOENÇAS CARDIOVASCULARES \u2013 AULA 8
ATIVIDADE FÍSICA E ENVELHECIMENTO
FATORES DE RISCO PARA DAC
Tema da Apresentação
DOENÇAS CARDIOVASCULARES \u2013 AULA 8
ATIVIDADE FÍSICA E ENVELHECIMENTO
EXEMPLO
Um indivíduo de 60 anos de idade sem nenhum outro fator de risco e HDL-C>60mg/dL, terá seu fator de risco idade cancelado. Sendo considerado então, sem risco de DAC.
É importante frisar que valores de HDL-C>60mg/dL são considerados um fator de risco negativo, pois altas concentrações de HDL-C diminuem o risco de DAC. Neste caso, deve-se diminuir um fator de risco positivo
Tema da Apresentação
DOENÇAS CARDIOVASCULARES \u2013 AULA 8
ATIVIDADE FÍSICA E ENVELHECIMENTO
EFEITOS DO EXERCÍCIO FÍSICO SOBRE OS FATORES DE RISCO
Tema da Apresentação
DOENÇAS CARDIOVASCULARES \u2013 AULA 8
ATIVIDADE FÍSICA E ENVELHECIMENTO
EFEITOS DO EXERCÍCIO PARA INDIVÍDUOS COM DAC
Aumento da capacidade funcional \u2013 o consumo máximo de oxigênio pode aumenta em média 20% em pacientes com DAC após 3 meses de treinamento.
Diminuição dos sintomas de isquemia do miocárdio \u2013 o exercício físico provoca redução da frequência cardíaca submáxima para determinada carga de trabalho, com isso retarda o limiar para aparecimento de sintomas da doença, como a angina;
Antes de iniciarmos um programa de exercícios para indivíduos com DAC é imprescindível a autorização do médico acompanhante
Tema da Apresentação
DOENÇAS CARDIOVASCULARES \u2013 AULA 8
ATIVIDADE FÍSICA E ENVELHECIMENTO
REABILITAÇÃO CARDÍACA
Um programa de reabilitação cardíaca compreende, comumente, 3 fases: 
Fase I (período de internação);
Fase II (primeiros 3 meses após a alta hospitalar); e
Fase III (após 3 meses de alta) 
Profissional de Educação Física atua de forma mais efetiva nas fases II e III.
Tema da Apresentação
DOENÇAS CARDIOVASCULARES \u2013 AULA 8
ATIVIDADE FÍSICA E ENVELHECIMENTO
REABILITAÇÃO CARDÍACA
Tema da Apresentação
DOENÇAS CARDIOVASCULARES \u2013 AULA 8
ATIVIDADE FÍSICA E ENVELHECIMENTO
REABILITAÇÃO CARDÍACA
Tema da Apresentação
DOENÇAS CARDIOVASCULARES \u2013 AULA 8
ATIVIDADE FÍSICA E ENVELHECIMENTO
TREINAMENTO COM PESOS
Equipamento: elásticos, halteres, dumbells e máquinas.
Intensidade: 12 a 15 repetições realizadas de maneira confortável; Aumentar a carga em 5% após o paciente conseguir realizar as repetições com facilidade; indivíduos de baixo-risco pode realizar de 8 a 12 repetições preferindo exercícios multi-articulares;
Frequencia: de 2 a 3 vezes/semana com intervalo de 48h;
Progressão: aumentar lentamente a carga com a adaptação ao programa. Recomenda-se um aumento na carga de 1 a 2kg por semana para membros superiores e de 2 a 5kg para membros inferiores.
Tema da Apresentação
DOENÇAS CARDIOVASCULARES \u2013 AULA 8
ATIVIDADE FÍSICA E ENVELHECIMENTO
HIPERTENSÃO ARTERIAL SISTÊMICA
é uma condição clínica multifatorial caracterizada por níveis elevados e sustentados de pressão arterial (PA).
Associa-se frequentemente a alterações funcionais e/ou estruturais dos órgãos-alvo (coração, encéfalo, rins e vasos sanguíneos) e a alterações metabólicas, com consequente aumento do risco de eventos cardiovasculares fatais e não-fatais 
Nos últimos 20 anos estudos apontaram uma prevalência de HAS acima de 30%, alcançando mais de 50% entre 60 e 69 anos e 75% acima de 70 anos.
Tema da Apresentação
DOENÇAS CARDIOVASCULARES \u2013 AULA 8
ATIVIDADE FÍSICA E ENVELHECIMENTO
MODIFICAÇÕES NOS HÁBITOS DE VIDA
Tema da Apresentação
DOENÇAS CARDIOVASCULARES \u2013 AULA 8
ATIVIDADE FÍSICA E ENVELHECIMENTO
EFEITOS HIPOTENSIVOS DO EXERCÍCIO
redução da atividade nervosa simpática; 
aumento da excreção urinária de sódio;
diminuição da atividade da renina plasmática;
aumento da secreção de prostaglandina E; e 
diminuição da insulina plasmática. 
Tema da Apresentação
DOENÇAS CARDIOVASCULARES \u2013 AULA 8
ATIVIDADE FÍSICA E ENVELHECIMENTO
EXERCÍCIOS CARDIORRESPIRATÓRIOS X CONTRA-RESISTIDOS
Comparação entre as magnitudes do efeito hipontensor pós-exercício aeróbio e pós-exercício com pesos não mostram diferenças entre os exercícios.
Resposta hipotensora independe da intensidade, sendo dependente da duração. 
Quanto maior a duração maior a redução. 
exercícios aeróbios a resposta hipotensora pós-exercício foi encontrada em durações entre 20 e 60 minutos;
exercícios com pesos as respostas foram encontradas em durações entre 15 e 60 minutos . 
Tema da Apresentação
DOENÇAS CARDIOVASCULARES \u2013 AULA 8
ATIVIDADE FÍSICA E ENVELHECIMENTO
CONSIDERAÇÕES NA PRESCRIÇÃO DE EXERCÍCIOS
somente iniciar um programa de exercícios após autorização por escrito do médico acompanhante;
não iniciar a sessão de treino se a pressão arterial estiver maior que 160x105mmHg (SBC/SBH/SBN, 2009), já o ACSM (2009) preconiza os valores de 200x110mmHg;
o uso de beta-bloqueadores mascara a resposta da frequência cardíaca ao esforço, devendo utilizar as escalas de esforço percebido para monitorar a intensidade;
medicamentos anti-hipertensivos como vasodilatadores, beta-bloqueadores e bloqueadores de canal de cálcio podem potencializar a hipotensão pós-exercício, nestes indivíduos deve-se prolongar e monitorar a fase de resfriamento ou volta-à-calma; e
 evitar a manobra de Valsalva.
Tema da Apresentação
TEORIAS DO ENVELHECIMENTO \u2013 AULA1
ATIVIDADE FÍSICA E ENVELHECIMENTO
Revisão da Aula
Conceituação de doenças cardiovasculares, DAC e HAS.
Fatores de risco para DAC e benefícios do exercício físico;
Hipertensão Arterial e modificações nos hábitos de vida;
Reabilitação cardíaca e considerações na prescrição de exercícios
Tema da Apresentação