Buscar

Aula 4 Direito Civil II Contratos Formação e Conclusão Contratual

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você viu 3, do total de 4 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Prévia do material em texto

Direito Civil II – Contratos 
Professor João Guilherme Assafim 
Aula 4 – Formação e Conclusão Contratual 
 
FORMAÇÃO E CONCLUSÃO CONTRATUAL 
Um período de formação e conclusão contratual pode ser mais ou menos 
longo, contendo todas as etapas ou apenas algumas delas, dependendo 
exclusivamente do consentimento das partes. As etapas abaixo descritas 
fazem parte da formação e conclusão de um contrato paritário. 
 
PERÍODO PRÉ-CONTRATUAL: 
Trata-se da maturação de idéias no sentido dos agentes começarem a 
negociar uma formação contratual. 
Nesta etapa a responsabilidade é considerada extracontratual, ou seja, 
não possui força vinculante. As partes podem efetuar ligações telefônicas, 
envio de e-mail, fax e até a entrega minuta de contrato denominada de 
PONTUAÇÃO. Esta minuta por força de sua denominação não gera força 
vinculante nesta etapa, apenas serve de subsídios para elaboração da 
etapa posterior denominada de oferta. Período de busca de informações 
pelas partes, etapa esta também denominada por alguns Doutrinadores 
como Período de Pontuação. 
 
OBSERVAÇÃO: PRÉ-CONTRATO E/OU CONTRATO PRELIMINAR não se trata 
de período pré-contratual. O Contrato Preliminar já possui força 
vinculante, pois já se ultrapassou a fase da busca de informação, oferta e 
aceitação. Trata-se de uma promessa de celebração de um contrato 
principal futuro, ou seja, já foi efetuado aceite e/ou o pagamento de sinal, 
 
tendo ainda a possibilidade de ser utilizada a chamada cláusula de 
arrependimento. 
 
OFERTA, PROPOSTA OU POLICITAÇÃO 
O período de oferta não poderá ter o mesmo tratamento jurídico do 
período pré-contratual, uma vez que já existe a demonstração real de 
contratação. 
Partes envolvidas: 
1) Ofertante, proponente ou policitante. 
2) Oblato 
 
OFERTA OBRIGATÓRIA DE CONTRATO PARITÁRIO – FORÇA VINCULANTE 
PARA AMBOS OS CONTRATANTES: 
De acordo com o artigo 427 do Código Civil, para que a oferta tenha força 
vinculante para as partes, esta etapa deverá cumprir os seguintes 
requisitos (entendimento STJ): 
1) Demonstração do propósito sério em querer contratar; 
2) Que a proposta seja clara e objetiva, contendo todas as condições do 
negócio, sem qualquer tipo de lacuna ou obscuridade que possam suscitar 
dúvidas; e 
3) Prazo determinado de resposta para as partes. 
 
OFERTA NÃO OBRIGATÓRIA DE CONTRATO PARITÁRIO: 
Para que a oferta não tenha força vinculante para as partes, basta que a 
referida etapa não tenha prazo determinado de resposta, de acordo com 
o artigo 428, inciso I do Código Civil. 
 
 
 
 
Oferta de Contrato Paritário: artigos 427 e 428, inciso I do Código Civil. 
Oferta de Contrato de Adesão: artigos 29, 30, 31 e 35 do Código de Defesa 
do Consumidor. 
 
ACEITAÇÃO: 
É a aderência à proposta formulada nos mesmos termos em que foi 
apresentada pelas partes envolvidas. 
 
DISTRATO, RESCISÃO E RESILIÇÃO (pela Teoria Clássica): 
DISTRATO: Feito em comum acordo pelas partes, em período que ainda 
não ocorreu qualquer cumprimento e/ou execução de obrigação 
contratual, de acordo com o artigo 472 do Código Civil. 
RESCISÃO: Geralmente baseada em cláusula penal expressa no contrato, 
podendo ocorrer de forma unilateral e impositiva, ou de comum acordo 
das partes. 
RESILIÇÃO: Ocorre quando a denúncia do contrato apenas se baseia em 
artigos de lei (exemplo: denúncia vazia nos contratos de locação). 
OBSERVAÇÃO: TEORIA DE MERCADO OU PRÓ-MERCADO. 
Termo de Distrato – documento assinado pelas partes. 
Resilição – cláusula penal expressa (podendo ocorrer de forma unilateral 
ou bilateral). 
Termo de Distrato assinado -> contrato cumpre a etapa de rescisão; 
 A Teoria pró-mercado faculta as partes estipularem a cumulação de 
cláusulas penais em um contrato paritário. 
 
 
 
QUITAÇÃO: 
Documento pelo qual as partes confirmam que os direitos e deveres 
contratuais foram cumpridos de forma plena, ficando as partes liberadas 
da força vinculante anteriormente pactuada. O documento de quitação 
serve como carta de recomendação para a celebração de futuros 
contratos/negócios.

Materiais relacionados

Perguntas relacionadas

Materiais recentes

Perguntas Recentes