A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
87 pág.
Aula 03

Pré-visualização | Página 9 de 23

não 
ofende a CF. Da mesma forma, não há ilegalidade na ampliação da 
acusação a servidor público, se, durante o processo administrativo, 
forem apurados fatos novos que constituam infração disciplinar, 
desde que rigorosamente observados os princípios do contraditório e 
da ampla defesa. O referido tribunal entende, também, que a 
autoridade julgadora não está vinculada às conclusões da comissão 
de processo administrativo disciplinar. 
Comentários: 
O primeiro período trata da súmula vinculante de nº 5: 
A falta de defesa técnica por advogado no processo administrativo 
disciplinar não ofende a Constituição. Em relação ao segundo e 
terceiro períodos , trata-se da completa literalidade do julgado do 
recurso em mandado de segurança (RMS) 24526 / DF - DISTRITO 
FEDERAL: "...1.Não há ilegalidade na ampliação da acusação a 
servidor público, se durante o processo administrativo forem 
apurados fatos novos que constituam infração disciplinar. O princípio 
 
7
 Bulos, Uadi Lammêgo. Constituição Federal Anotada 8ª ed. - São Paulo: Saraiva, 2008. 
CURSO ON-LINE - D. CONSTITUCIONAL MPU 
PROFESSORES: VÍTOR CRUZ E RODRIGO DUARTE 
31 
Prof. Vítor Cruz e Rodrigo Duarte WWW.PONTODOSCONCURSOS.COM.BR 
do contraditório e da ampla defesa deve ser rigorosamente 
observado. 2. É permitido ao agente administrativo, para 
complementar suas razões, encampar os termos de parecer exarado 
por autoridade de menor hierarquia. A autoridade julgadora não está 
vinculada às conclusões da comissão processante. 
Gabarito: Correto. 
 
46. (CESPE/Procurador-TCE-ES/2009) São de observância 
obrigatória os princípios constitucionais do contraditório e da ampla 
defesa em processo administrativo disciplinar, configurando 
cerceamento de defesa a ausência de defesa técnica, por advogado, 
em tal hipótese. 
Comentários: 
O erro da questão figura no fato de que, segundo a Súmula 
Vinculante nº 5, a falta de defesa técnica por advogado no processo 
administrativo disciplinar não ofende a Constituição, não se 
configurando cerceamento de defesa. 
Gabarito: Errado. 
 
47. (CESPE/Juiz Federal Substituto – TRF 5ª/2009) Considere 
que Paulo tenha respondido a processo administrativo disciplinar e 
optado por nomear como seu defensor um colega de trabalho que 
não era nem advogado nem bacharel em direito. Nessa situação 
hipotética, caracteriza-se violação ao princípio da ampla defesa. 
Comentários: 
Pois a falta de defesa técnica por advogado no processo 
administrativo disciplinar não ofende a garantia constitucional da 
ampla defesa. (consoante com a súmula vinculante nº 5) 
Gabarito: Errado. 
 
Presunção de inocência 
LVII - ninguém será considerado culpado até o trânsito em 
julgado de sentença penal condenatória; 
Trânsito em julgado significa “quando não houver mais como recorrer 
da sentença”. 
O princípio da presunção de inocência também pode ser enxergado 
sob um outro prisma: “ninguém precisa provar que não fez alguma 
coisa”, o dever de provar se dá em relação à ocorrência dos fatos, 
quem acusa alguém de algo é que deve provar que este algo 
aconteceu. 
CURSO ON-LINE - D. CONSTITUCIONAL MPU 
PROFESSORES: VÍTOR CRUZ E RODRIGO DUARTE 
32 
Prof. Vítor Cruz e Rodrigo Duarte WWW.PONTODOSCONCURSOS.COM.BR 
 
48. (ESAF/Auditor-Fiscal do Trabalho/2006) Decorre da 
presunção de inocência, consagrada no art. 5º, da Constituição 
Federal, a impossibilidade de exigência de produção, por parte da 
defesa, de provas referentes a fatos negativos. 
Comentários: 
Ninguém precisa provar que não fez algo, pois, todos presumem-se 
inocentes. 
Gabarito: Correto. 
 
Identificação criminal 
LVIII - o civilmente identificado não será submetido a 
identificação criminal, salvo nas hipóteses previstas em lei; 
Este inciso foi regulamentado pela lei 12037/09 que dispõe que a 
identificação civil é atestada por qualquer documento público que 
permita a identificação, como: carteira de identidade, carteira de 
trabalho, passaporte e etc. 
A disposição não é absoluta, pois ainda que apresentado o 
documento público, poderá se promover a identificação criminal caso 
este contenha rasuras, indícios de falsificação, for constatada de 
pluralidade de nomes, a identificação criminal for essencial às 
investigações e etc. 
 
49. (ESAF/ATA-MF/2009) O civilmente identificado pode ser 
submetido à identificação criminal, nos termos da lei. 
Comentários: 
Desde que nos termos da lei, será possível submeter o civilmente 
identificado à identificação criminal (CF, art. 5º, LVIII). A lei que 
regulamenta tal identificação é a lei 12037/09. 
Gabarito: Correto. 
 
Ação penal privada subsidiária da pública 
LIX - será admitida ação privada nos crimes de ação 
pública, se esta não for intentada no prazo legal; 
Em regra, os crimes são de ação penal pública. A ação penal pública 
é privativa do Ministério Público (art. 129, I), mas esta deve ser 
intentada no prazo legal (regra geral: 5 dias se o indiciado estiver 
preso e 15 dias se estiver solto, a partir do recebimento do inquérito 
policial), se excedido este prazo, o particular poderá agir com a ação 
privada subsidiária da pública. 
CURSO ON-LINE - D. CONSTITUCIONAL MPU 
PROFESSORES: VÍTOR CRUZ E RODRIGO DUARTE 
33 
Prof. Vítor Cruz e Rodrigo Duarte WWW.PONTODOSCONCURSOS.COM.BR 
 
50. (ESAF/ATA-MF/2009) Será admitida ação privada nos crimes 
de ação pública, se esta não for intentada no prazo legal. 
Comentários: 
Exato teor do inciso LIX do art. 5º. 
Gabarito: Correto. 
 
Publicidade dos atos processuais 
LX - a lei só poderá restringir a publicidade dos atos 
processuais quando a defesa da intimidade ou o interesse 
social o exigirem; 
 
51. (FCC/Assistente - TCE - AM/2008) A publicidade dos atos 
processuais não pode ser restringida pela lei. 
Comentários: 
Poderá ser restringida quando a defesa da intimidade ou o interesse 
social assim exigir (CF, art. 5º, LX). 
Gabarito: Errado. 
 
52. (ESAF/ATA-MF/2009) A lei não poderá restringir a publicidade 
dos atos processuais. 
Comentários: 
Embora em regra seja vedada tal restrição (CF, art. 5º LX), poderá 
ocorrer nas hipóteses constitucionais de preservação da intimidade e 
do interesse social. Como já dito, recomenda-se que em questões 
objetivas o candidato sempre analise todas as opções para verificar 
se a questão está tentando buscar do candidato o conhecimento 
sobre as regras ou sobre as exceções. 
Gabarito: Errado. 
 
Prisão 
LXI - ninguém será preso senão em flagrante delito ou por 
ordem escrita e fundamentada de autoridade judiciária 
competente, salvo nos casos de transgressão militar ou 
crime propriamente militar, definidos em lei; 
CF, art. 228 → São penalmente inimputáveis os menores de 18 anos, 
sujeitos às normas da legislação especial. 
CURSO ON-LINE - D. CONSTITUCIONAL MPU 
PROFESSORES: VÍTOR CRUZ E RODRIGO DUARTE 
34 
Prof. Vítor Cruz e Rodrigo Duarte WWW.PONTODOSCONCURSOS.COM.BR 
LXII - a prisão de qualquer pessoa e o local onde se 
encontre serão comunicados imediatamente ao juiz 
competente e à família do preso ou à pessoa por ele 
indicada; 
LXIII - o preso será informado de seus direitos, entre os 
quais o de permanecer calado, sendo-lhe assegurada a 
assistência da família e de advogado; 
LXIV - o preso tem direito à identificação dos responsáveis 
por sua prisão ou por seu interrogatório policial; 
 
53. (CESPE/AJAJ-STF/2008) O preso tem direito à identificação 
dos responsáveis pelo seu interrogatório policial. 
Comentários: 
A Constituição estabelece no seu art. 5º LXIV que é direito do preso a 
Identificação dos responsáveis por sua prisão