Queixa Crime   PDF
5 pág.

Queixa Crime PDF


DisciplinaPrática Simulada III Penal - Procuração16 materiais135 seguidores
Pré-visualização2 páginas
Peça Profissional 
 
Enrico, engenheiro de uma renomada empresa da construção civil, possui um perfil 
em uma das redes sociais existentes na Internet e o utiliza diariamente para entrar em 
contato com seus amigos, parentes e colegas de trabalho. Enrico utiliza 
constantemente as ferramentas da Internet para contatos profissionais e lazer, como o 
fazem milhares de pessoas no mundo contemporâneo. 
No dia 19/01/2016, Enrico comemora aniversário e planeja, para a ocasião, uma 
reunião à noite com parentes e amigos para festejar a data em uma famosa 
churrascaria da cidade de Niterói, no estado do Rio de Janeiro. Na manhã de seu 
aniversário, resolveu, então, enviar o convite por meio da rede social, publicando 
postagem alusiva à comemoração em seu perfil pessoal, para todos os seus contatos. 
Helena, vizinha e ex-namorada de Enrico, que também possui perfil na referida rede 
social e está adicionada nos contatos de seu ex, soube, assim, da festa e do motivo da 
comemoração. Então, de seu computador pessoal, instalado em sua residência, um 
prédio na praia de Icaraí, em Niterói, publicou na rede social uma mensagem no perfil 
pessoal de Enrico. 
Naquele momento, Helena, com o intuito de ofender o ex-namorado, publicou o 
seguinte comentário: \u201cnão sei o motivo da comemoração, já que Enrico não passa de 
um idiota, bêbado, irresponsável e sem vergonha!\u201d, e, com o propósito de prejudicar 
Enrico perante seus colegas de trabalho e denegrir sua reputação acrescentou, ainda, 
\u201cele trabalha todo dia embriagado! No dia 10 do mês passado, ele cambaleava bêbado 
pelas ruas do Rio, inclusive, estava tão bêbado no horário do expediente que a 
empresa em que trabalha teve que chamar uma ambulância para socorrê-lo!\u201d. 
Imediatamente, Enrico, que estava em seu apartamento e conectado à rede social por 
meio de seu tablet, recebeu a mensagem e visualizou a publicação com os 
comentários ofensivos de Helena em seu perfil pessoal. 
Enrico, mortificado, não sabia o que dizer aos amigos, em especial a Carlos, Miguel e 
Ramirez, que estavam ao seu lado naquele instante. Muito envergonhado, Enrico 
tentou disfarçar o constrangimento sofrido, mas perdeu todo o seu entusiasmo, e a 
festa comemorativa deixou de ser realizada. No dia seguinte, Enrico procurou a 
Delegacia de Polícia Especializada em Repressão aos Crimes de Informática e narrou 
os fatos à autoridade policial, entregando o conteúdo impresso da mensagem ofensiva 
e a página da rede social na Internet onde ela poderia ser visualizada. Passados cinco 
meses da data dos fatos, Enrico procurou seu escritório de advocacia e narrou os fatos 
acima. Você, na qualidade de advogado de Enrico, deve assisti-lo. Informa-se que a 
cidade de Niterói, no Estado do Rio de Janeiro, possui Varas Criminais e Juizados 
Especiais Criminais. 
Com base somente nas informações de que dispõe e nas que podem ser inferidas pelo 
caso concreto acima, redija a peça cabível, excluindo a possibilidade de impetração de 
habeas corpus, sustentando, para tanto, as teses jurídicas pertinentes. A peça deve 
abranger todos os fundamentos de Direito que possam ser utilizados para dar respaldo 
à pretensão. 
 
 
 
 
 
 
EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DO JUIZADO 
ESPECIAL CRIMINAL DA COMARCA DE NITERÓI / RJ. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
ENRICO, engenheiro, estado civil..., nacionalidade...., residente e 
domiciliado no endereço \u2026, em Niterói, Rio de Janeiro, vem por seu advogado que 
esta subscreve, (conforme procuração com poderes especiais anexada, nos termos 
do art. 44 do CPP), vem respeitosamente a presença de Vossa oferecer 
 
 
 
 QUEIXA-CRIME, 
 
 
 
com fundamento nos artigos 30 e 41 do CPP, e 100, § 2º, do CP, em face de 
HELENA, profissão...., estado civil...., nacionalidade....., residente e domiciliada no 
endereço \u2026, na Praia de Icaraí, em Niterói, Rio de Janeiro, pelas razões a seguir 
expostas: 
 
I - DOS FATOS 
 
O querelante é, engenheiro de uma renomada empresa de construção 
civil, possui um perfil em uma das redes sociais existentes na Internet e o utiliza 
diariamente para entrar em contato com os seus amigos, parentes e colegas de 
trabalho. Além disso, também utiliza constantemente as ferramentas da internet para 
contatos profissionais e lazer, como o fazem milhares de pessoas no mundo 
contemporâneo. 
 
No dia 19/04/2016, sábado, o querelante decidiu comemorar seu 
aniversário e planeja, para a ocasião, uma reunião a noite com parentes e amigos para 
festejar a data em uma famosa churrascaria da cidade de Niterói, no estado do Rio de 
Janeiro. 
 
Portanto, na manhã de seu aniversário, o querelante resolveu então, 
enviar o convite por meio da rede social, publicando postagem alusiva à 
comemoração em seu perfil pessoal, para todos os seus contatos. 
 
A querelada, é vizinha do seu ex-namorado, o querelante, que 
também possui perfil na referida rede social e está adicionada nos contatos de seu ex, 
soube assim, da festa e do motivo da comemoração. Então, de seu computador 
QEIXA-CRIME 
pessoal, instalado em sua residência, um prédio na praia de Icaraí, em Niterói, 
publicou na rede social uma mensagem no perfil pessoal do Querelante. 
 
Naquele momento, a querelada, com o intuito de ofender o ex-
namorado publicou o seguinte comentário em sua rede social: \u201c Não sei o motivo da 
comemoração, já que o querelante não passa de um idiota, bêbado, porco, 
irresponsável e sem vergonha\u201d e, com o propósito de prejudicar o querelante perante 
seus colegas de trabalho e denegrir sua reputação acrescentou, ainda, \u201c ele trabalha 
todo dia embriagado e vestindo saia! No dia 10 do mês passado ele cambaleava 
bêbado pelas ruas do Rio, inclusive estava tão bêbado no horário do expediente que a 
empresa em que trabalha teve que chamar uma ambulância para socorrê-lo! \u201d. 
 
Imediatamente, o querelante que estava em seu apartamento e 
conectado à rede social por meio de seu tablete, recebeu a mensagem e visualizou a 
publicação com os comentários ofensivos da querelada, conforme faz prova em 
anexo, documento, fls...... O querelante, mortificado, não sabia o que dizer aos 
amigos, em especial a Carlos, Miguel, Ramirez, que estavam ao seu lado naquele 
instante. O querelante muito envergonhado, tentou disfarçar o constrangimento 
sofrido, mas perdeu todo o seu entusiasmo, e a festa comemorativa deixou de ser 
realizada. 
 
Diante dos fatos narrados na presente ação, a querelada praticou o 
delito de injúria e difamação, uma vez que, constrangeu o querelante mediante 
comentários ofensivos a sua reputação e dignidade. 
 
II - DA ANÁLISE DO TIPO PENAL 
A-) DO CRIME DE DIFAMAÇÃO E INJURIA 
 
Diante dos fatos já expostos na presente ação, a querelada no dia 
19/04/2016, por meio de sua rede social na internet, fez comentários ofensivos a 
reputação e dignidade do querelante, constrangendo-o perante seus amigos que lhe 
fazia companhia naquele momento e todos os outros contatos que possuía em sua rede 
social, que no momento dos fatos também viram os comentários ofensivos. 
 
Portanto, a querelada ao fazer comentários ofensivos na rede social 
ofendeu a reputação e dignidade do querelante, conforme prescreve o artigo Art. 139 
e 140, ambos do código penal. 
 
Os crimes respectivamente previstos no artigo 139 e 140 do Código 
Penal, trata-se de crimes contra a honra e são de iniciativa privada, no entanto, o 
querelante faz jus a presente ação e pleiteia a reparação do dano, uma vez que, a 
querelada, praticou o crime de difamação previsto no artigo 139 do código penal, 
quando ofendeu o querelante dizendo: "que ele não passa de um idiota, bêbado, 
irresponsável