Vídeo Digital I   Aula 05
6 pág.

Vídeo Digital I Aula 05

Disciplina:Propaganda e Marketing27 materiais1.247 seguidores
Pré-visualização1 página
Vídeo Digital I - Ricardo Almeida Fava - UNIGRAN

33

Aula 05

ESTILOS
DE FILMAGEM

Quando vocês se envolverem em um projeto de vídeo, em algum momento terão que
decidir qual o estilo desse projeto. Exsitem dois estilos bem diferentes de filmagem: o primeiro
é o estilo jornalístico, sem script (roteiro), com uma equipe limitada (2 pessoas geralmente)
e muita correria. O outro chamaremos de estilo filme, onde se enquadra produções mais
elaboradas como: documentários, filmes publicitários e institucionais. Mais antes vamos
especificar o que é uma cena: é uma unidade básica da narrativa visual que avança o enredo
ou transmite informções úteis para o público.

Nessa matéria vocês já perceberam que temos muitos termos técnicos, e que futuros
profissionais de Publicidade precisam conhecer a maioria deles. Sempre que abordarmos
termos novos diponibilizarei um glossário como agora:

• STORYBOARD: série de ilustrações desenhadas à mão das cenas pretendidas
pelo diretor, com base em sua interpretação visual do script.

• HD (High Definition): vídeo digital de alta resolução produzindo uma exibição
de tela ampla (16:9) com resolução pelo menos quadro vezes maior do que o vídeo
convencional.

34

Vídeo Digital I - Ricardo Almeida Fava - UNIGRAN

• SPOT: termo da indústria da propaganda para comerciais de televisão ou rádio,
geralmente usado com sua duração (spot de 30 segundos, spot de 60 segundos).

• Exibição de Status: informações que aparecem no visor da câmera, mostrando
nível de bateria, timecode, Rec/Pause, e outras informações úteis.

• VIEWFINDER: permite ver a cena através da lente de uma câmera, normalmente
exibe também informações de status.

• EYECUP: proteção de borracha que envolve o viewfinder, para encaixe do olho.

• LCD (Liquid Crystal Display): tela de cristal líquido que mostra a imagem através
da lente da câmera. O LCD pode ser interno ou externo, em uma pequena porta embutida no
corpo da câmera.

• MONITOR: tela externa conectada a uma câmera que mostra a imagem do
viewfinder maior para que você possa avaliar a qualidade e enquadramento.

ESTILO JORNALÍSTICO

Normalmente chamado de News Gathering (coleta de notícias), esse estilo com
uma única câmera é a maneira mais simples de buscar uma reportagem. O estilo jornalístico
é teoricamente a forma mais simples de filmar: aponte, filme e espere pelo melhor.

A preocupação principal quando se filmar no estilo jornalístico é simplesmente obter
uma cena, ou seja, acompanhar o acontecimento (ação), e colocá-la na fita, bonita ou não. A
maior frustração para os cinegrafistas do estilo jornalístico não é uma cena que foi mau
iluminada ou produzida – é uma cena que perderam completamente, sabendo que ela nunca
voltará a ocorrer. Se estiver filmando para o noticiário da noite, você ainda terá a pressão
adicional de ter que editar seu material a tempo para a transmissão.

Neste estilo o cinegrafista precisa se preparar para que erros fatais sejam evitados,
como, por exemplo, não apontar a câmera para uma fonte de luz muito clara, nem fazer uma
entrevista enquanto um caminhão passa. Na parte técnica significa que sempre estará filmando
com a luz disponível ou no máximo uma luz na câmera.

ESTILO FILME

A tecnologia digital deixou as câmeras mais leves e baratas que podemos levá-las

Vídeo Digital I - Ricardo Almeida Fava - UNIGRAN

35

para quase todo lugar. Mas qualquer que seja o projeto que estamos filmando sempre podemos
melhor a qualidade incorporando algumas técnicas do estilo filme.

O principal objetivo de se filmar no estilo filme é controlar a situação o máximo
possível. É por isso que as cenas nesse estilo (dos filmes aos vídeos publicitários) geralmente
usam scripts (roteiro) de um tipo ou de outro e empregam uma equipe para controlar o som
e a iluminação. Trabalhando com script, storyboard ou lista tomadas, você pode planejar
com precisão o posicionamento da câmera e das luzes.

Usar luz para criar focos únicos em cada cena não é uma atitude puramente estética.
É uma função narrativa vital: acrescentar luzes mostra ao público para onde ele deve olhar.
Mas iluminação é uma outra estória para uma outra aula.

Naturalmente para filmar nesse estilo precisamos de uma equipe para manipular a
montagem da iluminação e som, o que gera a desvantagem de tudo andar mais devagar.

É lógico que não devemos filmar um projeto no estilo filme a menos possamos ter a
nossa disposição equipamentos de iluminação e captação de aúdio necessários, e de uma
equipe para manipular os mesmos. Mesmo assim filmar nesse estilo gera um projeto de
qualidade mais alta.

OS VIEWFINDERS, AS TELAS DE LCD E OS MONITORES

As câmeras oferecem dois meios básicos para nos ajudar a enquadrar nossas cenas:
visores (viewfinders) telas de LCD flip-out (abrir e fechar). Os cinegrafistas profissionais
costumam preferir os viewfinders, outros preferem as telas de LCD flip-out porque permitem
segurar a câmera em outras posições além do ombro.

Viewfinders
Podemos identificar um viewfinder pela lente ocular envolvida por uma proteção de

borracha chamada eyecup. Essa ocular serve para proteger a imagem que vocês está vendo
da luminosidade externa.

Viewfinder de uma câmera LCD interno do viewfinder

36

Vídeo Digital I - Ricardo Almeida Fava - UNIGRAN

O viewfinder possui uma pequena tela de LCD dentro do corpo da câmera que
exibe a imagem que a câmera está focalizando. Essa imagem é uma versão miniatura da cena
que será capturada se o botão de Record (Gravar) for pressionado.

Dentro do viewfinder é exibido em cima da imagem as informações sobre a câmera
como nível de bateria, volume de aúdio e condições de iluminação; isso é o que chamamos de
status da câmera.

Dependendo da câmera, a imagem do viewfinder pode variar entre preto e branco
ou colorida. A maioria dos cinegrafistas preferem viewfinders preto e branco porque fica
mais fácil avaliar o foco e outros detalhes sem a distração das cores.

Telas de LCD (Liquid Crystal Display)
Várias câmeras possuem esse dispositivo adicional para a visualização da imagem,

que geralmente fica embutida no corpo da câmera, abrindo e fechando como a porta de um
carro. Em comparação com o pequeno LCD interno usado nos viewfinders, elas são
relativamente grandes, com uma ou duas polegadas e normalmente é em cores.

Uma tela de LCD flip-out permite a filmagem segurando a câmera em frente ao seu
corpo, em vez de unida à sua cabeça. Essa técnica proporciona uma imagem mais estável,

Visor de LCD de uma câmera.

Viewfinder de uma câmera de estúdio para programas de tv.

Vídeo Digital I - Ricardo Almeida Fava - UNIGRAN

37

porque com o viewfinder você pressiona o eyecup em seu rosto, e depois caminha filmando,
o contato físico com o balanço de sua cabeça faz vibrar a câmera. Com as telas de LCD flip-
out, você segura a câmera nas mãos, longe do rosto, e seus cotovelos absorvem o choque
natural suavizando o trajeto da câmera, gerando uma imagem com menos solavancos.

ATIVIDADES
As atividades referentes a esta aula estão disponibilizadas na ferramenta

“Sala Virtual - Atividades”. Após respondê-las, enviem-nas por meio do Portfólio-
ferramenta do ambiente de aprendizagem UNIGRAN Virtual. Em caso de dúvidas,
utilize as ferramentas apropriadas para se comunicar com o professor.

38

Vídeo Digital I - Ricardo Almeida Fava - UNIGRAN