Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
apol 4 canais e arma

Pré-visualização|Página 1 de 4

Questão 1/5 - Logística: Materiais e Ar ma zena mento
A emb al age m r e torná vel: O sis te ma d e múl tip las vi agen s mos tr a -se u ma
opção na logís ti c a das e mpresa s, devid o a a spec tos c omo ec ono mia e fator
ambie ntal. Uma te ndê nci a obser vada na logís ti c a é o u so das e mbalag ens
retornávei s par a pr odu tos c o mo autopeças, ar mazéns, lo jas e a té mes mo
mo vi me ntaç ão i nterna. Mui t as embalag ens reuti li zá vei s são de madeir a,
pape lão o ndu lado, aço ou plás tic o e c om dime nsõ es, f orma to e c apaci dades
vari adas. Estas e mba la gens p ode m ser r euti li zada s di versas veze s, sendo
interess an te a rea lizaç ão de u m estudo de vi abilidade ec onômic a para sua
adoç ão.
Fonte do te xto: Ada pt ado de: BA NZA TO, José Ma ur í c i o. Embala gen s. São
Paulo: IMAM, 20 08, p. 28. CDD - 688.8
A partir das i nformaç ões d o te xt o e ta mbém do ma teri al de ap oi o da
di sc ipli na, analis e as afi r maç ões a se guir .
I Par a utili zar emb al agen s r etor náveis a s e mpresa s necessi tarão
imp le men tar c ontr ole r i goroso par a gar anti r o r etor no da s me s mas.
II As embalage ns re tornáveis tr aze m ben ef í c i os como: econo mi a dos
rec ur sos naturais e pr omoç ão da lo gísti c a r ever sa.
III A utili zação de e mb alagen s retornáveis a tend erá apena s a f unç ão:
instr u mento au xi liar do tr ans porte e d a distr ibu ão.
IV As e mba la gens retorn á vei s enf atiz a m as necessidades mer c adoló gic as
da organização, e videnci and o a prom ão e o us o do produ to.
V As e mb ala gens retorná veis c usta m mais c ar o q ue as d esc artá veis p or
isso a necessidade de u m es tud o de vi abi lid ade econô mi c a.
Está c orr eto o que s e afir ma em:
Nota: 0. 0
A
I, III, IV, ape nas.
B
I, II, V, ape nas.
Comentário : A a lternativa B e stá c orreta porque traz a se quê nc ia da s a firma ç õe s correta s.
Gabarito : A u la 5 - Tema 5
C
II, II I, I V, ape nas.
D
III, I V, ape nas.
E
IV, V, ape nas.
Questão 2/5 - Canais de Distribuição
Qu ando fa la mo s em c anais de di str ibu ão u m de seu s po ntos i mport an tes
para o suc esso da esc o lha é a organiz ação da e xpediç ão. A e xpediç ão
c orr esponde ao pr oc esso de separ ar os itens ar mazenado s em u m
deter mi nad o loca l, mo vi me nta ndo- os p ar a um ou tro lu gar .
Assina le a a lter n ati va que r epresen ta a ti vidad es da e xpedi ç ão.
Nota: 20.0
A
Receber p ed ido, co nso lida r ped idos, p ro gra mar tra nspo rte.

Vo cê ace rto u!
Comentário : é a únic a onde e ncontramos s omente a tividades da e xpediçã o.
Gabarito : A u la 5 - Tema 5
B
Receber p ed idos, ve nde r e unit iza r car ga.
C
Rote r ização, ve ndas e t ra nspor te.
D
Movime ntação, Ar ma ze na ge m e e mba la ge m.
E
contratação de t ra nspor te, esco lha de fo r necedor, co nso lidação de ped idos.
Questão 3/5 - Canais de Distribuição
Centro de dis tr i buiç ões são imp or tan te s equipa me nt os ao longo de u m
c anal de distr i buiç ão u ma vez q ue prop or c i ona, alé m de econo mi a no
tr ansp orte, a po ssibili d ade d e agr eg ar val or de te mpo e lugar a
deter mi nad os produ tos. P orém, a c ompl e xida de d a a dmi nis tr aç ão d e u m
c entr o de di str i bui ç ão é ponto interessa nte a se obser var, uma vez que
vári os pr oc essos lo gí sti c os são f eito s ali den tro, inc lusi ve os processos e
necessidad es de c arga e desc ar ga dos c entr os.
Assina le a a lter n ati va que traz o no me da área do c entr o de di s tr i buiç ão
onde sã o c oloc adas a s merc adorias l ogo ap ós a desc arga:
Nota: 20.0
A
Stage o ut.
Vo cê ace rto u!
Comentário : Stage out s ão pontos fundame ntais para o proc e sso de c a rga e de s ca rga nos a rma zé ns.
Gabarito : A u la 5 - Tema 3
B
Docas.
C
Tr ia ge m.
D
Cross dock ing.
E
La yo ut.
Questão 4/5 - Canais de Distribuição
Uni ti zar u ma c arga é qua ndo acondic i onamos vários volu mes e m u m úni c o,
porém, ne m t odo pr oduto p ode s er ac ondic ionado, por exe mplo, geladeira, é
alg o que não c onsid eramos a uni ti z aç ão.
Anali s e as afir ma ti vas e r esp ond a:
I. É vanta jo so e m di verso s c enári os tr aba lhar c om c argas uni tizávei s.

PORQUE
II . Pr opor c i ona uma maior r apidez na e ntr eg a dos produ to s.
Nota: 20.0
A
As asse rções I e II o propos ições ve rdade iras, e a I I é uma j us t ificat iva da I.
B
As asse rções I e II o propos ições ve rdade iras, ma s a II não é uma j ust if icat iva da I.
C
A asse rção I é uma propos ição verd ade ir a, e a II é uma propo s ição fa ls a.
Vo cê ace rto u!
Comentário : é vanta josos trabalha r c om unit iza ç ão de ca rgas por c onta de diversos fa tore s de ntre e le s praticidade
e otim iza ç ã o de opera çã o de tra nsporte , po m a unit iza ç ão nã o proporciona ra pide z de e ntrega.
Gabarito : A u la 5 - Tema 4
D
A asse rção I é uma propos ição fa lsa, e a II é uma propos ão verd ade ir a.
E
As asse rções I e II o propos ições fa lsa s.
Questão 5/5 - Logística: Materiais e Ar ma zena mento
Os ge stores dos c entros d e ar mazena gem atu almen te r ec onhecem que u m
espaço limp o, organiza do, arejado e be m sina li zado c ausa s atisfaç ão aos
c olabor ad ores e boa i mpr essão aos vi sit an tes.
Consi der ando e ssa obs er vação, a va lie as a sse ões a s egui r e a r elaç ão
entr e e las:
I A empr esa q ue in ves te e m q ua li dade de vid a do tr aba lh o para s eus
c olabor ad ores r econhec e que os mesmo s produzir ão mais e me l hor s e o
ambie nte esti ver adequ ado as s uas nec es sidades.
Por que
II Os g es tores d e logí s tic a sabe m q ue os pilar e s de um armazé m efi c i ente
e produti vo são: organização, li mpe za, c onser vaç ão e seguranç a.
A r espeito dessa s asse ões, assin ale a opç ão c orr eta:
Nota: 20.0
A
As asse rções I e II o propos ições fa lsa s.
B
As asse rções I e II o propos ições ve rdade iras, ma s a II não é uma j ustif icat iva da I.
C
As asse rções I e II o propos ições ve rdade iras, e a I I é uma j us t ificat iva da I.
Vo cê ace rto u!
Comentários : As cond iç ões s ica s do amb ie nte de traba lho im pac ta m na s a tis fa ç ão dos c o la boradore s que a li
labora m. Então os ges tore s dos a rma zé ns deve m c ria r mec a nis mos de ma nte r o e spaç o de a rma ze nage m limpo e
organiza do de tal forma que os c ola bora dore s c rie m uma re la ç ã o de ca rinho e c uidado pe lo se u a mb ie nte de
trabalho.
Gaba rito : A ula 5 - Te ma 2
D
A asse rção I é uma propos ição verd ade ir a, e a II é uma propo s ição fa ls a.

Quer ver o material completo? Crie agora seu perfil grátis e acesse sem restrições!