A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
77 pág.
Avaliação Nutricional do Idoso   Cópia

Pré-visualização | Página 3 de 4

Nutricional do Idoso 
Antropometria 
Classificação do estado nutricional por meio dos 
 percentis (Pº) de PCT, CB e CMB até 74 anos e 11 meses 
PCT, CB, CMB 
Avaliação Nutricional do Idoso 
Antropometria 
Percentil Classificação
> 90º obesidade
> 75º sobrepeso
25º - 75º eutrofia
5º - 25º risco nutricional
< 5º desnutrição
Fonte: FRISANCHO, R. New standards of weight and body composition
 by frame size and height for assessment of nutritional status 
of adults and the elderly. Am J Clin Nutr, vol.40, p. 808-819, oct. 1984
Classificação, em percentis da PCT, CB e CMB de 
homens com 60 anos ou mais (NHANES III): 
PCT, CB, CMB 
Avaliação Nutricional do Idoso 
Antropometria 
Classificação, em percentis da PCT, CB e CMB de 
mulheres com 60 anos ou mais (NHANES III): 
PCT, CB, CMB 
Avaliação Nutricional do Idoso 
Antropometria 
Classificação do estado nutricional de idosos, 
 utilizando-se a referência de NHANES III, 
PCT, CB, CMB 
Avaliação Nutricional do Idoso 
Antropometria 
Percentil Classificação
> 90º obesidade
> 85º sobrepeso
> 75º risco de sobrepeso
25º - 75º eutrofia
10º - 25º risco nutricional
< 10º desnutrição
Classificação do estado nutricional por meio dos 
 percentuais de adequação de PCT, CB e CMB 
PCT e CB
Desnutrição 
Grave
Desnutrição 
Moderada
Desnutrição 
Leve Eutrofia Sobrepeso Obesidade
% 
Adequação
< 70% 70-80% 80-90% 90-110% 110-120% >120%
CMB
Desnutrição 
Grave
Desnutrição 
Moderada
Desnutrição 
Leve Eutrofia
% 
Adequação
< 70% 70-80% 80-90% 90-110%
Fonte: BLACKBURN E THORNTON, Nutritional assessment of the hospitalized
patients. Med. Clin. North Am., 63: 1103 – 1115, 1979.
PCT, CB, CMB 
Avaliação Nutricional do Idoso 
Antropometria 
 Ponto médio entre última costela e crista ilíaca 
 Envelhecimento  redistribuição da gordura 
corporal ( nos membros e  no abdômen) 
 Gordura abdominal  relação com complicações 
metabólicas associadas à obesidade 
CIRCUNFERÊNCIA ABDOMINAL 
Avaliação Nutricional do Idoso 
Antropometria 
Risco de 
ELEVADO MUITO ELEVADO
HOMEM ³ 94 cm ³ 102 cm
MULHER ³ 80 CM ³ 88 cm
complicações metabólicas asociadas à obesidade
Fonte: OMS, 1998 
 CP  medida antropométrica mais sensível de 
massa muscular para pessoas idosas 
 Como é feita a medida da CP? 
• Posição supina 
• Joelho dobrado em angulo de 90o 
• Calcanhar apoiado na cama ou cadeira 
• Mede-se a maior circunferência com fita métrica 
 Valores inferiores a 31 cm indicam perda de massa 
muscular (OMS, 1995) 
CIRCUNFERÊNCIA DA PANTURRILHA 
Avaliação Nutricional do Idoso 
Antropometria 
AVALIAÇÃO 
CLÍNICO-NUTRICIONAL 
 O que investigar em uma avaliação clínico-
nutricional? 
• Aspecto geral (Ex.: emagrecido); 
• Aspecto geral dos tecidos adiposo e muscular 
(Ex.: depleção de tecido muscular nas têmporas) 
• Mucosas (Ex.: hipocoradas); 
• Pele (Ex.: presença de xerose); 
• Extremidades (Ex.: edema) 
• Olhos (Ex.: xerose conjuntival); 
• Boca, língua e DENTES (Ex.: adontia); 
• Cabelos (Ex.: quebradiços, alopécia); 
Avaliação Nutricional do Idoso 
Avaliação Clínico-nutricional 
 O que investigar em uma avaliação clínico-
nutricional? 
• Unhas (Ex.: rugosas); 
• Aspecto geral do abdome e dos órgãos (Ex.: 
ascite); 
• Situação psicológica ou neurológica – aparente 
(Ex.: paciente com alterações pscipomotoras e 
desorientação no tempo e espaço); 
• Outra condição que for possível verificar e que 
possa ter relação com a alimentação ou nutrição 
do indivíduo. 
Avaliação Nutricional do Idoso 
Avaliação Clínico-nutricional 
 Deficiências de micronutrientes são mais 
comuns em idosos: 
 Deficiências sub-clínicas tem maior prevalência 
 
 Anemias nutricionais (1/3 das causas de 
anemias): Fe, vit. B12, ácido fólico 
 Observar presença de sinais / sintomas 
 
 Outras deficiências são freqüentes nos idosos, 
mas com rara manifestação clínica. 
Avaliação Nutricional do Idoso 
Avaliação Clínico-nutricional 
Sinais e sintomas da deficiência de B12 e Ácido Fólico 
• Glossite; 
• Apatia; 
• Perda do senso de posição; 
• Parestesia, fraqueza motora, 
demência (só B12) 
Avaliação Nutricional do Idoso 
Avaliação Clínico-nutricional 
Sinais e sintomas da deficiência de Ferro 
• Palidez; 
• Apatia, fraqueza; 
• Dispnéia; 
• Atrofia das papilas gustativas 
• Unha quebradiça, rugosa 
 
AVALIAÇÃO 
BIOQUÍMICA 
 Investigar deficiências nutricionais: comuns 
em níveis sub-clínicos 
Avaliação Nutricional do Idoso 
Avaliação Bioquímica 
Indicadores do estado nutricional 
IMPORTANTE A SOLICITAÇÃO DE EXAMES 
Complementares 
(presença de múltiplas patologias que 
necessitam de acompanhamento) 
 Exames indicadores do estado nutricional do idoso: 
• Índice de creatinina-altura 
• 3 – metilhistidina urinária 
• Albumina 
• Transferrina 
• Pré-albumina 
• Proteína transport. de retinol 
• Contagem Total de Linfócitos 
• Hemograma (anemias) 
• Dosagens de vitaminas/minerais (def. nutricionais) 
• Colesterol total (índice prognóstico nutricional) 
Avaliação Nutricional do Idoso 
Avaliação Bioquímica 
Avaliação Nutricional do Idoso 
Avaliação Bioquímica 
 Músculo esquelético fornece aminoácidos 
(para gliconeogênese) durante as situações 
de estresse 
Aumento das perdas urinárias de nitrogênio 
Principais indicadores de proteína somática 
(indicam proteína muscular): 
Índice 
creatinina-altura 
3-Metil 
histidina urinária 
 na [ ] sérica dessas proteínas pode indicar desnutrição 
Avaliação Nutricional do Idoso 
Avaliação Bioquímica 
Proteínas plasmáticas sintetizadas nos hepatócitos: 
Falta de substrato energético 
e protéico para síntese 
Principais indicadores de proteína visceral: 
Albumina 
Proteína 
transport. 
de retinol 
Transferrina 
Pré- 
albumina 
Avaliação Nutricional do Idoso 
Avaliação Bioquímica 
Albumina 
- Vida-média: 18-20 dias 
- Índice prognóstico nutricional 
- Mais utilizada 
- Pode ser alterada por fatores não nutricionais 
Condição das proteínas viscerais: 
 Normal: > 3,5 g/dl 
 Depleção leve: 3 – 3,5 g/dl 
 Depleção moderada: 2,4 – 2,9 g/dl 
 Depleção grave: < 2,4 g/dl Bottoni e cols., 2000 
Avaliação Nutricional do Idoso 
Avaliação Bioquímica 
Contagem Total de Linfócitos: 
Desnutrição: 
 Depressão das respostas imunes do paciente 
 Diminuição de substrato para produção de 
imunoglobulinas e células de defesa 
 Pode ser alterada por fatores não nutricionais 
CTL = % linfócitos x leucócitos / 100 
 Depleção leve: 1200 – 2000 / mm3 
 Depleção moderada: 800 – 1199 / mm3 
 Depleção grave: < 800 / mm3 
Bottoni e 
cols., 2000 
Avaliação Nutricional do Idoso 
Avaliação Bioquímica 
Colesterol Total 
 Hipocolesterolemia (150 mg/dl): 
ÍNDICE PROGNÓSTICO 
Aumento da 
mortalidade 
Aumento do tempo 
de permanência 
hospitalar 
AVALIAÇÃO 
METABÓLICA 
Massa corporal magra principal determinante da TMB 
 O que possibilita? 
Estimar o gasto energético total (GET) do indivíduo 
 Componentes do gasto energético: 
Avaliação Nutricional do Idoso 
Avaliação Metabólica 
Energia dispendida durante
os processos corporais vitais
Energia gasta durante 
a atividade física
Gasto de energia decorrente do processo de
digestão, absorção e metabolismo de alimentos
e armazenamento de glicogênio e gordura
Adaptação a condições ambientais 
que podem modificar o gasto de energia
Taxa metabólica basal
Efeito térmico do exerc.
Efeito