A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
154 pág.
COLEÇÃO FSA DE BOAS PRÁTICAS GESTÃO PROFISSIONAL DO 3º SETOR ANO I 2017 1

Pré-visualização | Página 6 de 30

sociais vivenciadas. Assim, com a constante busca de parceiros e junto ao 
Município, foi possível ampliar o atendimento, fornecendo alimentação e encaminhamentos 
específicos aos seus usuários. Esse trabalho deu visibilidade à Casa, cujo reconhecimento 
ultrapassou, inclusive, os limites do Município. 
Por meio de atividades direcionadas a cada faixa etária, com experiências lúdicas, atividades 
culturais, esportivas e semiprofissionalizastes, a CPLS gerou mudanças e melhorou a qualidade de 
vida dos atendidos, favorecendo a formação cidadã além do desenvolvimento do protagonismo e 
da autonomia. Isso pode ser comprovado por meio de depoimentos dos próprios usuários. Em sua 
maioria, eles estão inseridos no mercado de trabalho formal ou informal, e levaram consigo valores 
de integridade moral, ética e de cidadania. 
33
Com o passar do tempo, entretanto, a CPLS percebeu um desafio a ser afrontado: mais de 60% 
das despesas estavam sendo custeados pela mantenedora, o que deixou a organização diante 
de um certo impasse. Ou seja, caso a mantenedora viesse a ter algum imprevisto no repasse, a 
entidade enfrentaria um sério problema, pois ela não teria condições de se sustentar. 
Ao identificar esta realidade, criou-se então a necessidade de buscar soluções para afrontar este 
desafio, pois a missão da organização continua sendo importante aos usuários.
Por isso, este estudo tem o objetivo de propor uma metodologia para construção de um plano 
de sustentabilidade que possa ser implementado pela organização. Para isso, foram utilizados, 
como instrumentos de trabalho, o estudo de caso, além da análise dos dados levantados e as 
referências bibliográficas. 
Um pouco mais de história
A CPLS é administrada pelas Irmãs da Providência e conta com uma equipe técnica e um grupo de 
educadores sociais. Nesses mais de trinta anos de serviço gratuito prestado à comunidade, a organização 
já atendeu cerca de três mil crianças e adolescentes. Todas as atividades no local visam a formação 
integral e o fortalecimento dos vínculos familiares dos usuários, oferecidas por meio de quatro projetos:
Cidadãos do Futuro – Oferece atendimento diário a crianças de 6 a 11 anos, com alimentação e atividades 
recreativas, culturais e esportivas, contribuindo para o desenvolvimento saudável e prevenindo os riscos 
sociais.
Família em transformação - Acolhe e orienta as famílias, contribuindo para o fortalecimento de seus 
vínculos familiares e comunitários, prevenindo os riscos sociais e visando uma melhor qualidade de vida.
Geração conectada - Direcionado a adolescentes, tem como foco a construção do espaço de convivência, 
formação cidadã, desenvolvimento da autonomia e do protagonismo dos mesmos, considerando seus 
interesses, demandas e potencialidades. A adolescência é reconhecida como um período de 
transformações físicas, emocionais e intelectuais, atravessadas por contextos culturais que ensejam
diversas expressões do "ser adolescente".
casapadreluis.com.br
34
Reflexões iniciais
Associação Irmãs da Providência / Casa Padre Luis Scrosoppi
A sustentabilidade financeira tem sido vista como um grande desafio para as OSC que precisam 
tornar seus projetos institucionais duradouros. Assim sendo, faz-se necessário priorizar momentos 
para diagnosticar a situação atual da organização e elaborar um plano de captação de recursos. 
Isso é fundamental quando se busca aumentar as chances de sucesso, diminuindo os riscos de 
vulnerabilidade financeira. 
Um planejamento bem feito pode favorecer oportunidades de investimento, além de otimizar 
os recursos disponíveis. Esse processo torna possível visualizar cada parte da organização, 
contribuindo e norteando, ao mesmo tempo em que se permite vê-la como um todo, 
o que ajuda a desenvolver métodos e estratégias eficientes.
A trajetória que iremos percorrer a seguir incluiu a reflexão sobre se, de fato, há a possibilidade de 
um planejamento sustentável, eficaz e claro, com visão de futuro. Afinal, muitas vezes a ansiedade 
dos gestores está em captar recursos para executar os projetos iniciados, dando respostas 
emergentes, sem um planejamento que consiga dar sustentabilidade e continuidade à missão da 
organização.
Como pode-se perceber, este artigo apenas finaliza uma etapa do trabalho a ser iniciado na 
organização, pois não resta dúvida que teremos uma árdua missão a cumprir, frente à elaboração 
de um Plano para a Sustentabilidade. 
35
Contexto atual
Associação Irmãs da Providência / Casa Padre Luis Scrosoppi
Ao longo de sua existência, a CPLS construiu um vínculo de confiança com os participantes dos 
projetos, famílias, comunidade e apoiadores, chegando a obter o prêmio de Inovação Social pelo 
Governo do Estado de São Paulo em novembro de 2014, por sua excelência no atendimento 
ganhando em Primeiro lugar na Proteção Básica. 
Portanto, ao analisar a entidade e o bairro onde está localizada, será possível identificar quais as 
reais possibilidades para a mobilização de recursos e o início de novas parcerias, a fim de mudar a 
realidade atual. Hoje, a CPLS é mantida basicamente por dois tipos de fontes, sendo que 61% 
provém da mantenedora e 29% de recursos públicos.
É importante lembrar que a escassez de recursos - por causa da demanda das organizações que se 
multiplicam e acabam pleiteando os mesmos recursos - gera uma espécie de concorrência na área 
social. Por isso, torna-se necessário também refletir e aprofundar a situação da organização, na 
tentativa de encontrar fontes seguras e obter financiamento para dar continuidade à missão social 
da organização.
De modo geral, a sustentabilidade de uma OSC é abrangente, não está atrelada somente à sua 
sustentação financeira. Ela precisa também ter a capacidade de renovar periodicamente a sua 
leitura da realidade, analisando a causa que defende, o público atendido em suas necessidades, 
o reconhecimento e o impacto que gera para a sociedade e aos seus parceiros. 
Portanto, a entidade precisa agora adotar uma visão 
diferenciada sobre novas formas de captação, que 
vise à integração das políticas públicas de 
atendimento social e a geração de recursos 
próprios para a sustentabilidade da organização.
62% Mantenedora
7% Sec. Assist. E. Social - estado
10% Sec. Mun. Assist. E. Social
5% Subvenção
5% Aluguéis
3% Eventos
6% Fundo social
2% Fsa
36
Proposta de metodologia
Associação Irmãs da Providência / Casa Padre Luis Scrosoppi
Diante da realidade apresentada, propomos averiguar mais de perto esta situação e até ousar 
alguns caminhos, se preciso for, que nos aponte onde está o nó que impede a organização de 
enxergar uma direção, e se colocar com mais conhecimento e posse do desafio a ser afrontado, 
além de adotar atitudes em curto prazo, no cotidiano da organização. 
Quanto ao tipo de ação que se deverá tomar, dependerá muito da reflexão feita em conjunto, a 
partir, quem sabe, da elaboração de um plano de captação de recursos para ser adotado 
futuramente. 
No momento, apresentamos os passos a seguir, que poderão ser úteis na elaboração do projeto de 
sustentabilidade, por isso, antecedem a ele. Esta metodologia poderá elucidar se falta algo 
importante, desvendando lacunas existentes e facilitando a compreensão do público envolvido.
Por que será feito – Tendo presente os indicativos das necessidades da Organização, percebe 
mos a importância da busca pela independência, resultando na continuidade e agilidade na 
execução dos projetos desenvolvidos;
O que será feito – Realizaremos pesquisa de campo, junto às empresas e residências, a fim de 
descobrir a real necessidade, levando em consideração a mudança do cenário do bairro, que 
atualmente possui uma maior quantidade de empresas;
Quem fará – Teremos um responsável pelo planejamento, avaliação, realização e acompanhamento 
do processo junto à equipe e