A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
10 pág.
Transposição e transmigração dentaria revisão literária

Pré-visualização | Página 1 de 3

Transposição e transmigração dentaria (Revisão literária)
Resumo
Transposição e transmigração dentaria é uma anomalia do tipo heterotópicas que consiste na alteração de posição dos dentes ou dos tecidos que fazem parte de sua composição. A transposição ocorre quando os dentes invertem de posição no arco dentário causando a mudança da ordem normal dos dentes permanentes e ocorre durante o irrompimento. A transmigração é quando os dentes são formados em áreas distantes dos processos alveolares. Ambas não são anomalias frequentes e ocorre na dentição permanente. Na transposição o tratamento mais indicado é a restauração estética e um tratamento ortodôntico, e na transmigração o tratamento cirúrgico, avaliando-se cada caso para conhecer a aplicar as soluções cabíveis.
Palavras-chaves: anomalias, heterotópicas, arco dentário, permanentes. 
Summary
Transposition and tooth transmigration is an anomaly of the heterotopic type that consists of the change of position of the teeth or the tissues that are part of its composition. Transposition occurs when the teeth invert from position in the dental arch causing the change of the normal order of the permanent teeth and occurs during the eruption. Transmigration is when the teeth are formed in distant areas of the alveolar processes. Both are not frequent anomalies and occur in permanent dentition. In transposition the most indicated treatment is esthetic restoration and an orthodontic treatment, and in the transmigration the surgical treatment, evaluating each case to know to apply the applicable solutions.
Keywords: anomalies, heterotopic, dental arch, permanent.
Introdução
A transposição dentaria de acordo a ideia de vários autores ocorre quando o dente erupcionar em lugar de outro dente, ou seja, fora de seu lugar habitual, é mais frequente em caninos e pré-molares superiores, é considerado uma anomalia rara, normalmente implica numa falta boa aparência de estética e maloclusão. Já a transmigração ocorre quando o dente se desloca na sua fase morfodiferenciação e também durante a erupção, fora do processo alveolar, acomete o palato, fossas caninas e seios maxilares, molares superiores e inferiores. Segundo Peck, Peck e Attia (1993) como a anomalia dentária caracterizada pelo intercâmbio da posição entre dois dentes adjacentes, especialmente em relação às suas raízes, ou pelo desenvolvimento e erupção de um dente numa posição ocupada normalmente por um dente nãoadjacente.
Essa anomalia apresenta uma prevalência rara, aparecendo em aproximadamente 0,03% da população, e afeta predominantemente o gênero feminino (75% dos casos). Expressa-se bilateralmente em, aproximadamente, 17% dos casos e, quando ocorre unilateralmente, o lado direito aparece mais afetado (68%) do que o esquerdo (32%) (Peck S, Peck L, Kataja M. 1998). 
Algumas publicações classificavam as erupções ectópicas dentárias de graus variados como pseudotransposições, transposições incompletas, parciais, simples e coronárias (SHANMUHASUNTHARAM, P .; THONG, Y. L. 1990). Certamente, a erupção ectópica é uma categoria ampla de referência para quaisquer tipos de anomalias onde os dentes tomaram um caminho eruptivo anormal. Portanto, transposição dentária deve ser propriamente considerada como uma subdivisão das erupções ectópicas, na condição extrema desta categoria.
	Quanto à etiologia da transposição dentária, uma possível explicação seria considerar a transposição como resultado do intercâmbio da localização entre os germes dos dentes em desenvolvimento. Devido à alta incidência de caninos decíduos retidos associados à transposição dentária, há autores que relacionam os dentes decíduos como sendo o fator etiológico primário da anomalia (MADEIRA, F. I 1958 apud CAPELOZZA et al., 2007).
O diagnóstico precoce de uma transposição em desenvolvimento é extremamente importante e tem uma grande influência no prognóstico. Isso geralmente pode ser realizado por um exame radiográfico panorâmico convencional quando o paciente está entre 6 e 8 anos de idade. Quando a alteração é detectada precocemente, procedimentos interceptivos, incluindo a extração de dentes decíduos e a colocação de guias de erupção para os dentes permanentes, podem ser realizados, evitando assim o desenvolvimento completo da anomalia. Por outro lado, quando a transposição é detectada em um estágio posterior, o planejamento ortodôntico deve abordar as indicações contra a extração e a sequencia de correção do posicionamento dentário(CAPELOZZA et al. 2007). O tratamento mais citados por vários autores foi o tratamento ortodôntico.
Transmigração é um fenômeno raro, que normalmente afeta os caninos inferiores e a sua etiologia é desconhecida, porém vários fatores etiológicos podem estar envolvidos nos casos de transmigração, tais como o crescimento ectópico da raiz do dente, retenção ou perda prematura de um dente decíduo, espaço insuficiente erupção e comprimento excessivo da coroa. Fatores genéticos, doenças endócrinas e trauma também foram citados como possíveis fatores etiológicos(CORSI et al. 2012).
A etiologia da transmigração é desconhecida; entretanto, o deslocamento anormal do broto ou desvio dentário durante o desenvolvimento é a explicação mais comumente aceita (ALAEJOS, BERINI, GAY-ESCODA, 1998)
Na maioria dos relatos de dentes transmigrados, foram encontrados em posição horizontal, abaixo dos ápices dos dentes irrompidos (Al-Wahedi,1996) . O exame clínico e radiográfico é geralmente necessário para diagnosticar transmigrantes, porque eles são geralmente encontrados dentro da sínfise da mandíbula. Os dentes que transmigram geralmente permanecem impactados e assintomáticos ou podem causar reabsorção de pressão das raízes ou inclinação dos dentes adjacentes. A decisão sobre a remoção cirúrgica depende dos sintomas relatados pelo paciente, do local de localização do dente e da presença ou ausência de associação com patologias(REBELLATO, SCHABEL 2003).
OBJETIVO
Este artigo tem como objetivo conhecer e abordar sobre a transposição e a transmigração dentaria, de forma didática e explicativa para fins acadêmicos, a fim de proporcionar conhecimento de fácil explicação, e ser um guia de estudos para enriquecimento dos estudantes. Como também de proporcionar aos leitores deste artigo uma forma clara e objetiva de como diagnosticar e tratar essa anomalia da melhor forma possível, visando que o conhecimento leva ao melhor tratamento, onde o tratamento precoce é o melhor a se fazer. Quanto mais se conhecer do problema, mas fácil ele é resolvido, e esse é o principal objetivo deste trabalho conhecer o problema para que quando deparado com ele saiba resolver.
METODOLOGIA
Como metodologia para criação deste trabalho utilizamos, pesquisas em artigos científicos publicados em revistas e em sites como Scielo e Google Acadêmico, alem de sites que abordavam sobre o assunto durante os meses de outubro e novembro, onde também traduzimos através do Google tradutor textos em outros idiomas para poder entender e criar este artigo, bem como em livros de vários autores, onde procuramos conhecer varias teorias sobre o assunto a fim de proporcionar maior enriquecimento do trabalho como também de próprio conhecimento, para que pudéssemos da melhor forma aborda o tema proposto, e possibilitar fácil entendimento através de uma linguagem facilitadora.
Revisão literária 
Conceitua-se como transposição dentária, a ectopia de dentes permanentes que redunda na inversão de suas posições naturais na arcada dentária, no mesmo quadrante (CIARLANTINI R, MELSEN B. 2007). Dois tipos de transposições dentárias são apontados na literatura como apresentando etiologia essencialmente genética e, portanto, comumente associadas a outras anomalias dentárias: a transposição entre canino e primeiro pré-molar na arcada superior, e a transposição entre canino e incisivo lateral permanentes na arcada inferior (PECK S, PECK L, KATAJA M. , 2002).
Transposição dentária é uma anomalia de desenvolvimento, considerada como um tipo

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.