biometria
13 pág.

biometria


DisciplinaProjetoconecta13 materiais14 seguidores
Pré-visualização2 páginas
Controle de Acesso com Biometria 
Várzea grande, MT
2018
Autores:
Adão José de Alvarenga reis (TAD) 
Breno Azevedo Maciel de Campos (TAD) 
Brondson Ponce Marques (ENE) 
Éder Carlos Araújo da Silva (ENE) 
Jonathan Barbosa de Oliveira (TAD) 
Laercio da Silva Cerilo (ENE) 
Marcos Augusto de Souza Lopes (ENE) 
Thays Mendes da Costa Felfili (ENE)
Controle de Acesso com Biometria
Projeto apresentado como
pré-requisito para a conclusão do
projeto elétrico I do curso de
 engenharia elétrica no Instituto 
de Educação, Centro
 universitário de várzea grande .
Orientador: Prof. 
Carlos Cacho (TAD)
 Guilherme Rosa de Almeida (EMAU - ARQ)
 Josué Francisco do Nascimento Júnior 
(Projeto em Engenharia Elétrica I)
Várzea Grande, MT
2018
RESUMO
Este trabalho tem como objetivo apresentar um protótipo com o funcionamento e cronograma a ser respeitando para construção de um sistema de controle de acesso biométrico, com o intuito de obter acesso a uma determinada sala, \u201ca sala inteligente\u201d, utilizando a biometria para acesso ao ambiente de tal forma que identificando se a pessoa tem ou não permissão de acesso no ambiente, se não tem permissão o acesso será negado, se sim tiver permissão o acesso será liberado e enviado informações ao sistema onde controlara a temperatura do ambiente conforme o gosto da pessoa com acesso permitido, incluindo o acionamento das iluminações. Primeiramente, definiu-se, o escopo do produto de forma a ter uma visão mais clara e objetiva. Posteriormente, ouve a etapa de definição do grupo e o levantamento de custo dos materiais a serem utilizados neste projeto. Logo após faremos um analise da sala a ser incrementado o sistema, provendo alguma modificação, em seguida um teste será realizado já com o circuito provisoriamente montado e então na ultima etapa apresenta aos respectivos responsáveis do projeto.
Palavras-chave: Biometria. Controle. Engenharia.
Elétrica. Arduino.
 
ABSTRACT
This work aims to present a prototype with the operation and schedule to be respected for the construction of a biometric access control system, with the purpose of obtaining access to a certain room, "the intelligent room", using biometrics for access to the environment, in such a way that if the person has access permission in the environment, if they do not have access permission will be denied, if yes permission will be released and sent information to the system where they control the temperature of the environment according to the taste of the person with permitted access, including the activation of illuminations. First, the scope of the product was defined so as to have a clearer and more objective view. Subsequently, he / she hears the group definition stage and the costing of the materials to be used in this project. Soon after we will do an analysis of the room to be incremented the system, providing some modification, then a test will be done already with the circuit provisionally mounted and then in the last stage presents to the respective responsible of the project.
Keyword: Biometry. Control. Engineering.
Electrical. Arduino.
SUMÁRIO
I. INTRODUÇÃO.................................................. 6
1. Historia da biometria....................................... 6
II. SISTEMA BIOMETRICO..................................7
1. Impressão digital............................................ 8
2. Geometria da mão.......................................... 9
III. FUNCIONAMENTO DA AUTENTICAÇÃO 
BIOMETRICA ................................................... 9
1. Identificação e verificação................................... 9
IV. FUNCIONAMENTO DO SISTEMA........... 10
Vídeos de referencias.................................... 12
V. REFERENCIAS BIBLIOGRAFICAS ........ 13
Introdução
"Seu corpo é sua senha"
Com a utilização cada vez maior de tecnologias de informação e comunicação, surgem problemas relacionados à segurança, em particular, à questão da autenticação e identificação do utilizador. Essa questão é, hoje, fundamental, já que o acesso indevido à informação ou a ausência de informações confiáveis pode provocar sérios prejuízos a uma organização.
Qualquer Sistema de Controle de Acesso tem como principal preocupação a verificação se o indivíduo é quem ele diz ser e, com a evolução dos mecanismos de leitura e dos algoritmos de processamento do dado biométrico, tornou-se possível fazer isso de forma rápida, o que viabilizou a utilização de biometria para as mais diversas soluções sistêmicas.
Dentre os métodos utilizados para biometria, o reconhecimento por meio da impressão digital, atualmente, possui um nível de aceitação alto devido ao fato de não ser um método invasivo, possuir um bom nível de segurança, um custo baixo de equipamentos e poder ser utilizado em todos os tipos de aplicações para autenticação.
Historia:
 Os primeiros usos da biometria digital como meio de identificação foram associados à pré-história, mais especificamente na Babilônia. Na China, artesãos imprimiam suas digitais em vasos como forma de associar suas identidades às obras e, consequentemente, à posteridade.[1]
No entanto, antes mesmo de confirmarem o uso real com evidências científicas quanto à legitimidade desse meio de validação, o ato de imprimir a marca da digital já era utilizado como forma de comprometimento. Na colonização inglesa da India, Sir William Herschel, radicado no distrito de Hooghly, fazia com que seus parceiros de negócios imprimissem a digital nos contratos, além de firmá-los. Ele acreditava que tal ato \u201cassustaria todo e qualquer pensamento de repúdio à assinatura\u201d.[2]
Em 1823, outro professor de anatomia, da Universidade de Breslau, um tcheco chamado Johannes Evangelista Purkinji publicou uma tese na qual mencionava nove
padrões de impressões digitais. Até então, apesar dos temas de pesquisa correlacionados, nenhum deles apresentava seu foco de pesquisa na busca por uma ferramenta de identificação.
Então, finalmente em 1879, o francês Alphonse Bertillon desenvolveu um método científico de identificação, o qual foi amplamente aceito, chamado de Antropometria também conhecido por Bertillonage em homenagem ao seu criador.
Paralelamente, aos trabalhos de Alphonse Bertillon, um cirurgião britânico chamado Henry Faulds realizou estudos sobre impressões digitais como meio de identificação o que resultou na criação de um método de classificação. A partir de um artigo de Faulds em 1880, sobre impressões digitais e sua utilização como meio de identificação pessoal, surge o método de utilização de tinta de impressora como meio de extração da impressão, método este que perdurou até os dias atuais. Através dos estudos de Faulds e Herschel, outro estudioso do assunto, Francis Galton, antropólogo britânico, iniciou seus trabalhos e em 1892 publicou seu livro chamado \u201cImpressões digitais\u201d. Este livro possuía o primeiro sistema de classificação de impressões digitais. Estes eram distribuídos entre os dedos das mãos sendo que cada dedo adotava uma classificação. Com seus estudos, Galton provou cientificamente que as impressões 21 digitais não se alteram no curso da vida do indivíduo e que as impressões não são exatamente iguais entre si. (Marcico.
Disponível em:
http://www.papiloscopia.com.br/historia.html.
Acesso em: 13 de out. 2018).
Apenas em 1903 as impressões digitais começaram a ser coletadas sistematicamente para formar uma base de dados para facilitar a identificação de criminosos, em Nova York. Passaram-se duas décadas, e a Divisão de Identificação do FBI foi criado pelo Congresso Americano, estabelecendo a prática de uma vez por todas como válida e eficiente na identificação de prisioneiros, como também de foragidos. Em 1946, o FBI já possuía mais de 100 milhões de impressões digitais manualmente registradas em cartões de identificação.[3]
O Sistema Biométrico
Um sistema biométrico é a composição