A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
81 pág.
Manual de Teologia Católica   Versão Atualizada

Pré-visualização | Página 13 de 20

A vida é um presente por si só, um presente com data de validade. Esta é uma das razões da importância de aprender a viver o momento presente e não criar hipóteses sobre um futuro a partir de fatos do agora. Aliás, o ser humano também se sente mais realizado em sua vida quando compartilha sua existência com os companheiros de vida (amigos e familiares). 
A vida humana e a interpretação que cada um faz da mesma é que a vida pode também dar lugar a debates éticos, como mostra a oposição daqueles que defendem o direito da vida contra aqueles que defendem o aborto. 
 
4.2.b. Tentando definir a vida 
VIDA, propriedade que caracteriza os organismos cuja existência evolui do nascimento até a morte, é Conjunto de actividades e funções orgânicas que constituem a qualidade que distingue o corpo vivo do morto". 
Genética- Vida é um sistema capacitado a submeter-se ao processo de evolução por selecção natural (que envolve replicação, mutação, e replicação de mutações). 
Estas definições servem ao uso comum da palavra. Mas uma análise crítica mais aprofundada do conceito irá revelar suas fragilidades". 
Um sistema capaz de desempenhar funções como alimentar-se, metabolizar, excretar, respirar, mover-se, crescer, reproduzir-se e responder a estímulos externos". 
 
4.2.1. O início da vida humana 
A - Reprodução natural 
O ser humano começa a existir quando no acto sexual o óvulo que sempre tem o cromossoma X fica fecundado pelo espermatozóide que tem ou cromossoma X ou Y, resultando numa menina XX, ou num rapaz -XY, dependendo do tipo de espermatozóide que fecunda o óvulo. 
4.2.2. Sexualidade Humana 
Conceito 
Sexo - Em biologia, se refere a uma condição de tipo orgânica que diferencia o macho da fêmea, o homem da mulher, seja em seres humanos, plantas e animais. [12: Para informações dados a http://queconceito.com.br/sexo ]
Vale ressaltar que o sexo de um organismo é definido pelos gâmetas que produzem. O sexo masculino produz gâmetas masculinos conhecidos como espermatozóides, enquanto o sexo feminino produz gâmetas femininos chamados de óvulos. 
Gâmetas são células sexuais que permitem a reprodução sexual dos seres vivos. Da combinação de ambos os gâmetas resultará a descendência que possuem as características genéticas pertencentes aos pais. Os cromossomas serão transmitidos de uma geração a outra em um processo de combinação de gâmetas. 
Cada uma das células terá a metade de cromossomos correspondentes ao pai e outra metade à mãe. As características genéticas estão contidas no DNA ou ácido desoxirribonucleico dos cromossomas. 
Já quando os organismos são capazes de produzir ambos os tipos de gâmetas, são considerados hermafroditos. 
Além disso, na linguagem corrente quando se menciona a palavra sexo também pode referir-se a outras questões: ao conjunto dos seres pertencentes ao mesmo sexo, aos próprios órgãos genitais propriamente ditos, por isso é que muitas vezes se usa a palavra como sinónimo de genital; e à sexualidade ou atracção sexual. 
A tendência sexual que mais existe, é a atracção entre o sexo feminino e seu oposto masculino, embora, vale ressaltar, que também existe a atracção entre o mesmo sexo. A primeira é chamada de condição heterossexual e a segunda de homossexual. Além disso, na bissexualidade, o indivíduo pode ficar atraído sexualmente tanto por homens como mulheres. 
 
Conceito de Sexualidade [13: Para mais subsidio remetemos a http://queconceito.com.br/sexualidade ]
O termo sexualidade se refere ao conjunto de condições anatómicas, fisiológicas e psicológicoafectivas que caracterizam cada sexo. E por outro lado, a sexualidade também é o conjunto de comportamentos, práticas que se relacionam com a busca do prazer sexual e se necessário à reprodução, e que sem dúvidas, marcarão o ser humano de maneira determinante em todas e cada uma das fases de seu desenvolvimento. 
Durante muito tempo, inclusive na actualidade, muitos seguem afirmando que a sexualidade tanto entre os homens como nos animais é instintiva e foi justamente nesse tipo de pensamento que se basearam as teorias para fixar as formas não naturais da sexualidade, entre aquelas práticas que não são destinadas à procriação. 
A sexualidade tem quatro componentes importantes: o prazer erótico, o prazer emocional, o prazer da reprodução e o prazer de ser geneticamente definido, que interagem uns com os outros, especialmente, com os níveis biológicos, psicológicos e sociais. 
O erotismo ou o prazer emocional- é a capacidade de sentir prazer com o que é chamado de resposta sexual, através de excitação e do orgasmo. 
O prazer emocional - se refere à capacidade de desenvolver e estabelecer relações interpessoais significativas. 
A reprodução – é a capacidade de ter filhos, o que envolve a criação destes e os sentimentos de paternidade, maternidade. 
O sexo genético - compreende o grau em que se vivencia a experiência de pertencer a uma das categorias dimórficas (masculina / feminina) e será de extrema importância na hora de determinar a identidade sexual. 
 
A sexualidade humana é firmemente radicada na carne e no sangue e toca um conjunto de factores: 
Sexo cromossómico: depende da constituição genética que distingue cromossomas sexuais diferentes, XX na mulher e XY no homem. Essa fórmula preside todas as diferenciações ulteriores . [14: A Santa Sé publicou dois documentos importantes sobre a Educação Sexual: SACRA CONGREGAZIONE PER L’EDUCAZIONE CATTOLICA, “Orientamenti Educativi sull’ Amore Umano, Lineamentidi Educazione Sessuale”, Roma, 1 Novembre 1983, trad. Orientações educativas sobre o Amor humano in Enchiridion Vaticanum, Documenti Ufficialidella Santa Sede, 1983-1985, Vol. 9, Edizione Dehoniane, Bologna, Art. No. 417-530. Outra publicação relacionada é PONTIFICIO CONSIGLIO PER LA FAMIGLIA, “Sessualità Umana: Verità e Significato, Orientamenti Educativi in Famiglia”, Cittàdel Vaticano, 8 Dicembre 1995, trad. Sexualidade humana: Verdade e Significado, Orientações educativas em Família in Enchiridion Vaticanum, Documenti Ufficialidella Santa Sede, 1994-1995, Vol. 14, EdizioneDehoniane, Bologna, Art. No. 3344-3533. ]
Sexo gonádico: distingue na mulher órgãos genitais do tipo feminino, os ovários, e no homem, os testículos, órgãos do tipo masculino. Nesse contexto, distingue-se também o sexo enzimático, isto é, a existência de substâncias químicas provenientes dos ganes que provocam as determinações gonádicas que aparecem no crescimento do indivíduo. 
Sexo endócrino: concerne as secreções hormonais das glândulas endócrinas que ficam derramadas directamente no sangue do indivíduo para permear todo o organismo. O sexo endócrino é essencialmente mas não unicamente relacionado as gônatas e determina o aspecto exterior do indivíduo. 
Sexo morfológico: concerne as características sexuais secundárias exteriores – órgãos genitais externos, estatura, abundância, disposição do pêlo, o tom da voz etc. Trata-se do sexo do estado civil. 
Sexo psicológico: constituído pelas características afectivas e intelectuais de cada sexo. 
Sexo funcional: toca o papel do indivíduo de realizar um acto sexual seguido ou não por procriação. 
Sexo social: refere à vida na sociedade, segundo o papel de cada sexo fora do acto sexual, por exemplo, na vida familiar, no campo profissional. [15: BOTERO faz as observações seguintes: “Homem e mulher são rigorosamente iguais; são complementares; porém,com um tipo de complementariedade reciproca, não estática mas dinámica, não somente matrimonialprocriativa mas também social” (Citando Guzzetti), p. 103. – O sexo relacional é, portanto uma equa relação homemmulher, uma equa relação de mim com o meu próximo;uma justa relação eu-tu que comporta não tanto a negação e o aniquilamento do eu e do tu mas a negação do egoismo do eu e a afirmação da criatividade, inventiva, o aparecimento da novidade (Citando Masellis), p. 104. O estomago funciona por si , e o mesmo sucede com os outros órgãos ...; mas os órgaõs sexuais, precisam de um parceiro, para o seu funcionamento

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.