A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
41 pág.
APS - 4º Semestre

Pré-visualização | Página 1 de 5

UNIVERSIDADE PAULISTA - UNIP 
 
 
SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 
 
 
Atividades Práticas Supervisionadas
4º Semestre 
 
Desenvolvimento de uma aplicação de Business Intelligence
 
Professor: Saulo Rosa
Cassemiro Souza RA: T8404F0
Felipe Scigliano RA: T8404F0
Suéli Rodrigues Rosa RA: T8237J3
 
 
 
 
São Paulo 
2018
 
 
Sumário 
 
 
1. Objetivo 
 
Apresentar e esclarecer ao leitor o estudo e o desenvolvimento de uma aplicação de Business Intelligence, utilizando os conceitos de banco de dados, bem como o uso de modelo conceitual e relacional para entendimento e resolução do problema do cliente. 
Utilizando os conhecimentos adquiridos durante o semestre nas disciplinas de Linguagem de Programação Banco de Dados (LPBD), Análise Estruturada de Sistemas e Análise Essencial de Sistemas (AES), este trabalho além de apresentar o conteúdo informativo, terá um Bando de Dados desenvolvido em Microsoft SQL Server Express Edition 2016, onde o mesmo será integrado com o Microsoft Office Excel 2016 gerando relatórios de acordo com o problema do cliente que será apresentado. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
3 
 
2. Introdução 
 
Vivemos atualmente num mundo onde as mudanças são rápidas e drásticas, e como se não bastasse, a interdependência causada pela globalização entre países e também entre empresas está cada vez mais forte, de forma que algo que aconteça com uma empresa qualquer na Europa, por exemplo, irá afetar a empresa-cliente dela aqui no Brasil. Pessoas, dinheiro, produtos e serviços hoje giram em torno das milhões de informações trafegadas pelo mundo, de maneira que os dados tornaram-se um dos bens mais valiosos dos negócios empresariais. 
Por isso não é de se estranhar que muitos escritórios faliram após os ataques terroristas ao World Trade Center, no dia 11/09/2001 nos EUA. Pois muitos de seus documentos, dados e informações foram destruídos, incluindo o backup (cópia de segurança). 
Tendo em vista todo esse cenário, o Business Intelligence (BI), podendo ser conhecido também como Inteligência Empresarial ou ainda Inteligência de Negócios, é indispensável para a informatização do volume crescente de informações, principalmente por conta da pressão por decisões produtivas, auxiliando assim gestores e organizações na definição de estratégias, avaliação e correção de planejamentos e para apoiar a gestão de negócios. 
Através da coleta, organização, análise e compartilhamento de dados de diversos sistemas, como um banco de dados e relatórios informatizados que será o caso deste trabalho, o BI oferece informações qualitativas que permitem decisões mais rápidas e seguras e ações focadas ao objetivo, seja para que a empresa atenda seus clientes mais eficiente e eficazmente, seja para se manter competitiva, ampliar seus negócios, até mesmo superar crises, entre outros. Em resumo, o BI otimiza todos esses processos. 
 
 
 
 
 
3. Business Intelligence (conceitos gerais) 
 
Business Intelligence (em português significa Inteligência Empresarial ou Inteligência de Negócios) é o processo de coleta, organização, análise, compartilhamento e monitoramento de informações que oferecem suporte a gestão de negócios. Ou seja, faz-se o uso conjunto de técnicas e ferramentas que auxiliam a coleta de dados brutos e desestruturados e os transformam em informações organizadas, otimizadas e significativas, identificando, desenvolvendo e analisando dados e estratégias de negócios, oferecendo assim maiores possibilidades de expansões empresariais, criação de novas oportunidades, maior segurança na tomada de decisões, mapeamento de problemas, vantagem competitiva e estabilidade a longo prazo. 
 
Figura 1 - Composição da estrutura de BI 
 
Fonte: https://www.oficinadanet.com.br/post/13153-o-
	 	que-e-business-intelligence 
 
 
 
 Quando bem aplicado, o BI (Business Intelligence) fornece um verdadeiro histórico de dados, retroativo, atual e futuro, em outras palavras, oferece até mesmo visões previsíveis que são de extrema importância para antecipação de problemas podendo assim elaborar estratégias para contorna-los ou evita-los, bem como planejamento de expansões de negócios. Ressaltando que essas visões podem ser a curto, médio ou longo prazo, dependendo da situação peculiar. 
 As funções mais habituais do BI são relatórios, processo de análises e eventos, benchmarking (processo de busca das melhores práticas numa determinada indústria, empresa ou negócio e que conduzem ao desempenho superior, ou seja, maximizá-lo), mineração de dados e textos, além das análises previsíveis e análises prescritivas. 
 É muito importante salientar que o BI não apenas possui e trabalha com informações internas, como também externas. Ou seja, uma empresa pode, ao aplicar o BI, combinar e integrar dados externos, como o mercado, concorrência, inflação, preço do dólar, etc. com seus dados internos, como número de vendas, preços, número de clientes, etc. e assim tomar as decisões cabíveis para seu negócio. Claro que este é apenas um exemplo, variando muito em cada situação, podendo inclusive não haver necessidade de informações externas. 
 	 
3.1 A importância do BI para o crescimento das empresas 
 
Com ações mais eficientes e resultados mais significativos da gestão de dados para tomadas de decisões, empresas passaram a investir em meios digitais e ações de BI para alcançar suas metas. Promover a compreensão do processo de captura e utilização de informações externas e internas à organização, para o desenvolvimento e monitoramento de estratégias coerentes ao momento competitivo. 
No Brasil, soluções de Business Intelligence estão em instituições financeiras, empresas de telecomunicações, seguradoras e em toda instituição que perceba a tendência da economia globalizada, em que a informação precisa chegar de forma rápida, precisa e abundante. O BI tem como principal benefício a capacidade de fornecer informações precisas quando necessárias, incluindo uma visão em tempo real do desempenho corporativo geral e de suas partes individuais. 
4. Aplicação do Business Intelligence (passos, técnicas e ferramentas). 
 
Falando de uma maneira mais genérica, o primeiro passo para a aplicação do BI é o chamado Data Warehousing, que é a coleção e a integração de dados de uma ou mais fontes, podendo ser internos e externos. Então é criado um repositório central de dados - os armazéns de dados, chamados de Data Warehouse. Esse é o segundo passo. 
Com os dados já coletados, integrados e armazenados, vamos ao terceiro passo: o Data Mining, onde esses dados são minerados, objetivando a exploração de grandes quantidades de informações à procura de padrões consistentes para detectar relacionamentos e novos subconjuntos de dados a serem mapeados e extrair-se informações privilegiadas. Então, no quarto passo são feitas as análises dessas minerações gerando relatórios, gráficos e tabelas para detalhar, fortalecer e esclarecer o cenário em questão. 
 
Figura 2 - Ilustração em pirâmide das etapas do BI 
 
Fonte: 
http://www.omnitechsys.com/site/datamining.php
 
 	 
 
Então como “pós-BI” temos: 
ERP – Enterprise Resource Planning/Enterprise Business Process Management 
Management (Sistema Integrado de Gestão Empresarial); 
CRM – Customer Relationship Management/Corporate Performance Management (Gestão de Relacionamento com o Cliente); 
BPM – Business Process Management/ Business Process 
Management (Gerenciamento de Processos de Negócio). 
Neste último passo, os dados e informações são unidos a uma estratégia de gestão e acompanhamento, pois o ERP, CRM e o BPM são o conjunto de análises que irão monitorar o comportamento da empresa diante dos indicadores. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
4.1 Aplicação do Business Intelligence para diversos processos 
 	 
 	Veja na tabela a seguir para quais negócios o BI pode ser empregado: 
	Administrativos e 
Financeiros 
	Vendas e Faturamentos 
	Outros Processos 
	 	Compras 
	 	Volume