A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
14 pág.
1529506714SantoDigital_Ebook_GuiaWorkloads

Pré-visualização | Página 1 de 3

- 1
G U I A
S O B R E M I G R A Ç Ã O
D E W O R K L O A D S
 - 2
C O N T E Ú D O
Introdução 
Cloud Computing em números 
A Nuvem no Brasil
 
Entendendo a migração de Workloads
 
A Google como fornecedor de Cloud 
Google Cloud Platform : A plataforma do futuro 
Google e SAP - Parceria e sucesso 
Estratégias para migração de Workloads 
Live Migration: 
Lift and Shift: 
Emulation: 
Orquestração de Nuvem: 
Re-Installation and Re-Architecture:
 
Case de Sucesso - DIMEP
 
Comece agora sua jornada em Cloud!
 
Sobre a SantoDigital
3
3
4
5
6
6
7
8
8
8 
9
9
9
10
11
12
Introdução - 3
Introdução
C L O U D C O M P U T I N G E M N Ú M E R O S
A Computação em Nuvem há poucos anos atrás buscava sua consolidação como recurso de 
infraestrutura de TI para as empresas que procuravam a redução de custos e acesso a tecnologia de 
ponta. Hoje, ela se tornou fundamental para a transformação digital que ocorre a passos largos, sendo 
responsável pela base tecnológica de organizações causadoras de importantes rupturas no mercado, 
quando se pensa em padrões de consumo, produtos e serviços.
Vale destacar ainda que a Cloud Computing se tornou a plataforma responsável pelo surgimento de 
importantes empresas de tecnologia, a exemplo Spotify, Snapchat, Wix.com entre outras. A realidade 
mostra que não dá para pensar em empreender, com base em inovação, sem associar a infraestrutura 
de TI à nuvem.
A tecnologia de Computação em Nuvem e o modelo de negócios como serviço, estão transformando a 
indústria de produtos e serviços e todo o ecossistema de TIC (Tecnologia da Informação e Comunicação), 
bem como praticamente todos os setores verticais.
Mercado global de nuvem pública 
global será de US$ 178 bilhões em 
2018, acima dos US$ 146 bilhões 
em 2017, e continuará crescendo 
a uma taxa de crescimento anual 
composta de 22%, de acordo com 
matéria publicada pela Forbes.
US$178 BI
A Forrester prevê que mais de 50% 
das empresas globais dependerão 
de pelo menos uma plataforma de 
nuvem pública para impulsionar a 
transformação digital e encantar 
os clientes.
A RightScale realizou em 
seu último levantamento 
anual sobre a nuvem que a 
adoção da nuvem pública 
aumentou para 92% em 
2018, de 89% em 2017.
E a pesquisa da RightScale 
cita ainda que muitas outras 
empresas veem a nuvem 
pública como sua principal 
prioridade, de 29% em 2017 
para 38% em 2018.
50% 92%
38%
89% 
29% 
Introdução - 4
Esses indicadores demonstram a consolidação da tecnologia e o quanto ela se tornou 
essencial para o mercado para os próximos anos. Principalmente pelo fato que vamos ter 
uma forte continuidade na evolução na chamada Indústria 4.0 e na Era Digital, englobando 
a inovação em tecnologias, a exemplo, da Inteligência Artificial (IA) e Internet das Coisas (IoT), 
apresentando forte impacto junto ao mercado consumidor. 
O objetivo do nosso e-book portanto, é servir como um guia definitivo para construir uma 
sólida estratégia de Migração de Workloads para a nuvem, garantindo uma transferência 
segura e efetiva de servidores físicos a máquinas virtuais, com foco de baixo custo e impacto 
reduzido nas operações de sua empresa.
Excelente leitura.
A N U V E M N O B R A S I L
Para concluirmos esse levantamento, vemos que o Brasil também segue 
a forte tendência de adotar a computação em nuvem como infraestrutura 
de tecnologia, servindo de suporte no crescimento das empresas e na 
busca pela satisfação dos clientes. Mais alguns números: 
O CanalTech publicou estudo citando que a procura pela tecnologia da nuvem aumentou 20% apenas no 
primeiro semestre deste ano, comparado ao mesmo período do ano anterior.
A Revista Exame mostra que mesmo em um cenário econômico recessivo, o segmento de Cloud Computing 
tinha a previsão de movimentar cerca de R$ 890 milhões em 2017, o que representava na época da matéria, 
um avanço de 20% em relação ao ano anterior.
E por fim, o Brasil subiu quatro posições em ranking global que avalia as políticas relacionadas à computa-
ção em nuvem de 24 nações. O país saltou do 22º lugar, em 2016, para o 18º na edição deste ano do estudo 
“Tabela de Desempenho Global sobre Computação em Nuvem”, conduzido pela BSA| The Software Alliance.
Entendendo a migração de Workloads - 5
E N T E N D E N D O A M I G R A Ç Ã O 
D E W O R K L O A D S
Mas afinal, o que leva uma empresa migrar seu Workload para a nuvem? Para responder essa 
pergunta precisamos entender a fundo o conceito, seus benefícios, vantagens e desta forma saber 
as razões para adotar a computação em nuvem abrindo mão de um ambiente computacional muitas 
vezes considerado estável em uma organização.
Como sabemos, o conceito básico de Workloads na nuvem consiste essencialmente na ideia de 
transferência de uma carga de trabalho, que antes era executada em um datacenter local, e passa a 
ser executada em uma instância da Cloud. Em termos práticos, imagine sua empresa ter uma carga de 
trabalho, que tem a origem a partir de um site institucional ou e-commerce hospedado localmente, e 
depois toda essa carga e estrutura de hospedagem é transferida para a nuvem.
É claro que temos um conceito mais técnico dessa definição que envolve, por exemplo, o consumo de 
processador, memória ram, armazenamento, alta disponibilidade, tempo de resposta das transações, 
etc. Mas de uma maneira geral seria transferir a capacidade ou a quantidade de trabalho que 
inicialmente seria em uma estrutura de TI local, passando a ser executada em um ambiente remoto 
com configurações exclusivas e adequadas aos recursos necessários para a operação.
Então estamos falando sobre migrar para a nuvem? Na verdade estamos indo além do conceito de 
migração para a nuvem. Uma empresa pode adotar Cloud Computing por diferentes razões, veja 
alguns exemplos.
Na migração de Workloads temos todas 
essas razões, mas o nosso principal foco está 
na carga de trabalho. Todo o processo de 
planejamento e execução da migração é feito 
por uma análise entre a carga de trabalho 
atual e a projetada para o futuro. 
As principais razões para migrar tendo como 
base os Workloads pode ser definido em 
alguns cenários:
Por redução de custos;
Pela necessidade de utilizar tecnologia de ponta nos projetos de inovação;
Para ter uma infraestrutura que possa garantir a alta disponibilidade de suas operações;
Para atender requisitos de segurança e conformidade;
A preocupação por backup e recuperação;
E vários outros motivos.
Esgotamento do processamento e armazena-
mento da capacidade atual da carga de trabalho 
em uma estrutura local;
A inviabilidade do crescimento futuro da carga 
de trabalho em virtude dos altos investimentos 
em ativos de um datacenter local;
Projetos que utilizam novas tecnologias, a exem-
plo do Internet das Coisas e Inteligência Artificial 
e que projetam o uso de alta carga de trabalho;
A necessidade das empresas em aumentar sua 
eficiência operacional, performance e agilidade.
A Google como fornecedor de Cloud - 6
A G O O G L E 
C O M O F O R N E C E D O R 
D E C L O U D 
G O O G L E C L O U D P L A T F O R M : A P L A T A F O R M A D O F U T U R O
O Google Cloud Platform é um conjunto de serviços de computação em nuvem oferecidos pelo 
Google. A plataforma inclui uma variedade de serviços de computação, armazenamento, rede, big data, 
aprendizado de máquina e Internet das coisas (IoT) que são executados na infraestrutura do Google. 
Em total, disponibilizamos mais de 60 serviços de Google Cloud 
Platform os quais podem ser resumidos na seguinte figura:
Entre os diversos serviços que são oferecidos por Google Cloud Platform, podemos destacar:
Google Compute Engine, que é uma oferta de infraestrutura como serviço (IaaS);
Google App Engine, que é uma oferta de plataforma como serviço

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.