Ciência Criminal
1 pág.

Ciência Criminal


DisciplinaDireito Administrativo I65.126 materiais1.145.595 seguidores
Pré-visualização1 página

CIÊNCIA CRIMINAL


Definição

A Ciência Criminal é um campo de atuação que tem como premissa o equilíbrio da criminalidade e do seu impacto social, visando a prevenção de posturas violentas em prol do impedimento de delitos. Tal premissa abrange o papel da Política Criminal e de áreas afins no ramo forense.

Um dos principais ramos de atuação abarcados por essa ciência é a Criminologia (do latim: crimino) que é uma ciência moderna interdisciplinar que corresponde, sobretudo, ao campo de estudo do Direito Penal, tendo como propósitos de estudo o crime e suas variáveis sociais, morais e psicológicas. Tal área de estudo se fundamenta na máxima de que há verdades concebíveis por trás das ações de um criminoso e de sua personalidade, e se responsabiliza por entender esses fenômenos, se alicerçando nos estudos das Ciências Sociais, da Psicologia, entre outros.



HTML image 0
Cena de crime


Aplicação

A aplicação dessa ciência visa a prevenção de crimes em benefício a um caráter social pacífico quando na esfera das Políticas Criminais, e a investigação de um delito e suas adequações a leis e sanções estabelecidas socialmente quando na esfera criminológica. O reconhecimento de um delito como candidato a objeto de estudo dessa ciência se dá no momento em que a natureza é reconhecida como criminal e sua influência causa perturbação e comoção social, a partir daí, os especialistas da tal ciência fundamentam-se em provas reais acerca da origem do dado crime em vista de amparar o trabalho do Direito Penal na justiça no que tange as decorrências punitivas do réu, sempre construindo suas bases de pesquisa no controle social, tanto no subgrupo formal: polícia, ministério público, sistema, quanto no informal: a sociedade, uma vez que todo crime é um problema comunitário, e não um fato isolado.

Uma observação do filósofo Platão demonstra a influência da sociedade nesse tipo de ocorrência desde a Antiguidade: “…a falta de educação dos cidadãos e má organização do Estado são causas geradoras do crime”.

Os estudos da Criminologia se segmentam em duas áreas complementares:

  • Criminologia Clínica: é guiada pela indução e se faz de métodos individuais.
  • Criminologia Geral: é guiada pela dedução e se faz de métodos estatísticos.

A Ciência Criminal também engloba o estudo psicológico do criminoso, bem como sua ressocialização na sociedade, e, por outro lado, explora também - por meio do campo da Vitimologia - a relação da vítima com o criminoso e com a ocorrência do crime no geral, a relação entre os indivíduos envolvidos e as ligações externas ao momento específico do acontecimento.

A atividade de investigação científica, como o diagnóstico de provas de DNA, tão presente no mundo do cinema criminal, traduz um campo denominado Criminalística, que é também um subárea da Ciência Criminal que colabora efetivamente com o Direito Penal, mas numa perspectiva mais científica que responde todas as questões relacionadas à cena do crime e à vítima - sangue, balísticas, autópsia, rastros, entre outros. A Criminalística trabalha sobretudo com a Biologia e com a Medicina.



HTML image 1
Ilustração do trabalho de um criminalista


Curiosidade

A Ciência Criminal é empírica, ou seja, uma ciência que baseia-se muito na investigação e na experiência. É importante entender que apesar da Ciência Criminal ser parte importante do Direito Penal, ela não pode ser reduzida ao mesmo, uma vez que em alguns países ela se constrói como curso de graduação, e não apenas como ramificação ou especialização do Direito. O Direito Penal e a Ciência Criminal podem seguir vertentes semelhantes, mas são áreas que apresentam diferenças numerosas. O Direito Penal é pautado ao exercício da lei pois é um ramo do Direito devotado às normas do Legislativo, buscando instituir na sociedade uma atmosfera civilizada e segura. O foco da Ciência Criminal não advém de um discurso que visa apenas condenar, e sim de um discurso que busca compreender o delito e a partir disso reintroduzi-lo na sociedade.