A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
As Competências Profissionais e Atribuições dos Assistente Sociais

Pré-visualização | Página 1 de 1

EXEMPLO DE ARTIGO
Centro Universitário Internacional Uninter
Curso: Bacharelado em Serviço Social
Disciplina (s): Desenvolvimento Capitalista e Serviço Social / Serviço Social e Supervisão Técnica e Acadêmica em Serviço Social - Reajuste de Disciplinas
Orientador (a) educacional local: 
Nome do aluno (a), RU: 
Competências e Atribuições dos Assistentes Sociais no fazer Profissional
 
RESUMO
Trabalho elaborado para as disciplinas de Desenvolvimento Capitalista e Serviço Social e Supervisão Técnica e Acadêmica em Serviço Social para obtenção de nota, escrito a partir do estudo e leitura dos textos de apoio referenciado nas disciplinas e pesquisa bibliográfica sobre o tema na plataforma Google Acadêmico. 
Abordarei as competências e atribuições privativas do Assistente Social, conforme o Código de Ética, e as Leis que regulamentam a profissão, lembrando sempre que trabalhamos com as múltiplas expressões da questão social e com a garantia de direitos com equidade. 
Palavra Chave:Competências Profissionais, Código de Ética, Lei de Regulamentação.
1 INTRODUÇÃO
 Para entendermos as competências e atribuições do fazer profissional do assistente social, devemos primeiramente entender que o Serviço Social é uma profissão de caráter sociopolítico, crítico e interventivo, que se utiliza de instrumental científico multidisciplinar das Ciências Humanas e Sociais para análise e intervenção nas diversas refrações da “questão social”. Isto é, no conjunto de desigualdades que se originam do antagonismo entre a socialização da produção e a apropriação privada dos frutos do trabalho, atuando nas relações entre os seres humanos no cotidiano da vida social, por meio de uma ação global de cunho socioeducativo e de prestação de serviços enxergando-se como classe trabalhadora. 
2 ATRIBUIÇÕES E COMPETÊNCIAS DE ASSISTENTES SOCIAIS 
 Inserido nas mais diversas áreas: saúde, previdência, educação, habitação, lazer, assistência social, justiça entre outros, é uma das poucas profissões que possui um projeto profissional coletivo e hegemônico, denominado projeto ético - político que tem seus contornos claramente expressos na Lei 8662 – 93, no código de Ética Profissional – 1993 e nas Diretrizes Curriculares. (CFESS, 2010) 
 As atribuições e competências dos profissionais de Serviço Social, em todos os espaços sócio- ocupacional, são dirigidas e por direitos e deveres constantes no Código de Ética Profissional e na Lei de Regulamentação da Profissão, que devem ser observados e respeitados, tanto pelos profissionais quanto pelas instituições empregadoras. (CFESS, 2012) 
Trazer para o debate não apenas as atribuições privativas, mas as competências profissionais, coloca em cena não somente aquilo que, pela lei, é função exclusiva do Serviço Social, mas também aquilo que potencialmente podemos/devemos desenvolver no trabalho profissional (MATOS, 2015, p.682).
- Atribuições e requisições sócio-profissionais e políticas constitui-se em requisito essencial e caminho fecundo para qualificar a formação e o trabalho profissional;
- Defesa intransigente dos direitos humanos e recusa do arbítrio e do autoritarismo; 
- Posicionamento em favor da equidade e justiça social, que assegure universalidade de acesso aos bens e serviços relativos aos programas e políticas sociais, bem como sua gestão democrática; 
- Compromisso com a qualidade dos serviços prestados à população e com o aprimoramento profissional. 
- Prática como uma ação intencional com um objetivo próprio que visa a mudança social 
 A análise da Lei de Regulamentação da profissão, que se constitui no estatuto jurídico que dispõe sobre as atribuições privativas e competências dos assistentes sociais, indica atribuição privativa como prerrogativas exclusivas da prática profissional dos assistentes sociais e competência como a capacidade de dar resolutividade a determinado assunto, não sendo exclusivas de uma única especialidade profissional, mas a ela concernentes em função da capacitação dos sujeitos profissionais” (IAMAMOTO, In: CFESS, 2012, p. 37).
 São competências do assistente social, que a Lei de Regulamentação reconhece: implementar, planejar e avaliar políticas sociais. Mais uma vez se coloca a mediação da política, donde a importância de se problematizar o modelo de política social que se configura como espaço sócio-profissional dos assistentes sociais. Cabe lembrar que por toda a trajetória dessa profissão construímos competências as quais são legalmente designadas aos assistentes sociais, constantes da lei que regulamenta a profissão, atualmente pela lei 8662/93. Concebemos que competência e habilidade são dois conceitos que estão relacionados. A habilidade é conseguir pôr em prática as teorias e conceitos que foram adquiridos, enquanto a competência é mais ampla e consiste na articulação entre conhecimentos, atitudes e habilidades.
Portanto, uma profissão se legitima a partir das respostas que consegue emitir para usuários(as) dos seus serviços e para seus(suas) contratantes. E estas — as respostas — podem ser maiores ou menores, dependendo da competência do coletivo profissional. No caso do Serviço Social, tal debate não pode ser realizado sem a clareza dos distintos interesses que envolvem o contratador do trabalho profissional e a população usuária dos seus serviços (MATOS, 2015, p. 682).
3 CONSIDERAÇÕES FINAIS
 O Reconhecimento Social de uma profissão relaciona-se com os seus aspetos exógenos e consolidam o seu estatuto e visibilidade. Possui um enorme Poder Social pois relaciona-se com o pensamento e a ação coletiva. 
 A identidade profissional do Serviço Social atual está diretamente relacionada com os processos de reconhecimento e legitimidade social. Estes processos não se confinam agora tanto nas questões relacionadas com as competências teóricas e cientificas, nem com a delimitação singular de um campo de atuação sócio-profissional, mas mais com os processos de intervenção e mudança social que exigem uma tomada de posição estratégica e política dos assistentes sociais. 
REFERÊNCIAS
CFESS. Parâmetros para atuação de assistentes sociais na política de assistência social. Brasília: CFESS, 2012. Disponível em: www.cfess.org.br . Acesso em: 01 out. 2019.
 ______. Código de Ética do assistente social e Lei n. 8.662/93. 10. ed. rev. e atual. Brasília: CFESS, 2012. Disponível em: www.cfess.org.br. Acesso em: 01 out. 2019. 
______. (Org.). Atribuições privativas do/a assistente social em questão. Brasília: CFESS, 2012. Disponível em: www.cfess.org.br. Acesso em: 01 out. 2019.
______ . (Org.). Diretrizes curriculares para o curso de Serviço Social. Brasília: CFESS, 2010. Disponível em: www.cfess.org.br. Acesso em: 01 out. 2019.
MATOS, Maurílio Castro. Considerações sobre atribuições e competência profissionais de Assistentes Sociais na atualidade. Serviço Social & Sociedade , v. 124, p. 678-698, 2015.
NETTO, J. P.  A  construção  do  projeto  ético‐político  contemporâneo. In: Capacitação em Serviço Social e Políticas Sociais Módulo 1. Brasília: CEAD/ABEPSS/CFESS, 1999.