Aula 11 - SOLOS APLICADOS A ENG CIVIL
20 pág.

Aula 11 - SOLOS APLICADOS A ENG CIVIL


DisciplinaGeologia8.287 materiais62.089 seguidores
Pré-visualização3 páginas
Aula 11 \u2013 Solos aplicados na construção civil 
 
Utilização de solos na indústria da construção civil 
\uf0b7 Os depósitos de sedimentos encontrados na natureza constituem uma significativa fonte de 
materiais utilizados na construção civil; 
\uf0b7 As principais jazidas naturais de sedimentos fornecem materiais de construção, como: pedra, 
saibro, areia, cascalho e argila, para exploração; 
\uf0b7 A localização dos depósitos de materiais de construção deve ser próxima à obra ou aos centros 
consumidores, para o material não se tornar antieconômico, devido ao encarecimento do frete e 
ao longo tempo necessário, para o material chegar a locais afastados e, muitas vezes, de difícil 
acesso; 
\uf0b7 Nas obras situadas nos grandes centros urbanos e suas proximidades, o material de construção 
é adquirido de fornecedores da região; 
\uf0b7 Porém, a maioria das obras rodoviárias, ferroviárias, hidráulicas e de barragens precisa utilizar 
jazidas próximas, por causa da grande demanda de materiais e das grandes distâncias destas 
construções em relação às metrópoles. 
 
Fotografia aérea, mostrando grande movimentação de solo 
 
 
 
Exploração de depósitos de aluviões ou de solos residuais 
Quando o material não é rocha, a exploração ocorre em depósitos de aluvião ou em solos 
residuais. 
 
 
Aluviões 
 
\uf0b7 São concentrações de solos, formadas pela ação da água ou do vento; 
\uf0b7 Os materiais mais comuns encontrados neste tipo de solo são os cascalhos, as areias e as 
argilas; 
\uf0b7 Normalmente, são localizadas ao longo de rios, principalmente, em suas confluências ou em 
suas planícies de inundação; 
\uf0b7 São depósitos recentes de sedimentos, como: areia, cascalho, lama (argila e silte) e resíduos 
vegetais, e que podem ter origem nos ambientes deposicionais fluviais, lacustres ou marinhos. 
\uf0b7 Nos rios, esta acumulação de sedimentos é muito frequente, geralmente, junto aos estuários e 
às planícies de inundação e ocorre, quando as águas perdem a capacidade de transportar os 
sedimentos. 
\uf0b7 No mar e nos lagos, a aluvião ocorre, geralmente, após períodos de forte ondulação; 
\uf0b7 Pelas suas características de consistência, os depósitos de detritos, formados com as aluviões, 
são bastante mutáveis, sendo facilmente moldáveis pela erosão fluvial, no caso da aluvião de 
rios, ou pela erosão das ondas e das marés, no caso das aluviões marinhas; 
\uf0b7 Os depósitos de aluviões são formados pelos seguintes materiais: cascalho, areia, argila, silte. 
 
Utilização de solos de aluvião como fontes de materiais para a construção civil 
 
a) Cascalho 
\uf0b7 Para a confecção de concreto; 
\uf0b7 Para o revestimento de leito de estrada de terra; 
 
b) Areia 
\uf0b7 Para a confeção de concreto; 
\uf0b7 Para a construção de fundações de edificações; 
\uf0b7 Para a construção de filtros de barragem; 
 
 
 
 
 
c) Argila 
\uf0b7 Para a confecção de tijolos cerâmicos e cerâmica em geral; 
\uf0b7 Para a construção de aterros, em geral; 
\uf0b7 Para a construção de núcleos impermeáveis de barragens; 
\uf0b7 Para acelerar a consolidação de um estrato de solo pouco permeável, a fim de se trabalhar com 
solo de baixa permeabilidade. 
 
Jazida de aluvião (cascalho) 
 
 
 
Jazida de aluvião (areia) 
 
 
 
 
Jazida de aluvião (argila) 
 
 
 
Solos residuais 
\uf0b7 São concentrações de solos maduros, formados pelos processos de pedogênese, após a ação 
do intemperismo sobre solos provenientes de alterações de rochas; 
\uf0b7 São solos que permanecem no local de decomposição da rocha matriz que lhes deu origem; 
\uf0b7 Para sua ocorrência, é necessário que a velocidade de remoção do solo seja menor que a 
velocidade de decomposição da rocha matriz; 
\uf0b7 Normalmente, são localizados em encostas não muito íngremes; 
\uf0b7 São os provenientes da decomposição e alteração das rochas no local em que rocha mãe se 
encontra; 
\uf0b7 Sua formação depende do tipo e da composição mineralógica da rocha matriz; 
\uf0b7 Todos os tipos de rocha formam solo residual; 
\uf0b7 São subdivididos em horizontes e se organizam da superfície para o interior da crosta; 
\uf0b7 A transição entre um horizonte e o outro é gradativa, de modo que a separação entre eles pode 
ser arbitrária; 
\uf0b7 Não existe um contato ou limite direto e brusco entre o solo e a rocha que originou. 
 
 
 
 
 
 
 
 
Perfil de solos resultante da decomposição de uma rocha sã (rocha matriz) 
 
Perfil de solos resultante da decomposição de uma rocha sã (rocha intacta) 
 
 
Pedogênese 
\uf0b7 São as alterações provocadas nos solos, após sua formação, pela ação de vários processos 
físicos, químicos e biológicos, que dão forma ao solo, que se organiza em várias camadas de 
diferentes aspectos e composições. 
 
Solo residual maduro 
\uf0b7 É o solo que perdeu toda a estrutura original da rocha matriz e tornou-se relativamente 
homogêneo; 
\uf0b7 Não se consegue observar restos da estrutura da rocha mãe nem de seus minerais. 
 
Solo de alteração de rocha (saprólito) 
\uf0b7 Ainda mostra alguns elementos da rocha matriz, mantendo a estrutura original, inclusive veios 
intrusivos, fissuras, xistosidade e camadas, mas perdeu totalmente a consistência; 
\uf0b7 Pode ser confundido com a rocha alterada; porém, distingue-se desta, porque, ao ser 
pressionado pelos dedos, apresenta-se friável, isto é, esboroa-se completamente. 
 
Rocha alterada 
\uf0b7 Lembra a rocha matriz no aspecto; 
\uf0b7 É o horizonte em que a alteração progrediu, preservando parte da estrutura e dos minerais da 
rocha matriz; 
\uf0b7 Sua dureza ou resistência é inferior à da rocha matriz. 
 
Rocha sã 
\uf0b7 É a rocha matriz inalterada. 
 
Solos residuais arenosos 
São utilizados: 
\uf0b7 Na indústria de vidro; 
\uf0b7 Em fundições para confecções de moldes. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Solo residual arenoso 
 
 
 
Solo residual argilo-arenoso 
 
 
 
Solo residual terroso 
 
 
Solo residual argilo -arenoso 
 
 
Utilização de solos residuais como fontes de materiais para a construção civil 
a) Terra 
\uf0b7 Como áreas de empréstimos para aterros, estradas e barragens; 
 
b) Areia 
\uf0b7 Para a indústria da fundição ou da indústria de vidro; 
 
c) Argila 
\uf0b7 Para a confecção de tijolos cerâmicos e cerâmica em geral; 
 
Materiais industriais 
Quartzito 
\uf0b7 É uma rocha metamórfica formada, essencialmente, por quartzo; 
\uf0b7 Sua decomposição produz as areias; 
\uf0b7 É utilizado, quando moído, na fabricação de vidros e materiais abrasivos. 
 
 
Pedra de quartizito 
 
 
 
Calcário 
É utilizado: 
\uf0b7 Na fabricação de cimento, cal e vidro; 
\uf0b7 Como fundente em metalurgia; 
\uf0b7 Como corretivo do solo, em indústria química. 
 
Pedras de calcácio 
 
 
Argila refratária 
É utilizada: 
\uf0b7 Na fabricação de tijolos e materiais refratários, para fornos de altas temperaturas, principalmente, 
em siderúrgicas. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Jazida natural de argila refratária 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Forno construído com tijolo refratário 
 
 
 
Argila em geral 
Utilização da argila nas indústrias 
\uf0b7 Na indústria de cerâmica; 
\uf0b7 Na indústria de cimento, constituindo cerca de 20% do peso das matérias-primas empregadas 
na fabricação; 
\uf0b7 Na indústria de lama bentonítica, para resfriar as brocas utilizadas na perfuração das rochas, 
nas operações geotécnicas para alcançar as reservas de petróleo; 
\uf0b7 Na indústria de refinação de óleos, como desodorante e descorante; 
\uf0b7 Na indústria de fabricação de papel, com a variedade chamada caulim ou caulino, constituindo 
até 5% das matérias-primas