II AVALIAÇÂO NOÇÕES DE ATÚARIA
5 pág.

II AVALIAÇÂO NOÇÕES DE ATÚARIA

Pré-visualização5 páginas
D isciplina:
N oções d e A t uária (C TB10)
A valiação:
A valiação I I - I nd ivid ual FL EX ( Cod .:455713) ( peso.:1,50)
Prova:
14682458
N ota da P rova:
10,00
Legenda: Resposta Certa Su a Resposta Errada
1.
O s objet ivos d a segurid ad e social, conf orme previst o no t ext o const it ucional, t êm em
vista a execução d e polít icas públicas, d est inad as ao atend iment o nas áreas d e saúd e
pública, assist ência social e previd ência social. O s princípios d a P revid ência Social,
que est ão previst os no art . 201 d a Const it uição Fed eral, também são mencionad os no
art . 2º d a L ei 8.213/91. S obre o expost o, classif ique V para as sent enças verd ad eiras
e F para as f alsas:
( ) O princípio d a universalid ad e d a cobert ura e d o at end iment o d iz que t od os t êm
d ireit o à segurid ad e social, ind ist int ament e.
( ) O princípio d a irred ut ibilid ad e d e valor d os benef ícios imped e que haja red ução
nominal nos pagament os.
( ) O princípio d a iguald ad e ref ere -se à iguald ad e d o valor conf orme a prof is são
exercid a pelo cont ribuinte.
( ) O princípio d a unif ormid ad e d e equivalência d os benef ícios cit a que
t rabalhad ores rurais e urbanos t êm os mesmos d ireit os.
A ssinale a alt ernat iva que apresent a a sequência C O R R ETA :
FO N TE: BR A SI L. L ei nº 8.213, d e 24 d e julho d e 1991. D ispõe sobre os Planos d e
Benef ícios d a Previd ência Social e d á out ras provid ências. Disponível em:
ht t p://w w w .planalt o.gov.br/ccivil_03/leis/L8213cons.ht m. A cesso em: 25 maio
2017.
V - F - F - V.
V - V - F - V.
V - V - F - F.
F - F - V - V.
2.
A Previd ência Social B rasileira est á organizad a em d iversos regimes. Cad a um d eles
possui regras próprias t ant o em sed e const it ucional como inf raconstitucional. A
prot eção previd enciária é prest ad a d e acord o com a previsão legal em que est ão
d et erminad os o s respect ivos benef iciários, a f orma d e f inanciament o e as prest ações
a que f azem jus os segurad os. Ref erente aos t ipos d e regime d e previd ência social no
Brasil, analise as sent enças a seguir:
I - Regime G eral d e P revid ência Social (RG PS ): é d e carát er co nt ribut ivo e d e
f iliação obrigatória.
II- Regimes P róprios d e Previd ência Social (RPP S): são exclusivos d os f uncionários
públicos e milit ares.
III- Regime d e Previd ência C omplement ar (RPC ): é exclusivo aos trabalhad ores d a
iniciat iva privad a. Ent re seus co nt ribuint es, encont ram-se os empregad ores e os
empregad os assalariad os, d omésticos, autônomos, cont ribuint es ind ivid uais e
t rabalhad ores rurais.
A ssinale a alt ernat iva C O RR E TA :
A s sent enças I I e I I I est ão corret as.
Soment e a sent ença I I I est á corret a.
A s sent enças I e I I estão corret as.
A s sent enças I e I I I est ão corret as.
3.
O resgate d e um tít ulo d e capit alização represent a o pagament o, pela socied ad e d e
capit alização, d e d et erminad a quant ia ao t it ular, ext raíd a d a Provisão Mat emát ica
para Capit alização. A ssim a socied ad e d eve ef et uar o pagament o d o resgat e por
qualquer meio legalmente ad mit id o e d isponível na cid ad e d e d omicílio d o t it ular,
send o ved ad a a reaplicação d o valor d e resgat e em out ro t ítulo sem a prévia
concord ância. Com relação ao resgat e d os t ít ulos d e capit alização, analise as
sent enças a seguir:
I - O resgat e t ot al é vinculad o ao encerrament o/cancelament o d o t ítulo, que esgot a o
valor const it uíd o na Provisão Matemát ica para C apit alização, pod end o, conf orme o
caso, o t it ular f icar com t od o esse valor ou não.
II- O resgat e parcial esgota a t ot alid ad e d o mont ant e present e na Provisão
Matemát ica para C apit alização, ist o é, d urant e a vigência d o t ít ulo, o t it ular solicit a o
levantament o (resgat e) d e part e d o valor presente na sua provisão mat emát ica sem
esgot ar o sald o d essa provisão.
III- O resgate ant ecipad o é realizad o por meio d e solicit ão d o t itular, pod e ser
parcial ou t ot al, a socied ad e d e capit alização pod erá f ixar, d esd e que previst a nas
cond ições gerais d o t ít ulo, uma penalid ad e em f unção d o t it ular não respeitar o prazo
d e vigência d o t ítulo d e capit alização.
A ssinale a alt ernat iva C O RR E TA :
A s sent enças I I e I I I est ão corret as.
A s sent enças I e I I I est ão corret as.
Soment e a sent ença I I est á corret a.
A s sent enças I e I I estão corret as.
4.
O ser humano sempre busca, d e alguma f orma, economizar e f azer alguma reserva
para f ut uros invest iment os ou para imprevist os. A lém d a economia pessoal, t ambém
acred it amos na sort e realizand o apost as em lot éricas e compras d e t ít ulos d e
capit alização. O s t ít ulos, por sua vez, pod em reunir as d uas coisas: investiment os e
sort e. A o longo d os anos, a capit alização passou por d iversas mud anças com int uito
d e at end er a cad a nicho d e mercad o especif icament e. A s mod alid ad es que surgiram
com est a d ivio são cat egorizad as em: t rad icional, popular, incent ivo e compra
programad a. Sobre a mod alid ad e t rad icional, analise as sentenças a seguir:
I - O cliente concorre aos sort eios d esd e que est eja com os pagament os em d ia.
II- É a melhor solução para empresas d e d iversos se gment os.
III- Permit e ao cliente o acúmulo d e uma reserva, que pod e ser resgat ad a 100%.
IV- Tem int uito d e conquist ar ou f id elizar client es em ações promocionais.
A ssinale a alt ernat iva C O RR E TA :
Soment e a sent ença I V está corret a.
A s sent enças I I I e I V est ão corret as.
A s sent enças I e I I I est ão corret as.
A s sent enças I e I I estão corret as.
5.
Q uand o nos ref erimos aos planos d e seguros, observamos que est es pod em ser
cont rat ad os d e f orma ind ivid ual ou colet iva. O plano colet ivo d eve ser est end id o a
t od os os component es d o grupo, obrigat oriament e, no ent ant o, sua ad esão é
f acult at iva. O s part icipant es que pod em ser ad mit id os são o cônjuge ou
companheiro, os f ilhos e os ent ead os menores que são d epend ent es. Sobre os planos
d e cont rat ações colet ivas, classif ique V para as sentenças verd ad eiras e F para as
f alsas:
( ) Plano colet ivo d e custeio pro jet ad o.
( ) Plano colet ivo anuent e.
( ) Plano colet ivo averbad o.
( ) Plano colet ivo inst it d o.
A ssinale a alt ernat iva que apresent a a sequência C O R R ETA :
F - V - F - V.
V - V - V - F.
F - F - F - V.
F - F - V - V.
6.
O s planos d e E nt id ad es A bertas d e Previd ência C omplement ar (EA PC ) são
est rut urad os com o objet ivo d e conced er benef ícios a pessoas f ísicas, relacionad as ou
não a uma pessoa juríd ica. Est es planos pod em of erecer, separad ament e ou
agrupad o, coberturas d e mort e e/ou invalid ez t ot al ou permanent e e/ou cobert ura por
sobrevivência. Sobre os planos previd enciários por sobrevivência, classif ique V para
as sentenças verd ad eiras e F para as f alsas:
( ) Plano com R emuneração Garantid a e Perf ormance sem A t ualização (PRSA )
caract eriza-se por garant ir remuneração por meio d a const at ação d e índ ice d e
at ualização d e valores e taxa d e juros.
( ) Plano com R emuneração Garantid a e Perf ormance (PR G P) garant e aos
part icipant es remuneração por meio d a cont rat ação d e t axa d e juros e a reversão,
parcial ou t ot al, d e result ad os f inanceiros.
( ) Plano d e R end a I med iat a (PRI ) garant e, med iant e cont ribuição única, o
pagament o d o benef ício sob f orma d e rend a imed iat a.
( ) Plano com A t ualização G arant id a e Perf ormance (PA G P) caract eriza-se por
garant ir apenas a atualização d e valores e a reversão, parcial ou t ot al, d e result ad os
f inanceiros.
A ssinale a alt ernat iva que apresent a a sequência C O R R ETA :
V - V - F - F.
F - F - V - V.