MODELO DE CONTRATO SOCIEDADE LTDA
5 pág.

MODELO DE CONTRATO SOCIEDADE LTDA


DisciplinaDireito Empresarial I23.958 materiais100.141 seguidores
Pré-visualização5 páginas
C ON T R AT O SOCIAL
So ciedad e Limitada
LU ÍZA GUIMAE S PE S S OA, b rasi l ei ra, sol teira, prof essora, resi den te e domi ci l i -
ada n a ci dad e de Joã o P essoa - PB, n a Ru a Osval do Travassos C ampos, n º 229 ,
portadora da C é du l a de Iden ti dade C i vi l R G n ° 06517685-6 exped i da pel a SSP/PB e
C PF so b o n º 63 8.023.487-87, e en dereço el etrôn i co l u i za G@gmai l .com
AL AN D OS S AN T OS , brasil e i ro, vi ú vo , ven dedo r, reside n te e d omici l i ad o n a ci dad e
de Joã o P essoa PB , n a R u a C omerciário A demy Ba ti sta da S i l va, n º 102 , po rtado r
da Carte i ra d e Iden tidad e C i vi l R G n º 2550 3043 -1 exped i da p el a SS P /PB , bem como
do C P F n º . 456 .564.657-44, e en dereço el e trôn i co al a n dsa n tos@gma i l .com
As parte s a ci ma i d en tif i cada s têm, en tre si , ju sto e acerta do o presen te C o n tra to de
C on sti tu i çã o de S oci eda de LTD A , n os termo s d a l egi sl açã o apl i vel , qu e se regerá
pel as cl áu su l a s e con di çõe s a segu i r descritas:
C U S U LA P R IMEIR A - DA D EN OMIN AÇ ÃO: A soci e dade, con stitu ída so b a
f orma de soci ed ade por cotas de respon sab i l i dade l i mitada , adotará o n ome empre -
sarial de F lorisb ela C o mercio D e Plan tas E Jardinag em LT D A, bem como o n o me
f an tasi a Florisb ela Jardinag em, qu e será regi da po r este i n stru men to de con sti tu i -
ção e con si deran d o a di sposi çã o con stan te do parágraf o ú n i c o do a rt. 1.0 52 d o C ó-
di go Ci vi l .
C U S U LA SE GUN D A - D A S E D E S OC IAL : O estabel eci men to comerci a l matriz
terá su a se de soci a l l ocal i za da n a ci dade e co marca de João Pe ssoa - PB, n a Ru a
N ossa S en h o ra d o P erpétu o S ocorro , 2 94, C e n tro . Ou trossi m, pode rá a brir f i l i ai s,
agên ci as ou su cu rsai s em qu al qu er pon to do terri tório n aci on al , a qu al qu er tempo ,
deven do observar as di sposi çõ es l egai s perti n en tes e, e m especi a l , o di sp osto n o
art. 1.000 d o C ódi g o C i vi l .
C U S U LA T E R C E IR A - D O OB J ET O SOCIAL: A so ci edade l i mitada tem po r ob-
je to so ci al a expl o ração do comérci o vareji sta de p l an tas e f l ores n atu rais (CN AE
4789002), pod en d o, i n cl u si ve, trab al h a r com produ tos rela ci on ados o u si mi l ares a es-
tes. F acu l ta , a s partes, con tu do, n o qu óru m de 2/3 d o capi tal soci al , possível e sti pu l a-
ção dive rsa em al teração co n tra tu a l .
C U S U LA QU AR T A - D A D U R AÇÃO: O prazo de du ração da sociedade será por
tempo i n d etermi n ad o, i n i ci an do su as ati vi dad es a p arti r do regi stro do p resen te i n s-
tru men to.
C U S U LA QUINT A - D O C APIT AL S OCIAL: O capi tal soci al é correspo n de n te a
i mportân ci a de R $ 200 .000,00 (du zen to s mil reai s), di vi di do em 2 00.000 (du zen tos
mi l ) qu otas de val or n omin al de R $ 1,0 0 (u m real ) cada, sen do total men te su bscritas
e i n tegral i zadas p el os ci os correspon de n tes n o prazo de 30 (trin ta) di a s, e m mo-
eda corre n te do p s, assi m d i stri bu ídas:
ci os
PE R C . %
QU OTA S
VA LOR R$
LU ÍZA GU IMAR ÃE S P E SS OA
80%
150.000
150.000,00
AL AN D OS SAN T OS
20%
50.000
50.000,00
T OT AL
100%
200.000
200.000,00
PARÁGR AFO P R IMEIRO - A respon sa bi l i dad e do s sóci os é restri ta ao va l or de su as
qu otas, n ã o h aven do respon sa bi l i dade sol i ri a pel a s o brigaçõ es soci a i s, respon -
den do, n o en tan to, p el a i n te grali za ção do ca pi tal so ci al .
C U S U LA SE X T A - D A C E S SÃO D E QUOT AS : H aven do i n teresse por pa rte de
al gu m do s sóci os em ven d er, tra n sf e ri r ou cede r total o u parcial men te su as cotas, o
mesmo se comp romete a of erecê -l as p ri meiramen te a o ou tro sóci o , qu e exercerá seu
di reito de pref erên ci a. O ato d e of erecimen to será f e i to por escri to e deve rá se r res-
pon di do de f o rma i n e qu ívo ca em 30 (tri n ta) di as ú tei s após o receb i men to d a of erta.
N ão h aven do resposta ou n ão man i f estan d o i nte resse, re sta f acu l tado ao sócio n ego -
ci á-la s co m tercei ros .
C U S U LA S É T IMA - D A D ISS OLU Ç ÃO D A S OC IED ADE : A saída d e u m dos só-
ci os da soci edad e será n otif i cada ao ou tro com an tecedên ci a d e 60 (sessen ta) di a s.
C U S U LA OIT AV A - D A ADMIN IST R AÇ ÃO D A S OC IED ADE : A Ad mi n i stração
da soci ed ade será exercida u n i camen te pe l a sóci a LU ÍZA GUIMA R Ã E S P E SS OA,
qu e represen tará l egal men te a soci edade e poderá prati car todo e qu al qu er ato de
gestão perti n en te ao ob jeto soci al .
PARÁGR AFO P R IMEIRO - N ão co n stitu i n do o objeto soci a l , a al i en açã o ou a o n e -
ração de ben s i móvei s dep en d e de au torizaçã o da maio ri a .
PARÁGR AFO S E GU N D O a sóci a ad mi n i stradora receberá remu n e ração men sal
equ i val en te ao val or do sal ário n i mo vi ge n te de cada an o qu e atu ar n a f u n ção , n o
i n ício d e cada e xercíci o soci al , respei tadas a s n ormas f i scai s vi ge n tes e os se u s
l i mi tes.
C U S U LA N ONA - ao térmi n o de cad a exercíci o socia l , a sóci a a dmin i stradora
prestará con tas ju stif i cada s de su a admi n i stra ção, proceden do à el abo ração do i n -
ven tário, do ba l an ço pa tri mon i al e d o ba l an ço de resu l tado econ ômi co .
C U S U LA D É C IMA - Esta soci eda de pod erá a qu al qu er tempo, abri r e en cerrar
f i l i ai s, agê n ci a s e escritóri os, e m qu al q u er parte d o terri tório n a ci on al ou n o exterio r
medi a n te al tera ção con tratu al assi n ad a por todos o s ci os.
C U S U LA D É C IMA P R IMEIR A - DO E XE R C ÍCIO S OC IAL E B AL AN Ç O P AT R I-
MON IAL: A o términ o de ca da e xercíci o soci al , em 3 1 de deze mbro, deve rá ser pro-
cedi do à el abo ração d o i n ven tá ri o, do bal a n ço patri mon i a l e do bala n ço de re su l tado
econ ômico , ca ben do aos sóci os, n a pro porção de su a s qu otas , os l u cros ou perdas
apu radas.