A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
6 pág.
Unidade I. AULA 1 Direito das Obrigações

Pré-visualização | Página 1 de 2

Disciplina: DIREITO DAS OBRIGAÇÕES 
Prof. Amadeu Vidonho Junior 
*Está proibida a publicação e uso do presente material sob qualquer forma em qualquer espaço sem autorização do autor. Lei n. 
9.610/98 ® 
 
 
Prof. Amadeu Vidonho Junior – Universidade da Amazônia – UNAMA Página 1 de 6 
Unidade I – Direito das Obrigações 
 
UNIDADE I: INTRODUÇÃO AO DIREITO DAS OBRIGAÇÕES. 
DIREITO DAS OBRIGAÇÕES EM RELAÇÃO AOS OUTROS 
RAMOS DO DIREITO. DISTINÇÃO ENTRE DIREITOS 
OBRIGACIONAIS E DIREITOS REAIS. 
 
 
 1.1 Conceito e Conteúdo: 
 
Previstos na Parte Especial – Livro I – Dos Direitos das Obrigações: 
artigos 233 até 420 do Código Civil Brasileiro, vem do vocábulo latino obrigare – “ob 
+ ligatio” que significa atar, ligar, unir impor um determinado 
compromisso. É o vínculo jurídico (direito subjetivo) entre duas ou mais 
pessoas com a finalidade de cumprir uma prestação pessoal (positiva ou 
negativa, ex. dar, fazer ou não fazer) economicamente apreciável sob pena de 
coerção judicial. Essas pessoas são o credor e o devedor (pessoa física 
ou jurídica). 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 *Fonte: https://www.alagoasnanet.com.br/ 
 
É um conjunto de normas reguladoras que disciplinam: 
 
“as relações de intercâmbio de bens entre as pessoas e de 
prestação de serviços (obrigações negociais), a reparação de danos 
que umas pessoas causem a outras (responsabilidade civil em geral, 
ou em sentido estrito) e, no caso de benefícios indevidamente 
auferidos com o aproveitamento de bens ou direitos de outras 
pessoas, a sua devolução ao respectivo titular (enriquecimento sem 
causa)"1. 
 
 
1 NORONHA, Fernando. Direito das Obrigações. Saraiva, 2003. pág. 8. 
DAR 
FAZER 
Débito 
Responsabilidade, 
391,CC; 789,CPC 
BOA-FÉ, 
113,422,CC 
Dignidade, 
1º,III,CF/88 
Solidariedade
, 3º,I,CF/88 
https://www.alagoasnanet.com.br/
Disciplina: DIREITO DAS OBRIGAÇÕES 
Prof. Amadeu Vidonho Junior 
*Está proibida a publicação e uso do presente material sob qualquer forma em qualquer espaço sem autorização do autor. Lei n. 
9.610/98 ® 
 
 
Prof. Amadeu Vidonho Junior – Universidade da Amazônia – UNAMA Página 2 de 6 
“as modalidades (classificação das obrigações), a transmissão (de 
crédito ou de dívida), o adimplemento (ou cumprimento, direto e 
indireto), o inadimplemento (ou não-cumprimento) das obrigações e 
as respectivas consequências”2 
 
Obs.: Código Civil3 
 
1.2 Evolução 
 
 I. Antes a sanção pelo não cumprimento de uma obrigação, cite-se o Código 
de Hamurabi, Lei das XII Tábuas, ou a Lei de Talião que remontam a mais de 
1.000 anos a.C. impõe o retalho do corpo humano de devedor em tantas partes 
quanto a dívida tinha de credores; 
 II. É com a Lex Paetelia Papiria (428 a.C.) que se tornou possível a sanção 
pessoal, substituindo-a pela sanção patrimonial; 
 III. Corpus iuris civilis de Justiniano (534 d.C.); 
 IV, Código Napoleônico de 1804 estabelece-se a impessoalidade da 
obrigação e a garantia para o inadimplemento no patrimônio do devedor (art. 2.093); 
 V. Código Civil Brasileiro de 1916 (art. 863-1.078, CC) 
 VI. Código Civil Brasileiro de 2002 (arts. 233-420, CC) 
 VII. Despatrimonialização (solidariedade e dignidade) 
 
1.3. Importância em relação aos ramos do Direito: 
 
 Matéria fundamental para a compreensão e regulamentação das 
necessidades cooperacionais do homem, visando a obtenção de relações 
harmoniosas em sociedade, principalmente as de cunho econômico. Sua 
importância, sobretudo quanto aos ramos do direito, abrange: 
 
 - Direito do consumidor 
 - Produção – instrumentos e matéria-prima 
 - Contratos em geral 
 - Economia 
 - Todas atividades de natureza patrimonial 
 - Está na base de todo o direito 
 
1.4. Características: 
 
 O direito das obrigações tem por objeto direitos de natureza pessoal, que 
resultam de um vínculo entre credor (sujeito ativo) e devedor (sujeito passivo), 
com a finalidade de obtenção de uma prestação, que por sua vez é uma ação de 
dar, fazer ou não fazer. 
 
 A doutrina cita algumas características como: 
 
 
2 BITTAR, Carlos Alberto. Curso de Direito Civil, Rio de Janeiro, Forense Universitária, 1994, v. I. p. 
304. 
3 Parte Especial – Livro I – Dos Direitos das Obrigações: artigos 233 até 420. 
Disciplina: DIREITO DAS OBRIGAÇÕES 
Prof. Amadeu Vidonho Junior 
*Está proibida a publicação e uso do presente material sob qualquer forma em qualquer espaço sem autorização do autor. Lei n. 
9.610/98 ® 
 
 
Prof. Amadeu Vidonho Junior – Universidade da Amazônia – UNAMA Página 3 de 6 
 a) caráter transeunte: não pode haver relação obrigacional perpetua, daí a 
existência da prescrição; 
 b) vínculo jurídico entre as partes: as partes podem exigir coercitivamente 
Estado – Juiz) o pagamento. 
 c) caráter patrimonial (patrimonialidade): somente o patrimônio do devedor 
ou do responsável pode ser atingido afastada a responsabilidade pessoal, bem 
como são transmissíveis em regra, inclusive causa mortis. 
 d) direitos Relativos: só podem ser oponíveis a pessoas determinadas; 
 e) prestação positiva ou negativa: conduta de dar, fazer ou não fazer; 
 f) autonomia privada: liberdade em externar a vontade; 
 g) universais: não tem grandes diferenças no direito comparado 
 
 Para além de ser uma relação estática de puro cumprimento a relação 
obrigacional encampa entre suas finalidades modernas ser um processo com 
o fim de satisfação completa dos interesses do credor (Karl 
Larens – texto 1) 
 
 a) Função social das Obrigações: prevalência do 
interesse público sobre o privado; 
 b) Boa-fé objetiva: todos devem (deveres anexos) 
comportar-se de acordo com um padrão ético de confiança, 
lealdade, cooperação/colaboração, lealdade; 
 c) Boa-fé subjetiva: denota estado de consciência, a 
intenção do sujeito da relação jurídica, seu estado psicológico ou 
intima convicção. 
 
 
1.5 Natureza jurídica 
 
 As obrigações têm natureza jurídica de Direito Pessoal. 
 
 1.5.1 Direito pessoal e direito real: 
 
Direitos Pessoais: 
 
“É um vínculo jurídico pelo qual o sujeito ativo pode exigir do sujeito 
passivo determinada prestação.”4 
 -Elementos: 
 - sujeito ativo; 
 - sujeito passivo: devedor determinado; 
 - Objeto: prestação 
 
 Ex. Obrigações 
 
*Os Direitos da Personalidade, apesar de parte da doutrina entender que são de 
natureza de direitos pessoais, têm sido inseridos em categoria especial (sujeito e 
 
4 GONÇALVES, Carlos Roberto. Direito Civil Brasileiro. Vol. II, São Paulo: Ed. Saraiva, 2004, p. 10. 
https://pt.wikipedia.org/wiki/Karl_Larenz
https://pt.wikipedia.org/wiki/Karl_Larenz
https://jus.com.br/artigos/17974/a-obrigacao-como-processo/2
Disciplina: DIREITO DAS OBRIGAÇÕES 
Prof. Amadeu Vidonho Junior 
*Está proibida a publicação e uso do presente material sob qualquer forma em qualquer espaço sem autorização do autor. Lei n. 
9.610/98 ® 
 
 
Prof. Amadeu Vidonho Junior – Universidade da Amazônia – UNAMA Página 4 de 6 
objeto representam o ser) como Direitos Existenciais oponíveis erga omnes, 
imprescritíveis, extrapatrimoniais e de relativa e temporária disponibilidade. 
 
 Direitos Reais: 
 “É um poder jurídico, direto e imediato, do titular sobre a coisa, 
com exclusividade e contra todos.”5 
 Ex. direito de propriedade 
 
 
 -Elementos: 
 - Sujeito passivo: indeterminado (há um dever de 
abstenção de não violar o direito de quem quer que seja, todos 
devem respeito a propriedade dos outros – art. 5º, XXII e XXIII, 
CF/88); 
 - Objeto: Coisa 
 
 
QUADRO DE DIFERENÇAS: Doutrina Dualista 
 
Direito Pessoal Direito Real 
Vincula duas pessoas (prestação) Vincula pessoa e bem (coisa) 
Efeito inter pars (relativo