A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
Atividade Reflexiva III - Cruzeiro do Sul licenciatura

Pré-visualização | Página 1 de 1

NOME COMPLETO
	Paula Cristina da Costa Patrão
	RGM
	1623888385
	INSTITUIÇÃO
	Cruzeiro do Sul 
	DATA
	14/05/2020
	CURSO
	Química - Licenciatura
	DISCIPLINA
	Estágio Curricular Supervisionado em Ciências nos anos finais do Ensino Fundamental I
	RELATÓRIO DAS WEBCONFERÊNCIAS - PROJETO DE ESTÁGIO
Após ter assistido e/ou participado das webconferências, você deverá elaborar um relatório expondo os temas/conteúdos abordados em cada uma dessas webs, além de suas reflexões sobre as orientações e a aplicação da BNCC (2018), tendo em vista a educação básica, em seus aspectos curriculares e formador de estudantes-cidadãos, refletindo sobre as duas a seguir:
1 – Comente sobre a pertinência dos temas/conteúdos das webconferências e o que eles trouxeram como informação, que permitiu a construção de novos conhecimentos para a sua futura prática docente e formação como educador.
2 – De que maneira as webconferências transformaram ou o fizeram refletir sobre sua maneira de pensar a realidade da sala de aula, a atuação do professor e a participação do aluno, no processo de ensino e de aprendizagem.
O relatório deve ter no mínimo 2 (páginas) páginas e no máximo 4 (quatro) páginas e deverá conter os seguintes tópicos: 
Atenção!
Você NÃO deve responder às questões, elas servem apenas para orientar o texto, que deve ser descritivo/analítico/reflexivo e abordar as questões sugeridas. Você não deve fazer em formato de questionário (perguntas e respostas), elabore um texto que aborde todos esses pontos e tenha embasamento teórico.
Antes de enviar seu texto, faça uma boa revisão tanto da escrita quanto do atendimento aos itens desse roteiro. Para citações e referências bibliográficas (se necessário), aplicar as normas da ABNT, para trabalhos acadêmicos. Lembre-se de que o relatório é um momento importante de reflexão sobre a sua prática e o que você fará cotidianamente como profissional da educação. Aproveite, portanto, mais esse momento de aprendizagem!
Bom trabalho!
Título: Unidade III - O ensino de ciências por meio de atividades práticas e de campo 
A disciplina de Ciências no Ensino Fundamental tem, como principal objetivo, transmitir ao estudante a visão de mundo a partir dos conhecimentos produzidos pela metodologia científica. Esse conhecimento deve ser apresentado de forma diversificada e atrativa, despertando o questionamento e a curiosidade, além de trabalhar o senso crítico nos discentes (CORRÊA e BRAGUINI, 2016). Ensinar ciências, portanto, não se caracteriza como uma tarefa fácil, e as dificuldades em obter êxito são constatadas atualmente (MARQUES, 2015). Dia após dia é notório o desinteresse dos alunos em sala de aula e, é a partir dessa premissa que os professores devem buscar novas
metodologias didáticas.
Segundo Freire (1997), para compreender o que diz a teoria é necessário experimentá-la, sendo o experimento indispensável dentro do ensino. Corrêa e Braghin (2016) afirmam que, a inserção de atividades experimentais na prática docente apresenta-se como uma importante ferramenta de ensino e aprendizagem, de forma a desenvolver o interesse nos estudantes e criar situações de investigação para a formação de conceitos. O que é reafirmado por Andrade e Massabni (2011), quando dizem que, essas atividades permitem adquirir conhecimentos que apenas a aula teórica não proporcionaria, sendo compromisso do professor, juntamente à escola, oferecer essa oportunidade para a formação acadêmica do aluno. Em casos de ausência de recursos na escola, pode-se utilizar de uma aula prática para trazer a visão da metodologia cientifica, e ampliar as noções analíticas, investigativas e de observação que estão nas diretrizes do BNCC. As aulas práticas não têm como único espaço possível o laboratório escolar e podem ser realizadas em outros espaços, assim como é possível a utilização de materiais alternativos, desde que, essas práticas proporcionem discussões, interpretações e se conciliem com os conteúdos trabalhados em sala de aula (CORRÊA e BRAGUINI, 2016).
Dessa forma, uma aula de campo é uma apropriada alternativa. Disciplinas como, Biologia e Geografia podem ser abordadas em parques ou ambientes específicos próximos a escola que permitem que o professor consiga traçar links com a botânica e geologia como exemplo. A Física pode ser explorada em áreas abertas a partir de experimentos simples sobre termodinâmica, ótica e cinemática. A Química podem ser exploradas em áreas abertas a
partir de experimentos simples como pilha eletrolítica, transformação de energia, dentre outros.
Por fim, para que a aula prática tenha um propósito o professor deve avaliar os conhecimentos prévio do aluno, elaborando uma temática favorável ao entendimento, valorizando sua experiência de vida e sua realidade cultural e social. Tudo isso proporcionará construir um conhecimento mais significativo e com sentido, pois dessa forma poderá haver assimilação da aprendizagem, possibilitando que as aulas atinjam o objetivo esperado.
Bibliografia
Bibliografia
ANDRADE, Marcelo Leandro Feitosa de.; MASSABNI, Vânia Galindo. O Desenvolvimento de Atividades Práticas na Escola: Um Desafio Para Professores de Ciências. Ciência & Educação, v. 17. n. 4, p. 835-854, 2011. Disponível em: <https://www.scielo.br/pdf/ciedu/v17n4/a05v17n4.pdf>. Acesso em: 5 de junho de 2020.
CORREA, Neli Terezinha.; BRAGUINI, Wellington Luciano. O Ensino de Ciências por Meio de Atividades Experimentais: A Realidade do Ensino na Escola. Secretaria de Educação, Paraná, 2016. Disponível em: <http:/www.diaadiaeducacao.pr.gov.br/portals/cadernospde/pdebusca/producoes_pde/2016/2016_artigo_cien_unicentro_nelziterezinhacorrea.pdf>.Acesso em: 5 de junho de 2020.
MARQUES, Renan Cantante. O Uso de Aulas Práticas no Ensino de Ciências. EDUCERE. XII Congresso Nacional de Educação, 2015. Disponível em: <https://educere.bruc.com.br/arquivo/pdf2015/21852 9266.pdf>. Acesso em: 5 de junho de 2020.
FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia: Saberes Necessários à Prática Educativa. Rio de janeiro: Paz e Terra, 1997.
Desmarcar