DireitoadministrativoI_ extinção do ato administrativo-Caducidade
2 pág.

DireitoadministrativoI_ extinção do ato administrativo-Caducidade


DisciplinaDireito Administrativo I63.686 materiais1.123.093 seguidores
Pré-visualização1 página
9 de junho de 2020 
 
DIREITO ADMINISTRATIVO I 
AVALIAÇÃO DO 2° CICLO 
2020.1 
 
LEIA COM ATENÇÃO ANTES DE ENVIAR A AVALIAÇÃO: 
 
\u27a2 A atividade avaliativa pode ser realizada individualmente, em duplas ou, 
preferencialmente, em trios. 
\u27a2 Responda de forma clara e objetiva observando os enunciados e sem plágio. Cada 
questão vale 5 (cinco) pontos e possui peso 6. Utilizar no máximo 10 linhas para cada 
questão. 
\u27a2 As respostas deverão ser encaminhadas para eliane.ribeiro@campus1.unig.br, 
obrigatoriamente neste arquivo em formato Word, com indicação do nome completo e da 
respectiva matrícula no corpo do e-mail, até o dia 15/06/2020. 
\u27a2 Basta encaminhar um e-mail por grupo. De certo, será considerado apenas o primeiro e-
mail enviado para efeito de atribuição de nota. 
\u27a2 No campo \u201cassunto\u201d do e-mail informar o número da turma e a disciplina. Segue o 
exemplo: 
DRN502 \u2013 DIREITO ADMINISTRATIVO I 
 
 
 
ALUNO: MATRÍCULA: 
ALUNO: MATRÍCULA: 
ALUNO: MATRÍCULA: 
 
QUESTÃO 1: Considere a situação em que a Administração Publica municipal 
edite um ato administrativo de permissão para que o administrado em certo local 
explore um parque de diversões. Posteriormente, surge a nova lei de zoneamento 
que se mostra incompatível com a permissão anteriormente concedida. 
Discorra sobre a extinção do ato administrativo e explique a forma adequada para 
o caso apresentado acima: 
Resposta: 
Nesse caso, o ato de autorização caducará, porque ocorreu uma lei posterior com efeitos incompatíveis 
com a norma anterior, ocasionando a extinção do ato administrativo por lei superveniente que impede a 
manutenção do ato inicialmente válido, com uma nova legislação que impede a permanência da situação 
anterior consentida pelo poder público. 
 
 
QUESTÃO 2: \u201cO fundamento da ideia de Administração Indireta está assentado no 
instituto da descentralização. Este vem a ser a distribuição de competências de 
uma para outra pessoa, física ou jurídica. Ocorre quando o poder público (União, 
Estados, Municípios ou Distrito Federal) cria uma pessoa jurídica de direito público 
ou privado e a ela atribui à titularidade e a execução de determinado serviço 
público, surgindo às entidades da Administração Indireta\u201d. (Disponível em: < 
http://www.ambito-juridico.com.br). 
 Nesse contexto, discorra sobre os entes da Administração Indireta que têm 
autorização legal para exploração de atividade econômica. 
 
 9 de junho de 2020 
Resposta: 
Os entes da Administração Indireta que têm autorização legal para exploração de atividade econômica e 
que também podem prestar serviço público, são as empresas públicas e a sociedades de economia mista, o 
Decreto-Lei 200/67 em seu art.5º, I e II, traz o conceito dessas chamadas empresas estatais, as quais foram 
criadas para executarem as atividades previstas no art. 173,CF. São constituídas sob o regime de direito 
privado, tem personalidade jurídica de direito privado, seguem o regime híbrido ou misto: regras de direito 
privado e regras de direito público, têm autorização legislativa para a criação e dependem de seu ato 
constitutivos em cartório para adquirir personalidade jurídica, o regime de contratação é celetista(emprego 
público). Entretanto se distinguem em relação ao capital (Ep- capital 100% público e SEM- capital 
misturado), e em relação a forma de organização da pessoa jurídica (forma societária; EP-livre e SEM- 
S/A) e em relação a competência (EP-JF e SEM-JE), Súm.508, 517 e 556,STF, e 42,STJ.