A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
19 pág.
Saúde Ambiental

Pré-visualização | Página 1 de 6

Saúde Ambiental
O que é saúde ambiental?
	Alguns aspectos do meio ambiente podem alterar a saúde humana, como por exemplo, o saneamento e poluição. A saúde ambiental estuda esses fatores e formas de controla-los.
	A ação humana no ambiente foi predatória e acabou destruindo o ecossistema e colocando em risco a nossa própria sobrevivência. No ultimo século com o desenvolvimento industrial e econômico, a globalização intensa, e o consumismo sobrecarregam o planeta, que não é capaz de repor os recursos com a mesma velocidade.
· Desenvolvimento sustentável - Desenvolvimento capaz de suprir as necessidades sem esgotar os recursos para as próximas gerações
· Carta de Ottawa - Primeira conferência internacional sobre a promoção da saúde e ressaltou a necessidade de cuidar do meio ambiente para promover a saúde.
· Riscos - Se refere a probabilidade de ocorrer acidentes e doenças. Acidentes podem ser desastres naturais e desastres antropogênicos (causados pelo homem). 
O meio ambiente na história
· 1909 – I congresso Internacional para a proteção da natureza
· 1934 – Primeira Conferência Brasileira de Proteção à Natureza
· 1949 – Conferência Internacional para Conservação dos Recursos Naturais: definição da conservação do meio ambiente como condição pra paz
· 1968 – Conferência da biosfera: primeira vez que falou-se sobre desenvolvimento sustentável
· 1972 – Conferência das Nações Unidas sobre o Ambiente Humano: preocupação coletiva de todos os países para minimizar consequências das ações no meio ambiente. 
· 1981 – Lei 6938 Política Nacional do Meio Ambiente: criação do CONAMA (deliberação sobre temas ligados ao meio ambiente no Brasil)
· 1992 – Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento: reafirma os compromissos firmados em 1972 e reforça a necessidade do desenvolvimento sustentável, foco na erradicação da pobreza (ECO 92)
· 1997 – Protocolo de Kyoto: redução da emissão de gases estufa e consequentemente do aquecimento global.
· 2012 – RIO+20: enfoque nas questões ambientais e sociais. No Brasil o órgão que cuida do meio ambiente no nível Federal é o Ibama.
A carta da terra (1997) - São princípios apresentados na carta: respeitar e cuidar da comunidade da vida; Integridade ecológica (desenvolvimento e consumo sustentável); Justiça social e econômica (erradicação da pobreza para garantir dignidade à polução); democracia, não violência e paz. Discussão ECO92.
Agenda 21 Brasileira (2003) - A agenda não é um documento obrigatório, e sim uma espécie de manual para guiar os países ao desenvolvimento de um novo tipo de sociedade em busca do equilíbrio nas relações homem-natureza. Possui 21 objetivos divididos entre os seguintes temas: Economia da poupança na sociedade do conhecimento; Inclusão social para uma sociedade solidária; Estratégia para a sustentabilidade urbana e rural; Recursos naturais e estratégicos (água, biodiversidade e florestas).
Cidadania Ecológica ou Ambiental
	Prevê uma participação ativa nas questões ambientais, que variam das pequenas ações cotidianas, como o consumo responsável, até a participação na gestão ambiental, sendo membro ativo das associações de defesa da natureza e conselhos governamentais (discurso ecocentrico). 
Ecologia urbana
	Trata do ecossistema urbano, que é o resultado das interações entre todos os seres vivos, o meio construído pelo homem e áreas naturais que persistem nas cidades como as florestas urbanas, lagos e outros. Um exemplo de ação dentro da ecologia urbana é o movimento dos 5Rs (Reduzir, Reutilizar, Recusar, Repensar, Reciclar).
Educação ambiental
	É uma ferramenta para mudança de comportamento dos indivíduos e população frente às questões ambientais. A EA pretende estimular essa mudança por meio de um processo reflexivo sobre o ambiente e as interações do homem com ele. A educação ambiental é transversal (presente em todos os momentos, desde as propagandas até as disciplinas em todos os níveis de educação) e interdisciplinar (várias áreas de conhecimento). 
· 1992 – Carta Brasileira para Educação Ambiental: PROGRAMA NACIONAL DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL (ProNEA)
O Farmacêutico na Saúde Ambiental
Saúde Pública
	Aplicação de conhecimentos com o objetivo de organizar os sistemas e serviços de saúde e atuar nos fatores condicionantes e determinantes do processo saúde-doença, de modo a controlar a incidência de doenças nas populações através de vigilância e intervenções governamentais.
	O farmacêutico é fundamental na organização dos serviços públicos de saúde, atuando nas seguintes áreas ligadas diretamente a saúde ambiental (compartilhadas com outros profissionais, não privativas ou exclusivas):
· Controle de qualidade e tratamento da água
· Controle de vetores e pragas urbanas
· Gerenciamento de resíduos em serviços de saúde
· Gestão ambiental
· Saúde ocupacional
· Segurança do trabalho
· Vigilância ambiental
Controle de vetores e pragas urbanas
a) Aquisição dos produtos;
b) Preparo das soluções concentradas e diluídas ou outras manipulações;
c) Armazenamento de soluções;
d) Gerenciar o transporte, aplicação dos produtos e manutenção de equipamentos;
e) Vistoria, perícia e emissão de pareceres técnicos;
f) Controle de qualidade;
Gerenciamento de Resíduos de Serviços de Saúde
a) Elaboração, implementação e execução de planos de gerenciamento dos resíduos.
b) Tarefa pode ser realizada no estabelecimento onde o farmacêutico é RT ou como prestação de serviço.
Controle de qualidade da água
a) Padrão de potabilidade e controle ambiental
b) Controle da operação das estações de tratamento de água e esgotos domésticos e industriais; 
c) Controle da qualidade de água com reagente e para fins terapêuticos (ex: hemodiálise, manipulação).
d) Coleta de amostras;
e) Análises físico-químicas e microbiológicas através de metodologia específica (pH, turbidez, cor aparente, cloro residual livre, sólidos totais dissolvidos, contagem total de bactérias, coliformes totais, presença de E coli, coliformes termorresistentes)
f) Emissão e assinatura de laudos e pareceres técnicos
Segurança no trabalho
a) Elaborar e atuar nas políticas do meio ambiente
b) Identificar processos, elaborar tratamentos de aspectos e impactos referentes a atividades do meio ambiente, realizar avaliações de riscos.
c) Identificar e manter procedimentos para viabilizar operações.
d) Gerenciar projetos, coordenar equipes e participar de auditorias.
e) Realizar análises críticas para assegurar adequação das ações de meio ambiente.
f) Promover programas destinados à capacitação da comunidade e dos trabalhadores
Especialidades farmacêuticas na área de saúde ambiental
 Especialidades diretamente ligadas: educação, gestão, saúde publica e toxicologia.
Saneamento Ambiental
	“Saúde pública é a arte de evitar doenças, prolongando a vida e promovendo a saúde e eficiência através de esforços promovidos pela comunidade (OMS)”
	A prática da Saúde Pública e do Saneamento Ambiental deve envolver grande número de profissionais de diferentes áreas de conhecimento atuando de forma coletiva e individual. Na década de 30 foi elaborado no Brasil o código de águas e na década de 90 deu-se início as propostas de desenvolvimento sustentável.
	O saneamento ambiental é o conjunto de ações que garante a qualidade da água e dos rios, lançamento de esgotos em rede pública coleta de lixo e disposição em aterros, garantia de água em quantidade adequada, além do controle ou erradicação de doenças. O ato de sanear e trabalhar na aplicação de medidas que melhorarão as condições higiênicas de algum local. A OMS define saneamento como controle de todos os fatores do meio físico do homem, que exercem ou podem exercer efeitos nocivos sobre o bem estar físico da população. 
Situação do saneamento básico no mundo (ONU, 2015)
· População mundial > 7,6BI 
· Não tem saneamento: 4,5BI (59,2%)
· 2.30BI (30%) tem saneamento: 600 milhões tem que compartilhar um banheiro com moradores de outros lares, 892 milhões defecam a céu aberto.
Saneamento básico no Brasil 2018
· Água tratada: 83.62% 
· Coleta de esgoto: 53%
·