A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
APS de Aparelho Locomotor - Estudo de Caso

Você está vendo uma pré-visualização

Pre-visualização do material APS de Aparelho Locomotor - Estudo de Caso - página 1
Pre-visualização do material APS de Aparelho Locomotor - Estudo de Caso - página 2
Pre-visualização do material APS de Aparelho Locomotor - Estudo de Caso - página 3

APS de Aparelho Locomotor - Estudo de Caso

APS de Aparelho Locomotor 
 
ATIVIDADE 1: Analise o caso clínico e responda: Durante a prática do futebol de final de 
semana, J.L.P., 33 anos, fisicamente ativo, relata dor e limitação de movimento, além de edema 
no joelho direito. O paciente informa que durante a prática esportiva, em um dado momento 
executou uma rotação do corpo, com a intenção de mudar de direção na corrida. Neste 
momento, escutou um forte “estalo” e muita dor, impossibilitando de continuar a executar a 
atividade. Após avaliação clínica e exame de imagem (figura 1), foi diagnosticado ruptura do 
ligamento cruzado anterior. 
 
1) Qual o movimento gerenciado pelo ligamento cruzado anterior e quais são os ligamentos 
encontrados no complexo articular denominado joelho? 
R: O ligamento cruzado anterior fica na frente, cruzando longitudinalmente o centro do 
joelho, impedindo que a tíbia se desloque para frente do fêmur, ou seja, eles são essenciais 
para o funcionamento do joelho. O LCA é uma das articulações mais complexas do nosso 
organismo, na qual, essa articulação precisa ter um grau elevado de flexibilidade e de 
liberdade de movimento para absorver e transmitir forças que ela precisa durante as 
atividades do dia a dia e esportivas. Além disso, o joelho possui outros ligamentos, como: 
o ligamento cruzado posterior (LCP), ligamento colateral lateral (LCL) e ligamento 
colateral medial (LCM). 
 
2) Indique as peças ósseas em que os ligamentos são fixados e os movimentos gerenciados por 
cada um deles. 
R: O joelho é formado pelo fêmur, tíbia, fíbula e patela. 
 
O ligamento cruzado anterior (LCA), se origina na parte posterior do aspecto interno do 
côndilo femoral lateral, passando sob o ligamento transverso e fixa-se na tíbia anterior. Faz 
os movimentos de rotação interna e externa do joelho. 
 
O ligamento cruzado posterior (LCP), se origina no aspecto interno do côndilo femoral 
medial e fixa-se na parte posterior da tíbia. Tem como função principal limitar as translações 
posteriores da tíbia sobre o fêmur, ajuda a controlar o estresse em varo e em valgo impostos 
ao joelho. 
O ligamento colateral lateral está fixo no epicôndilo femoral lateral e se insere 
posteriormente na cabeça do perônio. É responsável por evitar movimentos excessivos em 
varo (joelho para fora). 
 
O ligamento colateral medial (LCM), se fixa no aspecto medial do epicôndilo femoral 
medial, direcionado anteriormente para se inserir na face medial da tíbia. Possibilita a 
contenção primaria contra os estresses em valgo impostos pelo joelho, auxilia no controle 
das forças da rotação interna. 
 
3) Pesquise os processos de regeneração dos tecidos lesionados 
R: O corpo humano por si só tem a capacidade de substituir as células lesionadas e reparar 
o tecido que foi danificado. 
 
A cápsula articular e ligamentos cruzados anteriores altamente vascularizados são estruturas 
articulares do joelho que possibilita estabilização pras mesmas. Quando ocorre uma lesão 
no joelho acontece um acúmulo de liquido (água no joelho) nessa região. Esse líquido é 
chamado de líquido sinovial, na qual, é produzido pela membrana sinovial, responsável por 
revestir internamente as articulações e lubrificar a articulação. 
 
Entretanto, quando acontece algo mais grave como um trauma, esse líquido começa a ser 
produzido em excesso provocando então um quadro clínico de edema (inchaço). 
Consequentemente, podendo acontecer também uma alteração na qualidade e 
características físicas desse líquido. 
 
Existe fases da regeneração dos tecidos, elas são: 
Fase de hemostasia: Nessa fase para estancar e minimizar a perda de sangue através da 
lesão, começa a ocorrer a coagulação instantânea. Isso acontece porque os vasos entram em 
processo de vasoconstrição, na qual se contrai, logo em seguida, as plaquetas vem “selando” 
as paredes dos vasos sanguíneos atingidos. 
Fase inflamatória: Essa fase se inicia no momento em que ocorreu a lesão, ou seja, a 
ruptura do tecido acabando com a vinda de células inflamatórias para o local da lesão. Além 
disso, essa fase é marcada por 5 sintomas: calor, rubor, dor, edema e perda da função. Dessa 
forma, os macrófagos chegam em 24 a 48 horas e ficam ali predominantes durante alguns 
dias. Eles vão ser responsáveis pela fagocitose do tecido morto e secretam múltiplos tipos 
de fatores de crescimento que induzem neovascularização e formação do tecido granulado. 
Fase proliferativa: Essa fase é caracterizada pela reepitelização para produzir uma nova 
barreira permeável, a angiogênese vai fazer a formação de novos vasos e a fibroplasia vai 
fazer a reconstrução da derme, ou seja, o fibroblasto é o último tipo de célula a chegar dentro 
do ferimento. 
Fase de remodelação: Essa fase vai acontecer durante todo o processo de cicatrização. 
Dessa forma, é depositado o colágeno (colágeno tipo III) na lesão (menos organizado) de 
uma parte da pele que nunca foi lesionada, consequentemente, a ferida vai se curando e esse 
colágeno é substituído por um colágeno mais resistente mantendo a organização dessa nova 
matriz, assim sendo, o colágeno tipo III é degenerado pelas proteínas. 
 
4) De acordo com sua competência acadêmica proponha uma terapêutica para este indivíduo 
R: Em casos mais agudos é indicado um processo cirúrgico de reconstrução, aliviando a 
dor e o edema, tentando restabelecer os movimentos do joelho, assim, passando a fortalecer 
os músculos responsáveis em estabilizar o joelho. Porém, pode ser feito a crioterapia, já que 
o frio vai agir como agente analgésico, diminuindo a velocidade de condução nervosa, 
reduzindo também o edema e hiperemia pela ação vasoconstritora.