A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
CÂNCER

Pré-visualização | Página 1 de 5

Slides- Tóp. Esp. Doenças Hipermetabólicas 
 
Câncer 
Conceito: Crescimento desordenado de células 
(maligno) que podem invadir tecidos e órgãos, 
podendo espalhar-se (metástase) para outras 
regiões do corpo. 
 
Epidemiologia: tipos de câncer mais incidentes no 
mundo  pulmão, mama, intestino, próstata 
 
O que é câncer? Correspondem aos vários tipos de 
células do corpo 
 
 
 
 
 
 
 
Outras características que diferenciam os diversos 
tipos de câncer entre si são a velocidade de 
multiplicação das células e a capacidade de invadir 
tecidos e órgãos vizinhos ou distantes (metástases). 
 
Como surge o câncer? Toda informação genética 
encontra-se no DNA. Através dos genes são 
passadas as informações para o funcionamento da 
célula. Uma célula normal pode sofrer alterações 
no DNA. É o que chamamos mutação genética. As 
células cujo material genético foi alterado passam 
a receber instruções erradas para as suas atividades. 
As alterações podem ocorrer em genes especiais, 
denominados protoocogenes, que a princípio são 
inativos em células normais. Quando ativados, os 
protooncogenes transformam-se em oncogênes, 
responsáveis pela malignização (cancerização) das 
células normais. Essas células são denominadas 
cancerosas. 
 
Carcinogênese: 
Resultados de alterações no DNA. Três fases 
progressivas da carcinogênese: 
 Iniciação: células sofrem efeitos de 
carcinógenos (ex: substâncias químicas, vírus, 
radiação)  mutação do DNA 
 Promoção: células iniciadas (mutadas) por ação 
de oncopromotores multiplica-se formando o 
tumor isolado 
 Progressão: formação da neoplasia maligna 
com capacidade de invadir tecidos e criar 
metástases. Proliferação descontrolada de 
células alteradas 
 
Tumor Benigno vs maligno 
Tumor benigno: massa localizada de células que se 
multiplicam vagarosamente e se assemelham ao 
seu tecido original, raramente constituindo um 
risco de vida. 
Comportamento das células cancerígenas 
 Multiplicam-se de maneira descontrolada. 
 Tem capacidade para formar novos vasos 
sanguíneos que as nutrirão e manterão as 
atividades de crescimento descontrolado – 
angiogênese tumoral*. 
 O acumulo dessas células forma os tumores 
malignos; 
 Adquirem a capacidade de se desprender do 
tumor e de migrar. 
 Chegam ao interior de um vaso sanguíneo ou 
linfático e, através desses, disseminam-se, 
chegando a órgãos distantes do local onde o 
tumor se iniciou, formando as metástases. 
*fatores locais estimulantes da angiogênese: 
hipóxia, elevação de CO2 ou óxido nítrico – 
formação da nova vasculatura tumoral -> 
Suprimento sanguineo especifico e constante leva 
ao crescimento tumoral e metástase 
 
O que causa o câncer? 
Causas externas (meio ambiente, hábitos ou 
costumes de um ambiente social e cultural) e 
Causas internas (geneticamente pré- determinadas, 
ligadas à capacidade do organismo se defender das 
agressões externas). 
 Slides- Tóp. Esp. Doenças Hipermetabólicas 
 
Esses fatores causais podem interagir de várias 
formas aumentando a probabilidade de 
transformações malignas nas células normais. 
80 a 90% dos casos de câncer estão associados a 
fatores ambientais  SURGIMENTO DEPENDE 
DA INTENSIDADE E DURAÇÃO DA 
EXPOSIÇÃO 
 
Hábitos Alimentares  No Brasil, observa-se que 
os tipos de cânceres que se relacionam aos hábitos 
alimentares estão entre as seis primeiras causas de 
mortalidade por câncer. 
Alguns tipos de alimentos, se consumidos 
regularmente durante longos períodos de tempo, 
parecem fornecer o tipo de ambiente que uma 
célula cancerosa necessita para crescer, se 
multiplicar e se disseminar. 
Exemplos: 
 Alimentos ricos em gorduras  Aumento na 
produção de ácidos biliares, que são 
mutagênicos e citotóxicos  cólon e reto. 
 Nitratos e Nitritos (picles, salsichas e alguns 
tipos de enlatados) – conservante  aumento 
de radicais livres, que promovem lesão celular 
com redução na produção de muco  
estômago. 
 Dieta pobre em fibras com altos teores de 
gorduras e calorias. 
 
Alcoolismo: 
Relação entre álcool e câncer  cânceres da 
cavidade bucal e de esôfago. 
Combinado com o tabaco  faringe e laringe. 
Está relacionado a 2–4% das mortes por câncer. 
Prevenção do câncer: pode ser controlado e 
prevenido 
 
Estadiamento 
Apesar da sua variedade, os tumores malignos 
seguem um curso biológico mais ou menos comum 
a todos eles 
 
Sistema TNM: 
 T= tumor – crescimento local do tumor: T0, 
T1, T2, T3, T4 
 N= nódulo – disseminação para linfonodos 
regionais: N0, N1, N2, N3 
 M= metástase – disseminação para órgãos e 
estruturas distantes: M0, M1 
 
A adição de números a estes três componentes 
indica a extensão da doença maligna. Se baseia em 
dados clínicos, exame de imagem e análise 
histopatológica 
 
 TX: o tumor primário não pode ser avaliado 
 T0: não há evidência de tumor primário 
 T1, T2, T3, T4: tamanho crescente e/ou 
extensão local do tumor primário 
 
 NX: os linfonodos regionais não podem ser 
avaliados 
 N0: ausência de metástases em linfonodos 
regionais 
 N1, N2, N3: comprometimento crescente dos 
linfonodos regionais 
 
 MX: a presença de metástase à distância não 
pode ser avaliada 
 M0: ausência de metástase à distância 
 M1: metástase à distância 
 
Exemplo de classificação de Carcinoma T3 N2 
M1 
T3 - tamanho relativamente grande do tumor 
primário /N2 - invasão crescente de linfonodo 
regional/ M1 – presença de metástase a distância 
 
Tratamentos do câncer  O estadiamento clínico 
representa o mais importante meio de que dispõe o 
oncologista para definir o prognóstico e a 
terapêutica dos pacientes. Podem ser: 
quimioterapia, radioterapia, cirurgia, transplantes 
de células tronco hematopoiéticas, tratamento 
paliativo. 
 
 Quimioterapia: efeitos terapêuticos citotóxicos 
as células, relacionados ao tempo de exposição, 
concentração plasmática da droga e 
peculiaridade bioquímica do tumor. 
Terapêutica sistêmica – É mais tóxica para o tumor, 
mas também apresenta toxicidade para os tecidos 
não tumorais. 
Tumores: células de rápida divisão celular, assim 
como: 
 Mucosa do TGI – erosões no TGI, mucosite 
 Folículos pilosos – alopécia 
 Células da medula óssea – mielossupressão. 
 
Diferentes vias de administração: EV, VO, 
intraperitoneal ou intra-arterial. 
 
 
 
 
 Slides- Tóp. Esp. Doenças Hipermetabólicas 
 
Ciclo celular e as fases onde as drogas 
antineoplásicas podem atuar: 
 
Curativa - usada com o objetivo de se conseguir o 
controle completo do tumor. 
Adjuvante - quando se segue à cirurgia curativa, 
tendo o objetivo de esterilizar células residuais 
locais ou circulantes, diminuindo a incidência de 
metástases à distância. 
Neoadjuvante ou previa - quando indicada para se 
obter a redução parcial do tumor, visando permitir 
uma complementação terapêutica com a cirurgia 
e/ou radioterapia. 
Paliativa - não tem finalidade curativa. Usada com 
a finalidade de melhorar a qualidade da sobrevida 
do paciente. 
 
 Radioterapia: Técnica que emprega feixes de 
radiações ionizantes e é aplicada durante 
determinado tempo a um volume de tecido que 
engloba o tumor, buscando erradicar todas as 
células tumorais, com o menor dano possível as 
células vizinhas. 
 
Tratamento local/regional 
Ação direta  radiação interage diretamente com 
o DNA promovendo quebra das fitas e disfunção 
molecular. Ação indireta  radiação interage com 
agua e o oxigênio intracelulares produzindo radiais 
livres os quais se ionizam e quebram ligações 
químicas iniciando